6 de nov de 2009

Palavras de uma sexta-feira

Ontem fui deitar com um aperto no peito, uma sensação de derrota, de incapacidade...
Luto todos os dias por um mundo melhor, pelo o que acredito, mas confesso que hoje me vem a sensação de que não adianta nada, que tudo permanecerá exatamente como antes. Parece aquela erva daninha que a gente arranca e uma semana depois brota como que desafiando nossa paciência...

Sinto-me fraca, desanimada... De "saco cheio"! Seria tão bom que minha consciência não me exigisse tanto! Que eu pudesse sentar em frente à TV e assistir a novela como qualquer um. No outro dia teria o que comentar: "viu o acidente? nossa! agora a novela vai ficar boa!". Mas não! Parece que tem bicho carpinteiro na poltrona! Tenho que ir para a cozinha ler os jornais!

Às vezes me dá uma vontade de sumir, de me mudar para outra cidadezinha, de apagar tudo o que fiz até agora, de me tornar uma pessoa qualquer, que se levanta pelas manhãs com a única preocupação de trabalhar mais um dia pelo meu sustento. À noite, quem sabe, encontrar uns amigos...

Ah, os amigos! Como é bom saber que temos amigos! Graças a Deus neste quesito eu sou feliz. Não tenho muitos, mas tenho o suficiente para saber que sou querida e que quero muito bem os que desfrutam da minha amizade. Talvez por amar tanto os cães eu seja como eles, fidelíssima! Amigo meu pode confiar em mim.

Mas infelizmente alguns preferem a falsidade, não conseguem adminstrar a franqueza. Das duas uma: ou eu terei que mudar esse meu jeito de ser, ou terei que rever quem pode/deve estar entre as pessoas que convivo. Mas deixa pra lá, prefiro continuar sendo honesta e ter minha consciência tranquila.

Nem sei por que estou escrevendo tudo isso num blog, melhor seria num diário daqueles que a gente esconde no fundo da gaveta de calcinhas... Mas não né Bete?! Você tem que ser diferente!!

Gostaria de poder parar pelo menos uma semana, ir para um lugar onde ninguém soubesse quem sou eu, onde não tivesse que fazer tudo ao mesmo tempo. Estou toda atrapalhada! Não vejo a hora de chegar janeiro para poder colocar tudo em ordem: documentos, arquivos, memórias...

Toca o telefone e me lembro que a vida continua e eu preciso respirar fundo e encontrar a solução para mais um problema que surge na miha frente.

Boa sexta-feira, Bete.

Nenhum comentário:

Postar um comentário