31 de jul de 2010

NÃO PERMITA A CAVALGADA QUE JÁ MATOU CAVALOS EM SC

Mais uma vez SC na mídia nacional. O texto abaixo é um e-mail que o Instituto Nina Rosa está enviando para todos os seus contatos e pedindo que seja replicado. 

De nada adianta termos bons números em desenvolvimento humano se é isto que representamos para o resto do Brasil e do mundo...

É Farra do Boi, é Puxada, é Cavalgada, é Rodeio, é Circo com Animais... Sei não...



Na cidade de Nova Trento, interior de Santa Catarina, ocorre anualmente a Cavalgada nos Caminhos de Santa Paulina. É mais uma "festividade" que submete animais a situações degradantes e que resultam até na morte dos cavalos.
O evento vem sendo contestado pela população e, segundo relatos, tem incomodado inclusive à Igreja Católica, pois é realizado como "homenagem" à Santa Paulina.

A Cidasc, órgão ligado ao governo catarinense, está em vias de não permitir a realização do evento este ano.

Veja informações no blog do jornalista Raul Sartori:


Manifeste seu apoio a esta medida! Peça a proibição da cavalgada!]

Envie mensagem para
 - Cidasc Itajaí
 - Cidasc Central
 - Polícia Militar em Nova Trento
 - Polícia Ambiental de SC
 - Delegacia de Polícia de Nova Trento
 - Delegacia Regional de Polícia - Brusque

Com cópia para
 - Raul Sartori - Jornalista - Jornal de Nova Trento
 -  Diário Catarinense
 -  Clic RBS
 - Igreja Católica - CNBB - Regional SUL 4 - Santa Catarina

Veja abaixo a mensagem enviada pelo Instituto Nina Rosa e, se desejar, use-a como modelo.

Excelências
Demonstrações de fé às custas do sofrimento alheio não é algo com o que se possa compactuar. É o que ocorre ao se promover, participar ou permitir o martírio e morte de cavalos na Cavalgada nos Caminhos de Santa Paulina, em Nova Trento, que em 2009 reuniu cerca de 5.000 destes animais, segundo informações da imprensa. Associar esta atrocidade à imagem de Amábile Lúcia Visintainer, muito ao contrário de uma homenagem, é uma afronta a sua memória e dissemina valores que nada tem a ver com a bondade e o amor que são os símbolos da vida de Santa Paulina.
Ainda que não houvesse a morte dos animais, como as que ocorreram no ano passado, o sofrimento que lhes é provocado por esta "cavalgada" de várias horas já bastaria para que esta prática fosse banida. Os relatos são de cavalos extenuados por percorrerem longas distâncias sem comida e água e puxando pesadas carroças lotadas por homens "aparentando sinais visíveis de embriaguês".
Solicitamos às autoridades da Cidasc e da Polícia Civil e Militar que não permitam a realização deste dantesco "espetáculo", cujas práticas ferem frontalmente a legislação vigente (artigo 32 da Lei Federal de Crimes Ambientais 9605/98).
Que interesses econômicos e políticos não se sobreponham a valores fundamentais, como o da compaixão ensinada por Santa Paulina. Que a fé seja manifestada com exemplos de bondade e respeito à vida, e não submetendo-se animais à tortura.
Solicitamos providências de V. Ex.as no sentido de coibir tais práticas.

Respeitosamente,
Instituto Nina Rosa - projetos por amor à vida
Organização independente sem fins lucrativos
www.institutoninarosa.org.br

Fone/fax: (11) 3868-4434 / 3868-4273

30 de jul de 2010

Catalunha entra para a história ao abolir as touradas

Enquanto o mundo todo caminha para a libertação animal, em Joaçaba temos um prefeito que, além de apoiar touradas e rODEIOs, faz questão de dar showzinho no picadeiro...

Jul 28, 2010

A realidade cruel das touradas, Catalunha

Hoje, a WSPA e os cidadãos da Catalunha comemoram a decisão do Parlamento de proibir as touradas na região. É uma vitória estrondosa para os milhares de catalães que conseguiram submeter a matéria à deliberação do Parlamento, constituindo um belo exemplo a ser seguido pelo resto do mundo.

A Catalunha fez história: o Parlamento aprovou uma emenda à atual legislação sobre proteção animal, abolindo, assim, as touradas. A proibição entrará em vigor a partir de 1º de Janeiro de 2012, quando, então, os touros não poderão mais ser expostos a uma morte lenta, dolorosa e cruel nas arenas da Catalunha. 

Uma campanha contra a crueldade

O resultado de hoje é a consagração de anos de trabalho árduo e de campanhas promovidas por grupos atuantes em todo o mundo na defesa do bem-estar animal. A plataforma local conjunta PROU – “BASTA”, em catalão - desenvolveu durante meses um incansável programa de campanhas para pôr um fim à crueldade vivenciada a cada ano pelos touros nos ringues. A campanha iniciada pela PROU resultou na iniciativa legislativa popular que apresentou o requerimento ao Parlamento em Dezembro de 2009, após a coleta de mais de 180 mil adesões a um abaixo-assinado que exigia o fim da prática.

A proibição foi aprovada por uma margem estreita de votos, tendo 68 Membros do Parlamento Catalão se manifestado favoravelmente, enquanto 55 Parlamentares foram contrários à vedação (houve 12 abstenções). Esse resultado mostra o quão decisivo foi o seu apoio, tendo a WSPA ajudado a demonstrar a influência do apoio internacional para a deliberação favorável, votada hoje.

Durante uma entrevista coletiva realizada após a divulgação dos resultados do debate e da votação no Parlamento, porta-vozes da PROU afirmaram que “hoje foi o dia pelo qual estávamos esperando: o sofrimento de animais nos ringues de touro da Catalunha foi abolido de uma vez por todas.”

“A Catalunha está abrindo o caminho para que os demais países do mundo adeptos das touradas venham a aderir a uma cultura moderna, sem crueldade”, disse Dirk Kan Verdonk, Gerente de Programas da WSPA. “A votação de hoje é o reconhecimento político de que o povo da Catalunha está pronto para mudanças e de que os políticos catalães demonstraram respeito à expectativa popular de assistir o fim das touradas.”

O apoio internacional à Catalunha

Desde a primeira votação que desencadeou esse processo, em Dezembro de 2009, a WSPA coletou assinaturas de nossos apoiadores em todo o mundo, resultando em um total de mais de 85 mil adesões à campanha da Catalunha para a abolição das touradas. Desde então, a pressão popular foi se intensificando, com o apoio de mais 25 mil manifestantes sensibilizados pelo apelo do comediante britânico Ricky Gervais, que pedia a adesão de seus fãs à nossa campanha para exigir a proibição da prática na Catalunha.

Somente nas últimas 24 horas de nossa campanha, conseguimos coletar mais 25 mil assinaturas. No dia 26 de Julho, representantes da WSPA se reuniram com Ernest Benach, Presidente do Parlamento Catalão, para salientar o enorme interesse das pessoas em todo o mundo em ver a proibição das touradas na região decretada. 

Um número cada vez maior de comunidades está abolindo as touradas

A proibição às touradas na Catalunha só veio refletir uma tendência crescente, já que, a cada dia, mais autoridades em todo o mundo estão decretando a ilegalidade dessa prática. Dentro do território espanhol, as Ilhas Canárias já proibiram as touradas, a exemplo do que foi feito em cidades França, Portugal, Equador, Venezuela e Colômbia. A nova lei também servirá de exemplo a ser seguido por outras regiões na própria Espanha. 


Fonte: http://www.wspabrasil.org/latestnews/2010/Catalunha-entra-para-a-historia-ao-abolir-as-touradas.aspx

24 de jul de 2010

Caso Andrezza – dúvidas de uma cidadã comum:

Caso Andrezza – dúvidas de uma cidadã comum:
(publicado no Jornal Cidadela em 23/07/2010)

Desde o dia 17 de junho passado a família da menina Andrezza Holtz não mais desfruta da sua presença, sumiu como que por encanto. Uma criança desaparece, muitas outras mães ficam apreensivas.

Desde o desaparecimento a polícia tem trabalhado para encontrar as respostas: Quem foi que raptou? Para onde foi levada? Qual o motivo? Todos nós sabemos que nossa polícia tem feito o melhor que pode para desvendar este mistério, mas eu tenho algumas dúvidas. Só eu não, porque conversando com outras pessoas elas também têm suas dúvidas.

Começou com uma avalanche de boatos. As pessoas deveriam ter em mente que isso só atrapalha e causa um tremendo desconforto nos envolvidos. A polícia bem que podia vir a público e desmentir este ou aquele, daí o assunto terminava e pronto.

Um dos boatos envolvia um membro da “família” Pop Star. Um funcionário deste circo chegou a ser detido, mas se verificou que isto ocorreu por conta de uma “mancada” sem tamanho do seu ex-patrão que errou em uma semana a data da sua saída. Se eu estivesse no lugar do moço acho que esganaria alguém por isso.

Depois que soltaram este rapaz tudo voltou à estaca zero. E é aí que eu começo a me indignar. Só a partir daí começaram a distribuir cartazes por outras delegacias. Por que não fizeram isto antes? Ela está desaparecida, precisa ter seu rostinho divulgado para que alguém a reconheça o mais rápido possível.

Outra coisa que me intriga é o fato de não divulgarem detalhes da bicicleta. Talvez isso ajudasse. Qual a cor? A marca? O tamanho? Uma bicicleta não desintegra no ar, de repente alguém a encontra ou em partes. Tudo é pista, nada pode ser ignorado.

A menina vestia uma camisa da Grêmio. Trajava saia, shorts, calça comprida? Existe alguma palavra que ela fala errado? Tem sotaque? Alguma doença recorrente como asma? Tudo pode ser útil para a sua localização.

E a mídia? Por que não foi movimentada para divulgar o caso? Meu Deus do Céu, se fosse minha filha, eu teria entrado em contato com o Datena, com o Fatiolli, com o Ratinho, e com quem mais fosse preciso para levar adiante este caso! O retrato e a história precisam ser divulgados para o maior número de pessoas possível!

Sigilo nas investigações? Pra quê? No caso da advogada Mércia a polícia mantinha a imprensa atualizada e pelo visto isto foi muito importante, pois alguém telefonou para o disque-denúncia e contou do carro sendo submerso na represa. No caso do goleiro Bruno a casa começou a cair quando os envolvidos viram que a imprensa não parava de divulgar informações, uma hora alguém iria denunciá-los. E acho que foi isso que aconteceu.

Outra pergunta que me incomoda é o porquê da vida da Mércia ou da Eliza ter mais valor do que a vida da menina Andrezza. Todas são pessoas que tem pai, mãe, amigos que sofrem a falta. Andrezza definitivamente merecia mais atenção. Alguém me informou que dez crianças somem por dia no Brasil. Todas devem ser filhas de pobres.

Sei lá... Talvez as investigações não sejam tão eficientes por conta do descaso com que o Governo do Estado de Santa Catarina vem tratando a Segurança Pública. Todo mundo sabe que esta é uma luta dos que trabalham na área. Chega a ser vergonhoso o que fazem com os profissionais. Talvez nem tenham meios técnicos para trabalhar melhor.

Pode ser chatice minha, mas alguma coisa não fecha nesta história... “Alguma coisa errada não está certa”. Das duas uma: ou sabem mais do que divulgam, ou não estão dando a devida atenção. Enquanto isso eu fico sobressaltada a qualquer atraso da minha filha adolescente. Ela chega a ficar brava comigo, mas eu telefono nos primeiros 15 minutos de atraso.

Não estou aqui para apontar culpados, mas se este é o trabalho que a Polícia de Santa Catarina tem para nos apresentar eu prefiro não pagar para ver. Ficarei de olho e alerta. Não sou rica, não tenho marido famoso, se algo acontecer com alguém da minha família por certo o caso cairá na vala comum dos casos sem solução...

19 de jul de 2010

Manifestação do Instituto Chico Mendes sobre o Estaleiro do Eike Batista:

“Considerando-se as últimas notícias referentes à possível mudança do estaleiro OSX para o estado do Rio de Janeiro em decorrência da negativa do Instituto Chico Mendes (ICMBio) para sua instalação na Baia Norte (município de Biguaçu/SC), vimos por meio deste informar que:

1 O Instituto Chico Mendes (ICMBio) é um órgão do governo federal, vinculado ao Ministério do Meio Ambiente. Foi criado em 2007, resultado da reestruturação do Ibama e tem a missão institucional de “proteger o patrimônio natural e promover o desenvolvimento socioambiental”.

2 O Instituto Chico Mendes (ICMBio) é responsável pela gestão de 310 unidades de conservação federais - o que totaliza aproximadamente 78 milhões de hectares - além de 15 centros de pesquisa relacionados à conservação da biodiversidade e ao uso sustentável dos recursos naturais.

3 Nos processos de licenciamento em que ocorrem impactos às unidades de conservação e seus objetivos, ou às espécies ameaçadas de extinção, o Instituto Chico Mendes (ICMBio) é obrigado legalmente a se manifestar.

