30 de ago de 2009

Reflexões de um domingo à tarde

Domingo à tarde, nada para fazer...
Depois de umas cervejas e de ouvir Rauzito, Fagner, Chico Buarque, não é de se duvidar que eu iria acabar aqui, né?!

Domingo é o dia que tiro pra ler, com calma, os jornais da semana inteira. Sempre tomo o cuidado de lê-los em ordem cronológica para não confundir as coisas, afinal aquela regrinha "a ordem dos fatores não altera o produto" não diz respeito às notícias (exceto àquelas que tratam de política, afinal não ineressa quem abraça quem, o resultado é sempre o mesmo).

Vamos lá, vamos falar das minhas divagações: primeiro pensei em escrever sobre a pedofilia afinal faz tempo que venho ensaiando um "escrito" sobre este tema. Mas ainda não criei coragem, pois quando eu escrever, e farei isso, vou deixar psicólogos, pedagogos, delegados e políticos da CPI de cabelo em pé. Vou falar umas verdades que vou deixar o Datena sem cor. Vou calar a boca de muita gente e, por via de consequência, fazer muitos pais se sentirem os piores seres do mundo.

Mas deixa pra lá. O assunto é indigesto e eu ainda não elaborei toda a tese (sim sim, terá que ser algo muito bem "amarrado", pois, com certeza, causará um reboliço em nossa sociedade provinciana e obtusa). Vou enveredar para outro asunto um pouco menos indigesto, que combine mais com um domingo ensolarado...

Li a coluna do Leonardo Boff (novidade... sempre leio!). Ele é para como que um espelho, com a diferença que ele tem um "porrilhão" de leitores a mais que eu. Hoje ele falou da Marina Silva! Eu tive que ler em voz alta para compartilhar com os meus! Falou pouco e disse tudo! É por ái! Eu sempre digo! O negócio é a gente pensar com consciência planetária!! BINGO!!!

Daí a Camila, minha filha mais nova resolveu me perguntar das privatizações. Não sou socióloga e nem economista, mas expliquei dando exemplos bem simples do tipo "se você tem uma casa que recebe aluguel, você a venderia para pagar um dívida ou você negociaria a dívida e iria pagando com os aluguéis que iria recebendo?". Falei das nossas estradas de ferro (coitadinhas), falei da telefonia, falei da Vale do Rio Doce... E por pouco meu domingo não ficou azedo!

Creio que ela entendeu. Ela sabe que não sou PT, não sou PV, não sou PSDB, não sou PMDB, nem a PQP. Sabe que costumo pinçar o que vejo de melhor em tudo. Gosto desta liberdade, acho que é a mesma liberdade desfrutada por todos os intelectuais (presunção a minha querer me igualar a eles).

Levantei da mesa assim que o assunto esquentou, pois política tem este condão, consegue fazer com que qualquer reunião descambe em discussão ou desconforto. E acho que a combinação Chico Buarque + Leonardo Boff + A Notícia + Raízes Diário + Fagner + Raul Seixas + Cidadela + Folha da Manhã + macarronada vegetariana + umas geladas, me deixou um tanto confusa.

Devo ligar a TV para "zerar meu QI"?!
Não não... Um sal de fruta e uma hora de sono resolvem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário