30 de jun de 2010

EXTRA!! EXTRA!! PREFEITO DE JOAÇABA SE APRESENTA EM CIRCO E FAZ PAPEL DE PALHAÇO!!

EXTRA! EXTRA! 

PREFEITO DE JOAÇABA SE APRESENTA 
EM CIRCO E FAZ PAPEL DE PALHAÇO!

Além de dois telefonemas a notícia me chegou pelo Twitter e por e-mail:

"@BeteMargot Ontem no encerramento do circo, me disseram que estava lá um burro montado num cavalo. Tudo a ver! Advinhem."

 "(...)Não haviam outros animais além de um cavalo que o "excelentissimo" prefeito Rafael Laske usou para se mostrar no inicio da tourada uma vaca um boi e um touro.. ¬¬' (...)
... no mais , o dono do circo usou uns 20 min falando mau de ti sem mencionar o seu nome, UHASUDHSAH assim como o Mamão --"


O trágico disso tudo foi que em 2008 ele chamou os representantes da ONG Amigos dos Animais e se disse contrário a animais em circos... 

Pediu nosso apoio...

Discursou em comícios que protegeria os animais (eu estava em dois deles, meu nome foi citado, inclusive).

Fez constar em seu Plano de governo: "INCENTIVO À PROTEÇÃO DOS ANIMAIS". Olhem aí:



Nunca fez nada, nem deu um esparadrapo sequer! 

Pior! Quando foi procurado pela presidente da Associação de Moradores da Vila Cachoeirinha sobre a cachorrada solta no bairro, ele mandou ela me procurar!!! Como se eu, Bete Vieira, tivesse a obrigação de resolver um problema que é do Poder Público!

De hoje em diante RAFAEL LASKE é 
o INIMIGO NÚMERO UM 
DOS PROTORES DE ANIMAIS!
  

Sabem aquele ditado: "muito faz quem não atrapalha"? Pois é, o Prefeito de Luzerna, Norival Fiorin, usou o bom senso, ele não fez muito no tocante à política pública de bem estar animal, mas também se mostrou sensato na hora de emitir o alvará com ressalva para o circo. Tem meu respeito e gratidão.


29 de jun de 2010

#diasemglobo e #umdiasemglobo

Dia 02 de julho - sexta-feira tem mais um #diasemglobo!

O maior movimento anti Rede Globo desde o direito de resposta do Brizola em 1994.

Eu estou nessa desde o primeiro dia da Copa do Mundo.
Galvão Bueno me cansa...





28 de jun de 2010

Saiba quem é autor da lei que permite tortura e sacrifício de animais em rituais religiosos.


(fonte: http://www.anda.jor.br/)

O Deputado Edson Portilho, do Rio Grande do Sul, teve a desventura de criar um projeto de lei que permite que os animais sejam torturados e sacrificados em rituais religiosos.

O parlamentar, sabendo que os protetores dos animais se manifestariam, fez a seguinte trama: marcou a apresentação para votação da lei num dia de julho, mas fez um chamado urgente e marcou a reunião às pressas, mais cedo. Os únicos avisados foram os demais deputados. Ou seja: não havia defesa.

Os animais não tiveram oportunidade de ter pessoas que os representassem. Quem poderia responder por eles? E aconteceu o que mais temíamos: houve 32 votos contra os animais e apenas 2 a favor. Os animais agora poderão ter olhos e dentes arrancados e cortados em vários pedaços para fazer o tal Banho de Sangue. Os animais que não servem mais para o ritual são mortos a sangue frio, conscientes e sem qualquer anestesia.

Por isso, vamos garantir que o deputado nunca mais consiga se reeleger. Divulgue, para que Edson Portilho não se eleja para mais nenhum tipo de cargo.

AQUI EM JOAÇABA SÃO RAFAEL LASKE E JOVENTINO DE MARCO OS HOMENS QUE APOIAM TORTURAS EM PICADEIROS.

LEMBREM DESTES NOMES EM CADA ELEIÇÃO. OU MELHOR ESQUEÇAM DESTES NOMES EM TODA E QUALQUER ELEIÇÃO!


E para não dizerem que eu só sei falar mal, lembrem deste nome: NORIVAL FIORIN. Ele nunca me prometeu nada, mas bastou apresentar os bons argumentos sobre o sofrimento dos animais em circos para atender o apelo dos protetores. Tem minha eterna gratidão.

Os que se importam pelo bem-estar animal, 
por favor assinem a petição on line:


O Projeto de Lei n. 215/2007, que institui o Código Federal de Bem-Estar Animal, de autoria do Deputado Federal Ricardo Tripoli (PSDB-SP), é um forte instrumento legal de defesa animal. Acompanha as exigências da União Européia, vedando práticas e regulamentando atividades na área de produção animal, experimentação e controle populacional de animais em meio urbano. Aprovar um projeto deste porte no Congresso Nacional é bastante complexo, pois a maioria dos parlamentares não se importa com a vida animal. Por isso, precisamos demonstrar a força das pessoas que amam e defendem os animais com este abaixo-assinado, pedindo urgência na aprovação do Código de Bem-Estar Animal.  

27 de jun de 2010

Em 2010, de pau-de-arara!

(publicado no Jornal cidadela em 25/06/2010)

Minha coluna desta semana falaria da capacitação que eu e mais quatro joaçabenses fizemos em Florianópolis, foi muito boa, tratou do controle social nos municípios. Mas justamente por ter aprendido neste curso que todos somos detentores de direitos, é que trago para vocês uma experiência única, a de saber o quanto sofre quem necessita de transporte coletivo para viajar. Uma experiência ímpar.

Tanto a ida quanto a volta foram providenciadas pela empresa organizadora, a nós coube somente entrar nos ônibus e chegar ao destino. A viagem de ida não foi uma das mais confortáveis, fizemos baldeação em Blumenau, levamos nove horas para chegar. De carro não passa de cinco, mas tudo bem, transporte coletivo costuma ser mais lento mesmo.

Sábado era o dia do nosso retorno, 19:45h, pela Reunidas, linha Florianópolis-Dionísio Cerqueira. Quando avistei o veículo que iria nos levar me deu um frio na espinha. Carro velho, seu número já denunciava a sua antiguidade: 10562. Ao adentrar e tentar me acomodar percebi que se tratava da última carona pro inferno: o cheiro era de um misto de produto de limpeza com sujeira, as poltronas estreitas e nada reclináveis, janelas daquelas que abrem e o pior de tudo, sem cinto de segurança!

Saindo da capital percebemos que dormir seria uma tarefa impossível, mesmo estando todos esgotados. As janelas batiam, era uma barulheira só! Para piorar uma das nossas companheiras percebeu que as freadas não eram normais, quem dirige percebe logo quando os freios não estão bons. Pouco mais de uma hora de viagem e ônibus enguiça. Desci para saber o motivo: o motor superaqueceu.

Logo outros passageiros desceram, foi quando um jovem muito bonito se aproximou e me perguntou se eu estava disposta a não deixar o ônibus seguir viagem, que talvez devesse haver uma substituição. De pronto acatei a ideia, haja vista que era evidente a falta de condições do veículo. Imagina atravessar o estado inteiro dentro de uma coisa daquelas? Coitado de quem iria até Dionísio Cerqueira...

Tratamos de localizar um telefone para fazer a reclamação e pedir outro carro. Telefonei para o 0800-49-6161, mas este canal é somente para registrar reclamações. Assim o fiz, protocolo 2433. O motorista, um senhor muito gentil e atencioso, também fazia seus contatos. O jovem logo informa que seu pai conhecia o diretor da empresa e que talvez ele pudesse nos ajudar.

Neste meio tempo muitos passageiros já telefonavam para os seus para avisar da quebra e do inevitável atraso. Muitos apoiando a decisão de exigir um carro melhor, alguns incomodados com o atraso. Meu jovem amigo sempre ao celular, fazendo contatos. Dali a pouco ele recebe uma ligação de que o carro número 22250 estava chegando para nos resgatar.

Para nossa surpresa, agora quem se negou a continuar a viagem neste veículo foi o motorista, pois ele nos contou que este fora o carro que usou na noite anterior e que havia quebrado duas vezes não mão dele. Ele preferia seguir viagem com o mesmo carro, pelo menos conhecia os seus defeitos. Decidimos todos esperar outro, que desta vez viesse um em melhores condições.

Novos telefonemas, outras pessoas nos cercaram para contar suas desventuras. Uma moça que faz pós-graduação em Florianópolis teve sua ida atrasada por conta da quebra do carro que saíra de Dionísio Cerqueira. Sua passagem marcava saída de Lages para 2:50h, mas só conseguiu embarcar às 5:15h. Entregou-me o bilhete. Outros mais humildes relatavam suas rotinas, na maioria em busca de atendimento médico.

Alguns passageiros que iam à Lages foram levados por um carro que por ali passava e seguia para Passo Fundo. A jovem pós-graduanda foi nele, mas se disse preocupada conosco. A esta altura já estávamos mais rindo do que reclamando. Preferimos seguir o conselho da Marta Suplicy, fazer o quê, né?!


Três horas de espera e chega um carro para nos resgatar. Aí sim! Sem sombra de dúvida era um destes que todos mereciam desde a hora que embarcamos. Cheiroso, bancos confortáveis, silencioso, ar condicionado funcionando. Ficamos todos muitos satisfeitos, valeu a pena lutar pelo o que nos é de direito, uma boa prestação de serviço e com segurança.

Estando todos acomodados o jovem passageiro me conta que seu pai era Promotor de Justiça e que o havia orientado de pegar nomes de testemunhas para que ele tomasse alguma providência. Nós cinco nos dispusemos de imediato; a jovem que fora no outro veículo, filha de Policial Rodoviária Federal, também já havia deixado seus contatos. Muitos dos passageiros também se dispuseram; pegamos seus telefones para futuros contatos.

O engraçado de tudo isso é que muitos de nós nem era para estar ali, não era para sofrer na pele o que sofre aquele povo. Nós da capacitação estávamos por conta de um erro da empresa, havíamos pedido passagens para o ônibus das 20:30h, emitiram para às 19:45h. O jovem passageiro também estava ali por acaso, nunca utiliza transporte coletivo. A pós-graduanda é usuária contumaz, toda a semana faz o trajeto, teve muita história para nos contar.

Estávamos num grupo bem interessante, havia eu, que sou Advogada, uma Assistente Social, os filhos do Promotor de Justiça e da Policial Rodoviária Federal, outros tantos com formação e vivência para tecer um juízo de valor quanto aos fatos ocorridos. Nós cinco de Joaçaba com a cabeça cheia de novas informações sobre acesso e controle dos nossos direitos. Para nós aquela viagem era um laboratório, uma vivência, um desafio. Como eu disse, “algo para contar para nossos netos”.

Somos usuários eventuais, poderíamos desembarcar daquele ônibus e simplesmente deixar de usar os serviços daquela empresa, mas como eu acredito que nada acontece por acaso, não dá para deixar como está. Muitos ainda terão que se submeter aos maus serviços que lhes forem fornecidos. Muitos ainda não têm voz. Portanto, estou coletando os dados dos passageiros e fazendo um relatório, com fotos, para enviar ao jovem amigo, pois ele entregará a seu pai como combinado.

25 de jun de 2010

Aprovado projeto que proíbe animais em circo no Paraná - No RS já não podia. Vão ter que ficar por SC que vergonhosamente ainda permite!

Saiu na imprensa no dia 23/06/2010:

Depois de quase três anos de polêmica, foi aprovado por unanimidade em segunda votação ontem, na Assembleia Legislativa do Paraná, o projeto de lei que proíbe a utilização de animais em espetáculos circenses que passarem pelo Estado.

Na primeira votação, apenas três deputados votaram contra o projeto. Depois de muita conversa com entidades de proteção aos animais, eles mudaram de ideia. "A beleza do circo é a arte e o trabalho do ser humano, não a escravidão e o sofrimento dos animais", lembra Soraya Simon, presidente voluntária da Sociedade Protetora dos Animais.

O projeto, de iniciativa do deputado estadual Luiz Nishimori (PSDB), segue a linha de projetos já aprovados em Curitiba e em estados como Rio de Janeiro, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Sul.

"Segundo o Ibama, os animais passam dias em jaulas de 3 metros, os macacos têm os dentes arrancados, tigres e leões têm as garras arrancadas. O elefante, por exemplo, que teria que caminhar mais de 40km por dia, passa a vida inteira parado no cativeiro, acorrentado. É isso que não pode acontecer", ressalta o deputado.

O projeto seguirá para sanção do governo estadual. Se aprovado, caso seja constatada a participação de animais selvagens ou domésticos em apresentações circenses, o espetáculo pode ser interditado, o circo perde a lincença de funcionamento e pode receber multa. O projeto recebeu duas emendas e não proíbe animais em rodeios ou exposições em feiras agropecuárias.

Fonte: Paraná Online

Mais uma vitória dos animais!

Agora o PARANÁ se junta aos seguintes estados: PARAÍBA, PERNAMBUCO, RIO DE JANEIRO, SÃO PAULO, ESPÍRITO SANTO, MINAS GERAIS, MATO GROSSO DO SUL e RIO GRANDE DO SUL

Se eu minto sobre o sofrimento animal em circos, tem muita gente mentindo comigo!!!!

24 de jun de 2010

Dunga lava nossa alma! A Rede Globo não esperava por essa...

Pelo visto o "jeito Dunga de ser" lavou a alma de muitos brasileiros! 

A comunidade do Orkut "Dunga, acabe com a Rede Globo" só faz crescer a cada instante!

Minha caixa de e-mails sempre tem alguma novidade. Escolhi dois textos bem interessantes:



DUNGA E A GLOBO:



Quem presenciou na noite de domingo o editorial do programa “Fantástico” da rede Globo, lido pelo repórter Tadeu Schmidt, há de ter compreendido todo o desespero que se apossou da “Vênus Platinada”, em relação ao técnico da seleção brasileira.

Chamando-o de “grosseiro, mal educado “ e outros mimos a mais, a poderosa estação do Jardim Botânico viu pela primeira vez em mais de 40 anos, um brasileiro desafiar seu domínio, e literalmente mijar na sua cabeça.

Recordando os fatos mais recentes, inconformado com a proibição das tais “entrevistas exclusivas” que só seriam concedidas à Globo, na sexta feira o Assessor de Imprensa da CBF levou ao técnico Dunga outro memorandum, dessa vez do próprio Presidente Ricardo Teixeira, solicitando que se ordenasse a abertura para que as tais “exclusivas” fossem concedidas.

Dunga então rasgou o memorandum na frente do Assessor de Imprensa e como a reclamação vinha diretamente por ordem da Todo-Poderosa Sra.. Fátima Bernardes, Prima Dona do jornalismo televisivo, Dunga foi mais uma vez taxativo :

- Diz pro Ricardo que se é o que ele deseja, que coloque essa senhora como treinadora da seleção, eu entrego meu cargo” !!!!

Lógico que o técnico permaneceu. Dona Fátima então, sentindo-se “desprestigiada”. alegou um problema de “cordas vocais” e teria tomado o primeiro avião retornando ao Brasil.

Na entrevista coletiva, após o jogo contra a Costa do Marfim, Dunga então resolveu “premiar “ os repórteres da rede Globo que lá se encontravam. Pela leitura labial ficou fácil identificar que ele chamou Marcos Uchoa de “chato” e Alex Escobar de “babaca” e "cagão".

E disse tudo. O Sr. Marcos Uchoa com aquela cara de diarréia reprimida é realmente um chato de galochas, e o Sr.. Alex Escobar, metido a engraçadinho e a bobo da corte, é a própria imagem do babaca cagão.

Em razão disso tudo que foi descrito, o S.. William Bonner, absolutamente descontrolado, escreveu do próprio punho o editorial ridículo que foi lido no Fantástico.

Agora à tarde chega a notícia publicada no Portal do Lancenet que a FIFA punirá Dunga pelos fatos ocorridos. A rede Globo certamente está por detrás dessa punição covarde e canalha.

Dunga merece uma estátua em praça pública.

É o primeiro brasileiro vivo a desafiar publicamente a força e o poderio da rede Globo, numa competição de cunho internacional. Leonel Brizola já o fizera antes, mas em assuntos de política interna.

A seleção brasileira de 2010, muito mais que uma seleção, passa a ser o retrato fiel de seu treinador . Que o seu sucesso seja um insulto à podridão que reina nas hostes da emissora do Jardim Botânico.

Dunga mijou na rede Globo por todos nós.

João Ignácio Muller - JIM
 
DIA SEM GLOBO!

Esta madrugada bombou no Twitter a palavra de ordem #diasemglobo, que estimula as pessoas a verem o jogo entre Brasil e Portugal, sexta-feira, em qualquer emissora que não a Globo. Não é uma campanha de “esquerdistas”, de “brizolistas”, de “intelectuais de esquerda”. É a garotada, a juventude.

Também não é uma campanha inspirada na popularidade de Dunga, que nunca tinha sido nenhuma unanimidade nacional. Na verdade, isso só está acontecendo porque um episódio sem nenhuma importância, um técnico de futebol e um jornalista esportivo terem um momento de hostilidade foi elevado pela própria Globo à condição de um crime de insubordinação inaceitável por ela.

As empresas Globo ontem, escandalosamente, passaram o dia pressionando FIFA por uma punição a Dunga. Atônitos, os oficiais da FIFA simplesmente perguntavam: "mas, por que??"

A edição do jornal do grupo Globo, hoje, só não beira o ridículo porque mergulha nele, de cabeça. O ódio a qualquer um que não abaixe a cabeça e diga “sim, senhor” a ela é tão grande que ela não consegue reduzir o episódio àquilo que ele realmente foi, uma bobagem insignificante. Não, ela se levanta num arreganho autoritário e exige “punição exemplar” para técnico da seleção. Usa, logo ela, uma emissora de tanta história autoritária e tão pródiga em baixarias, a liberdade de imprensa e os “bons modos” como pretextos, como se isso ferisse seus ‘brios”.

Há muita gente bem mais informada do que eu em matéria de seleção que diz que isso se deve ao fato de Dunga ter cortado os privilégios globais no acesso aos jogadores. E que isso lhe traria prejuízos, por não “alavancar” a audiência ao longo do dia. Lembrei-me daquele famoso direito de resposta de Brizola à Globo, em 1994.

“Não reconheço a Globo autoridade em matéria de liberdade de imprensa, e basta para isso olhar a sua longa e cordial convivência com os regimes autoritários e com a ditadura de 20 anos que dominou o nosso país. Todos sabem que critico há muito tempo a TV Globo, seu poder imperial e suas manipulações. Mas a ira da Globo, que se manifestou na quinta-feira, não tem nenhuma relação com posições éticas ou de princípios. É apenas o temor de perder o negócio bilionário que para ela representa a transmissão do Carnaval. Dinheiro, acima de tudo.”

Pois o arreganho autoritário da Globo, mais do que qualquer discurso, evidenciou a tirania com que a emissora trata o evento esportivo que mais mobiliza os brasileiros mas que, para ela, é só um milionário negócio.

Dunga não é o melhor nem o pior técnico do mundo, nunca foi um ídolo que empolgasse multidões. A sociedade dividia-se, como era normal, entre os que o apoiavam, os que o criticavam e os que apenas torciam por ele e pela seleção. A Globo acabou com esta normalidade. Quer apresentá-lo como um insano, um louco incontrolável. Nem mesmo se preocupa com o que isso pode fazer no ambiente, já naturalmente cheio de tensões, de uma seleção em meio a uma Copa do Mundo. Ela está se lixando para o resultado deste episódio sobre aseleção.

De agora em diante, a Globo fará com Dunga como que fez, naquela ocasião, com a Passarela do Samba, como descreveu Brizola naquele direito de resposta: “quando construí a passarela, a Globo sabotou, boicotou, não quis transmitir e tentou inviabilizar de todas as formas o ponto alto do Carnaval carioca”.

Vocês verão - ou não verão, se seguirem a campanha #diasemglobo -  como, durante o jogo, os locutores (aquele um, sobretudo) farão de tudo para dizer que a Globo está torcendo para que o Brasil ganhe o jogo. Todo mundo sabe que, quando se procura afirmar insistentemente alguma coisa que parece óbvia, geralmente se está mentindo.

Eu disse no início que esta não é uma campanha dos políticos, dos intelectuais, da “esquerda” convencional. Não é, justamente, porque estamos, infelizmente, diante de um quadro em que a parcela politicamente mais “preparada” da sociedade desenvolveu um temor reverencial pelos meios de comunicação, Globo à frente.

Políticos, artistas, intelectuais, na maioria dos casos - ressalvo as honrosas exceções - têm medo de serem atacados na TV ou nos jornais. Alguns, para parecerem “independentes e corajosos” até atacam, mas atacam os fracos, os inimigos do sistema, os que se contrapõem ao modelo que este sistema impôs ao Brasil. Ou ao Dunga, que acabou por se tornar um gigante que nem é, mas virou, com o que se faz contra ele.

Eu não sei se é coragem ou se é o fato de eu ser “maldito de nascença” para eles, mas não entro nessa. O que a juventude está fazendo é o que a juventude faz, através dos séculos: levantar-se contra a tirania, seja ela qual for. Levantar-se da sua forma alegre, original, amalucada, libertária, irreverente e, por isso mesmo, sem direção ou bandeiras “certinhas”, comportadas, convencionais.

A maravilha do processo social aí está. Quem diria: um torneio de futebol, um técnico, uma rusga como a que centenas ou milhares de vezes já aconteceu no esporte, viram, de repente, uma “onda nacional”?. Uma bobagem? Não, nada é uma bobagem quando desperta os sentimentos de liberdade, de dignidade, quando faz as pessoas recusarem a tirania, quando faz com que elas se mobilizem contra o poder injusto.

Se eu fosse poeta, veria clarins nas vuvuzelas.  Essa é a essência da juventude, um perfume que o vento dos anos pode fazer desaparecer em alguns, mas que, em outros, lhes fica impregnado por todas as suas vidas.

E a ela, a juventude, não derrotam nunca, porque ela volta, sempre, e sempre mais jovem. E é com ela que eu vou.

Liana Morelli

...e o "cala boca" do Brizola:

22 de jun de 2010

CRIANÇA DESAPARECIDA - Andrezza - 12 anos - Luzerna/SC



Andressa Hortz 
12 anos

Foi vista pela última vez indo para casa, na estrada da Linha Leãozinho em Luzerna - SC, pelas 16h do dia 17 de junho.

Estava de bicicleta.
Estuda na 6ª serie da Escola Municipal São Francisco.

Se alguém tiver alguma informação, entre em contato através do telefone da escola - 49 3523 1882 ou através do e-mail: educacao@luzerna.sc.gov.br



Estamos todos em busca desta menina, quem souber de algo, qualquer pista que seja... 

O que pode parecer sem importância para nós pode ser de grande valia para a polícia.

Entre em contato ou deixe recado.


Obrigada.

20 de jun de 2010

POR QUE NÃO VÃO CUIDAR DE CRIANÇAS?

(publicado no Jornal Cidadela em 18/06/2010)

Numa conversa, enquanto eu esclarecia as razões da ONG Amigos dos Animais quanto ao uso de animais em circos, uma pessoa soltou esta pergunta. Senti logo que se tratava de uma provocação, ainda mais se tratando de alguém que possui estreitos laços com os que têm interesse íntimo na estada do circo com rodeio em Joaçaba, um palanque eleitoral (ou eleitoreiro) bem oportuno.

Naquele momento preferi fazer de conta que não ouvi e continuei a conversa no rumo que ela seguia, mas voltei para casa com uma vontade imensa de escrever sobre isso. Sorte minha que na caixa de e-mails estava a melhor resposta que eu poderia ter dado à pessoa em questão. O autor é desconhecido, mas foi de uma felicidade ímpar no seu escrito. Pelo jeito eu não sou a única a ter que ouvir este tipo de “pérola”:

1) Quem faz esta pergunta admite que existem dois tipos de pessoas no mundo: As Pessoas Que Ajudam e as Pessoas Que Não Ajudam. Além disso, admite também que faz parte das Pessoas Que Não Ajudam, afinal, do contrário, diria "Por que não me ajudam a defender as crianças com fome?", ou "Venham defender comigo as crianças com fome!", ou "Não, obrigada, vou defender as crianças com fome". Então ela se coloca claramente através de sua escolha de palavras como uma Pessoa Que Não Ajuda.

É curioso, a Pessoa Que Não Ajuda não faz nenhum esforço para ajudar, mas, sim, para tentar dirigir as ações das Pessoas Que Ajudam. É bastante interessante. Se eu fosse até sua casa organizar sua vida financeira sob a alegação de que eu sei muito mais sobre administração familiar eu estaria interferindo, mas ela se sente no direito de interferir nas ações que uma pessoa resolve tomar para aliviar os problemas que ela encontra ao seu redor. É uma Pessoa Que Não Ajuda, mas ainda assim quer decidir quem merece ajuda das pessoas Que Ajudam e o nome disso é "prepotência".

2) Pessoas Que Ajudam nunca vão ajudar as "crianças com fome". Nem tampouco os "velhos", os "doentes" ou os "despossuídos". E sabe por quê? Porque "crianças com fome" ou "velhos" ou qualquer outro destes é abstrato demais. Não têm face, não são ninguém. São figuras de retóricas de quem gosta de comentar sobre o estado do mundo atual enquanto beberica seu uisquezinho no conforto de sua casa. Pessoas Que Ajudam agem em cima do que existe, do que elas podem ver, do que lhes chama atenção naquele momento. 

Elas não ajudam "os velhos", elas ajudam "os velhos do asilo X com 50,00 reais por mês". Elas não ajudam "as crianças com fome", elas ajudam "as crianças do orfanato Y com a conta do supermercado". Elas não ajudam "os doentes", elas ajudam o "Instituto da Doença Z com uma tarde por semana contando histórias aos pacientes". Pessoas Que Ajudam não ficam esperando esses seres vagos e difusos como as "crianças com fome" baterem na porta da sua casa e perguntar se elas podem lhe ajudar. 

Pessoas Que Ajudam vão atrás de questões muito mais pontuais. Pessoas Que Ajudam cobram das autoridades punição contra quem maltrata uma cadela indefesa sem motivo. Pessoas Que Ajudam dão auxílio a um pai de família que perdeu o emprego e não tem como sustentar seus filhos por um tempo. Pessoas Que Ajudam tiram satisfação de quem persegue uma velhinha no meio da rua. Pessoas Que Ajudam dão aulas de graça para crianças de um bairro pobre. Pessoas Que Ajudam levantam fundos para que alguém com uma doença rara possa ir se tratar no exterior.

Pessoas Que Ajudam não fogem da raia quando vêem qualquer coisa onde elas possam ser úteis. Quem se preocupa com algo tão difuso e sem cara como as "crianças com fome" são as Pessoas Que Não Ajudam.

3) Pessoas Que Ajudam são incrivelmente multitarefa, ao contrário da preocupação que as Pessoas Que Não Ajudam manifestam a seu respeito. (Preocupação até justificada porque, afinal, quem nunca faz nada realmente deve achar que é muito difícil fazer alguma coisa, quanto mais várias).

O fato de uma pessoa Que Ajuda se preocupar com a punição de quem burlou a lei e torturou inutilmente um animal não significa que ela forçosamente comeu o cérebro de criancinhas no café da manhã. Não existe uma disputa de facções entre Pessoas Que Ajudam, do tipo "humanos versus animais".

Geralmente as Pessoas Que Ajudam, até por estarem em menor número, ajudam várias causas ao mesmo tempo. Elas vão onde precisam estar, portanto muitas das Pessoas Que Ajudam, que acham importante fazer valer a lei no caso de maus-tratos a um animal, são pessoas que ao mesmo tempo doam sangue, fazem trabalhos voluntários, levantam fundos, são gentis com os menos privilegiados e batalham por condições melhores de vida para aqueles que não conseguem fazê-lo sozinhos.

Talvez você não saiba porque, afinal, as Pessoas Que Ajudam não saem alardeando por aí quando precisam de assinaturas para dobrar a pena para quem comete atrocidades contra animais, que estão fazendo todas estas outras coisas, quase que diariamente. E acho que é por isso que você pensa que, se elas estão lutando por uma causa que você "não curte", elas não estão fazendo outras pequenas ou grandes ações para os diversos outros problemas que vêem no mundo. Elas estão sim. E se fazem ouvir como podem, porque sempre tem uma Pessoa Que Não Ajuda no meio para dar “pitaco”.

Então, como dizia meu avô, "muito ajuda quem não atrapalha". Porque a gente já tem muito trabalho ajudando pessoas e animais que precisam (algumas até poderiam ser chamadas tecnicamente de "crianças com fome", se assim preferem os que Não Ajudam).

13 de jun de 2010

Sobre a minha morte:


Esta noite sonhei que morri. De certo pelo fato de tanta gente estar me alertando e me aconselhando a tomar cuidado. Engraçado, todo mundo teme por mim, menos eu! Daí me falam que podem fazer mal a alguém da minha família. Que eu vou sofrer pela culpa.... 

Não tenho medo, confio na espirirtualidade. Nada acontece sem que esteja nos desígnios de Deus. Se for para alguém desencarar, vai dormindo mesmo. Se não for, não vai ser uma bala de um trabuco qualquer que fará isso. Quando se está do lado do Bem, não nos faltam protetores, sinto-os a cada minuto do meu lado.

Mas, pelo sim ou pelo não, deixo aqui registradas as minhas vontades para facilitar a vida dos amigos e parentes:

1) nada de flores, avisem a todos que é para reverter o valor das coroas e vasos em ração para cães e gatos, flores murham, alimento prolonga a vida.

2) nada de caixão caro; comprem o mais barato que puder e reverta o dinheiro para alguma ONG de proteção animal, os irmãos não humanos quase nunca são lembrados.

3) não quero crucifixo; Jesus para mim nunca foi aquele da cruz, sempre foi o revolucionário que arregaçou as mangas e lutou pelo o que acreditava.

4) se algo no meu corpo servir para outrem, façam o favor de retirar; não gosto de desperdício. 

5) roupas simples e sem sapatos, dêem tudo o resto para quem tem frio.

6) para o meu corpo eu quero a destinação mais ecologicamente correta possível; chega o quanto colaborei para a poluição da Terra quando em vida.

7) e nada de vela, só serve para queimar oxigênio; eu saberei o caminho que deverei tomar.

Não me visitem no cemitério, por certo não estarei lá. E não se esqueçam que a morte não existe, que estarei bem aqui junto de vocês. Os amigos sentirão meu sorriso e meu abraço...

No mais, meus caros, restará o "até breve", pois ninguém vai ficar pra semente, não é mesmo?  



Canto para a minha morte:
(Raul Seixas)

Eu sei que determinada rua que eu já passei
Não tornará a ouvir o som dos meus passos.
Tem uma revista que eu guardo há muitos anos
E que nunca mais eu vou abrir.
Cada vez que eu me despeço de uma pessoa
Pode ser que essa pessoa esteja me vendo pela última vez
A morte, surda, caminha ao meu lado
E eu não sei em que esquina ela vai me beijar

Com que rosto ela virá?
Será que ela vai deixar eu acabar o que eu tenho que fazer?
Ou será que ela vai me pegar no meio do copo de uísque?
Na música que eu deixei para compor amanhã?
Será que ela vai esperar eu apagar o cigarro no cinzeiro?
Virá antes de eu encontrar a mulher, a mulher que me foi destinada,
E que está em algum lugar me esperando
Embora eu ainda não a conheça?

Vou te encontrar vestida de cetim,
Pois em qualquer lugar esperas só por mim
E no teu beijo provar o gosto estranho
Que eu quero e não desejo, mas tenho que encontrar
Vem, mas demore a chegar.
Eu te detesto e amo morte, morte, morte
Que talvez seja o segredo desta vida
Morte, morte, morte que talvez seja o segredo desta vida

Qual será a forma da minha morte?
Uma das tantas coisas que eu não escolhi na vida.
Existem tantas... Um acidente de carro.
O coração que se recusa abater no próximo minuto,
A anestesia mal aplicada,
A vida mal vivida, a ferida mal curada, a dor já envelhecida
O câncer já espalhado e ainda escondido, ou até, quem sabe,
Um escorregão idiota, num dia de sol, a cabeça no meio-fio...

Oh morte, tu que és tão forte,
Que matas o gato, o rato e o homem.
Vista-se com a tua mais bela roupa quando vieres me buscar
Que meu corpo seja cremado e que minhas cinzas alimentem a erva
E que a erva alimente outro homem como eu
Porque eu continuarei neste homem,
Nos meus filhos, na palavra rude
Que eu disse para alguém que não gostava
E até no uísque que eu não terminei de beber aquela noite...

Vou te encontrar vestida de cetim,
Pois em qualquer lugar esperas só por mim
E no teu beijo provar o gosto estranho que eu quero e não desejo, mas tenho que encontrar
Vem, mas demore a chegar.
Eu te detesto e amo morte, morte, morte
Que talvez seja o segredo desta vida
Morte, morte, morte que talvez seja o segredo desta vida

11 de jun de 2010

Nosso Dorian Grey

(publicado no Jornal Cidadela em 11/06/10)

Li “O Retrato de Dorian Grey” há muitos anos, foi um dos livros que marcaram minha adolescência, talvez fique somente atrás do “A Divina Comédia” e de “Don Quixote”. Três livros densos por conta das personagens e suas personalidades. Não há como não tecer um paralelo entre pessoas que conhecemos e eles. Uns são Quixotes, outros consigo visualizar em algum círculo de Dante. O leitor contumaz tem esta mania, traz os livros para o mundo real, ou seria levar o mundo real para os livros?

Este escrito de Oscar Wilde se tornou filme cuja sinopse se resume em dizer que “Dorian é um belo jovem privilegiado que deseja que sua imagem em uma pintura envelheça em seu lugar. O que ele considerava uma vantagem, se torna uma maldição, e quanto mais velho e corrupto Dorian fica, o retrato guardado no porão se torna um monstro”.

Nunca havia feito esta comparação, nunca havia me deparado com alguém como Dorian. Precisei vir morar uma cidadezinha do interior de Santa Catarina, para perceber que o mundo está repleto de figuras assim, que fazem de tudo para permanecerem “belas”, não importando o preço que tenham que pagar. Se bem me lembro, na obra foi um pacto com o demônio.

Conheci nosso Prefeito como um candidato empolgado, cheio de ideias. Era todo ouvidos, muito querido, humilde, atencioso, só sorrisos; um encanto de pessoa. Sim, tinha fome de poder, mas para quem está na política isto é uma qualidade e não um defeito; e sem ela nem se deve entrar para este mundo, afinal é uma batalha a cada quatro anos.

Na história o grande vilão é Lorde Henry, que influencia Dorian a tal ponto que ele se torna egoísta, devasso e mau. Na campanha eleitoral ouvia-se falar que havia alguém por detrás do bom moço, que assumindo as máscaras haveriam de cair. Eu sempre acredito que todos são bons até que me provem o contrário, nunca dei ouvidos a estes discursos.

Passado um ano e meio do seu mandato me deparo atônita diante de uma figura que para mim é totalmente desconhecida, nas fotos continua o mesmo belo rapaz de carismáticos olhos azuis, mas algo mudou dentro dele. Sua aura não é mais a mesma. Para mim mais parece um pobre menino rico...

Fico triste, deveras deprimida, pois acreditei nas suas palavras e sinto no fundo do meu coração que não eram mentirosas (naquela época). Algo se quebrou dentro dele. O Mamão deu lugar ao Rafael Laske. Não é a mesma coisa, apelido a gente usa por carinho, agora ele é o senhor prefeito, “o homem que manda na cidade”.

Numa discussão havida dentro da Prefeitura me acusaram de ser “PT” (acho que eu deveria ter ficado magoada, pois falaram como se isso fosse ofensa). Disseram que eu só faço reclamar, mas isto não é verdade, quem merece nunca deixou de receber meus elogios. Tenho culpa que eu, assim como o resto da população joaçabense, só consigo enxergar o que se mostra no retrato?

No livro toda a transformação de Dorian é representada no seu retrato, pintado por Basil Hallward, apesar de ele permanecer jovem e belo o quadro vai se transformando, denunciando assim suas transformações morais. Para nós o retrato é o mandato, cada dia mais feio, mais medíocre. A diferença é que este último não está escondido em um quarto escuro onde só Dorian pode ver...

Não vou contar o final do livro, posso adiantar que para aquele Dorian não houve tempo, e é aí que o livro fica bom! Para o nosso ainda há, temos mais dois anos e meio pela frente. Apesar de que meus olhos não mais conseguem olhar para o moço sem ver o monstro. Dorian era caçador. Em Joaçaba touradas são incentivadas.

Reler o livro por certo me fará encontrar outras coincidências.

8 de jun de 2010

BALCÃO DE DENÚNCIAS:



Se você sabe de alguma irregularidade do Poder Público de Joaçaba este é o seu espaço!

Estou empenhada em levar adiante todas as denúncias que chegarem a mim. Já tenho inúmeras!!


Um leitor me alertou sobre as fofocas. Não vou dar ouvidos a fofocas, vou averiguar antes, OK?!

Eu me comprometo em fazê-las chegar nos órgãos competentes. Já consultei uma das Ouvidorias que me informou que basta enviar as denúncias que eles pedem explicações, quem tem que provar são eles e não nós.

Como este Blog (com letra maiúscula, porque ele merece) aceita postagens anônimas você pode postar o que quiser que eu apenas darei o devido encaminhamento. Elas não serão publicadas.

Caso queira se identificar para mim e não para a formalização da denúncia, basta me pedir sigilo. Se houver algum anexo você pode usar o e-mail bete.v@terra.com.br.

Fiquem à vontade! Este é nosso espaço! Vamos fazer uma limpa???


O blog está verde para homenagear o homem que manda na cidade! Cada dia uma cor! Era rosa, mas eu não sou fã de rosa. Alguém me ajuda a deixá-lo laranja? Eu amo a cor laranja! E os esquisofrênicos que não venham relacionar a cor a nada. Senão daqui a pouco o blog não vai poder ter cor nenhuma!

11/06/10 - achei um tema novo "meio" laranja!  \o/

5 de jun de 2010

Deficiência moral:




(publicado no Jornal Cidadela em 04/06/10)

Esta semana, durante uma reunião do Conselho Municipal de Assistência Social tive mais uma decepção com os nossos gestores públicos, em especial com o Prefeito,. Minha indignação descambou para um desabafo bastante acalorado, mas sincero em cada vírgula. Outra vez constato que os mais fracos não têm vez neste governo!

Antes foi a Creche Irmã Sheila que precisou batalhar para conseguir reaver o dinheiro do FUNDEB que não lhe fora repassado durante o ano de 2009. Já tratei disto outras vezes. Até que enfim Prefeito reconheceu a dívida através da Lei 3.978/10, vão pagar em oito parcelas.

Agora a “bola da vez”é a APAE, entidade reconhecida nacionalmente pelo trabalho com alunos especiais, merecedora de nosso respeito e admiração. Esta entidade está atrás de dinheiro para cobrir os gastos com transporte dos alunos de Joaçaba. O Prefeito sugeriu pedir daquele fundo que o CMAS tem dos 15% da Zona Azul.

O que temos em caixa não é muito, ainda há um resíduo das multas que estão sendo pagas, mas não fará muita diferença. Então levantamos a questão de que o município deve arcar com o transporte dos alunos e questionamos que tipo de repasses são recebidos pela APAE. Foi o relato da representante de entidade que me chocou: Joaçaba é o município que menos colabora com a APAE!

Os números apresentados deixaram a todos envergonhados (vergonha alheia). Encaminhamos um pedido de esclarecimentos, por isso não vou entrar nos detalhes. Prefiro esperar a resposta, quando ela vier trago para os amigos leitores. O CMAS se dispôs a ser parceiro (esta palavra é a preferida do Prefeito, né?), eu particularmente já comecei a levantar as informações.

Eu fico muito mal com estas coisas. Onde já se viu? Sempre que é procurado o Prefeito diz não ter dinheiro em caixa. Mas não se furtou de comprar um carrão para ele. Poxa vida, seria tão bacana se as atitudes dele fossem condizentes com as palavras. O povo não é idiota, já percebeu só não há verba para quem não detém algum tipo de poder. Cada dia a imagem do Prefeito de corrói mais e mais junto à população.

Terça-feira a fui uma reunião de três comunidades, fui apenas para ajudar na confecção da ata. Ouvi todos os tipos de reclamação, mas tudo se resume numa palavra: descaso. Lamentaram o Prefeito e o Vice que temos, mas daí eu lembro que aquela região deu 80% dos votos para “Mamão na cidade e Joventino no interior”. Se a eleição fosse hoje, não chegaria a 20%, talvez isto se reflita nas urnas deste ano.

Também chegou às minhas mãos uma carta anônima com uma montanha de denúncias, nenhuma secretaria foi poupada. Vai desde desvio de funções até doação de porta. Tudo muito confuso. Não me agrada o anonimato, principalmente quando o assunto é tão sério. Está bem guardada aqui comigo, no meu arquivo de denúncias. Tive que comprar uma pasta para organizá-las. Quem sabe um dia vira um livro?

Como se não bastassem todas estas notícias ruins, agora, quase terminado o meu escrito, recebo um e-mail dando conta de que o pessoal do Circo Pop Star anda alardeando pela cidade que podem colocar animais nos espetáculos (apesar de não ter alvará para isso). Eles alegam que o Prefeito autorizou porque ele disse que “quem manda na cidade é ele”. Espero sinceramente que isto seja uma baita mentira. Mas, por segurança repassei o dito e-mail para a fiscalização da Prefeitura, para a Polícia Civil e para o Ministério Público...

A pior das deficiências é a moral, aquela que é fruto de comportamentos que colocam o “ter” acima do “ser”, que nos leva a mentir, corromper, aceitar ser corrompido, trair, negar auxílio, odiar, caluniar, segregar, discriminar, prejudicar, aceitar propina, dar propina, a ignorar o outro e a olhar primeiro para si. Todos nós a temos, alguns em maior grau, mas quando isso se junta ao fato da pessoa ter os destinos de outros em suas mãos daí a coisa complica...

4 de jun de 2010

Porque passei a não gostar de Joaçaba:

Até a manhã de hoje eu ainda amava Joaçaba, agora entrei para o grupo dos que sonham em vê-la pelas costas.

Cansei da mediocridade, da corrupção, dos desmandos, da falsidade, do coronelismo, da imprensa chapa branca que mama nas tetas do poder público e engana o povo, dos deputados que batem nas costas e apunhalam logo depois, das promessas não cumpridas, do clientelismo, do toma-lá-dá-cá, do ranço de superioridade, do caixa dois, dos empresários que se acham donos da cidade, das autoridades que fazem vistas grossas, das fraudes...

Agora começo a entender o discurso daquele cieneasta e de todas as pessoas que conehci que nasceram em Joaçaba, mas nem pensam em voltar pra cá. Estão certas, a gente anda para frente e esta cidade está definhando na própria sujeira.

Eu é que não tenho intenção de me contaminar. Está me fazendo muito mal ver tudo isso acontecendo e nada sendo feito para reverter este quadro.

A partir de hoje começo a trabalhar minha ida desta cidade, vou sentir saudades das pessoas maravilhosas com quem convivi (e isto tem de monte por aqui). Vou para perto, mas para um lugar onde eu possa sentir que se luta pelo bem da cidade e não como aqui que cada um quer sugar o que pode e dane-se o outro.

Fui! Ou melhor... Vou!

Maiores informações sobre a cidade aqui

Trecho da entrrevista do Rogério Sganzerla:

Millôr – Nós não fazemos muito esta pergunta, mas no teu caso eu acho importante que para O PASQUIM você desse um mínimo do chamado curriculum vitae. De onde você veio? Que tipo de formação você tem?
 
ROGÉRIO – Essa pergunta é fundamental porque eu tenho uma péssima formação. Eu sou uma pessoa de péssimas origens. Eu não tenho origens ruins, tenho origens médias, o que é pior ainda. Eu nasci em Santa Catarina, numa cidadezinha do interior. Não é nem Paraíba, é S. Catarina, um lixo total. Num estado que cultivou toda uma civilização de classe média. Eu tenho origem italiana por parte de pai e de mãe. Eu tenho uma grande aversão pelas minhas origens e sou uma pessoa obviamente recalcada. Eu não escondo os mês conflitos. Acho péssimo Ter nascido em Santa catarina e ao mesmo tempo maravilhoso porque é muito pequeno. O Brasil no fundo é uma grande Santa Catarina. Isso ao mesmo tempo me ajuda e me (*). É meio trágico. Não pela grandeza mas pela pequenez.