4 A implantação do estaleiro OSX, na alternativa locacional proposta, impacta três unidades de conservação federais (Área de Proteção Ambiental do Anhatomirim, Reserva Biológica Marinha do Arvoredo e Estação Ecológica de Carijós), por isso a FATMA solicitou a manifestação do Instituto Chico Mendes (ICMBio).

5 Após criteriosa análise técnica do Estudo de Impacto Ambiental, observou-se que o mesmo identifica uma série de conseqüências irreversíveis e não mitigáveis a estas unidades e a seus objetivos.

6 Reunindo a enorme possibilidade de permanente contaminação biológica dos atributos bióticos da Reserva Biológica Marinha do Arvoredo, os indícios irrefutáveis de modificações nos atributos físicos e bióticos da Estação Ecológica de Carijós (ambas unidades de conservação de proteção integral) e os impactos negativos irreversíveis e diretos (inclusive podendo ocasionar a extinção local) do grupo de indivíduos de golfinhos cinza Sotalia guianensis, que foi o objetivo principal de criação da Área de Proteção Ambiental do Anhatomirim, o empreendimento na alternativa locacional proposta torna-se totalmente incompatível com a existência dessas unidades de conservação.

7 Além do acima exposto, ainda pesam contra a instalação do empreendimento no local todos os outros impactos à biota e às comunidades do entorno e a impossibilidade de mitigação de grande parte desses impactos.

8 Por estes motivos o Instituto Chico Mendes (ICMBio) concluiu pela inviabilidade ambiental do empreendimento e recomendou a não autorização na alternativa locacional proposta.

9 Outrossim, cabe destacar que o mesmo Estudo de Impacto Ambiental apresenta outras três alternativas locacionais para o empreendimento, todas no estado de Santa Catarina. E dentre todas as alternativas locacionais, a escolhida pelo empreendedor é, sem sombra de dúvidas, a mais impactante do ponto de vista ambiental, pois gerará impactos permanentes a três unidades de conservação, cada uma com seus atributos bióticos a abióticos únicos, que suscitaram suas criações. Neste contexto, em verdade, torna-se difícil conceber local mais sensível na costa catarinense para a instalação de empreendimento dessa natureza.

10 Diante do exposto, vimos informar à sociedade catarinense que a posição do Instituto Chico Mendes (ICMBio) não é “contra o estaleiro”, ou “contra Santa Catarina”, como vem sendo exposto em alguns meios de comunicação. Somos contrários ao empreendimento no local proposto para sua instalação (Baía Norte), caracterizado atualmente por uma rica biodiversidade e por atividades de maricultura, pesca artesanal e turismo.

11 Ficamos à disposição para todos os esclarecimentos que se fizerem necessários e reiteramos os compromissos estabelecidos com nossa missão institucional.

APA Anhatomirim-ESEC Carijós-REBIO Arvoredo-Coordenação

Regional 09"

 
Agora, vocês candidatos, 
parem de mentir para os eleitores...

Também não sou contra o Estaleiro, mas que se faça 
em outro local...

Só ele ri à toa!


18 de jul de 2010

O pior frio é o do coração...

(publicado no Jornal Cidadela em 16/07/2010)

E o inverno chegou pra valer, as temperaturas despencaram, é hora de tirar todos aqueles agasalhos pesados do armário e sair quentinho para a rua, já que nem todos podem ficar dentro de suas casas ao calor de um fogão à lenha. A gente sai, mas torcendo para logo estar em casa e abrigado. Deveríamos ser gratos ao Criador por isto, nem todos têm a mesma oportunidade...

Terça-feira, fazia uns três graus lá fora, meu marido me telefona dizendo: “Querida, você que é articulada talvez possa me dar uma sugestão. Estou em Herval d’Oeste no Posto de Gasolina e tem uma senhora descalça, praticamente sem agasalho, com o pé ferido. Eu não vou conseguir ir pra casa e deixá-la aqui nesta situação. Você sabe para onde devo telefonar para que alguém venha prestar socorro? Já tentei no 192 – SAMU e eles se negaram a vir”.

Continuamos a conversa e descobri que se tratava de uma senhora de nome Maria, que todos chamam de “Maria Louca”, figura conhecida, portadora de transtorno mental. Eu havia acabado de sair de uma reunião da Rede de Proteção Social onde foi feita uma explanação sobre os trabalhos do CAPS, e o nome daquela senhora havia sido mencionado. Definitivamente não existe coincidência, meu marido estava na hora certa, no lugar certo. Tínhamos que encontrar abrigo, atendimento médico e o que mais fosse necessário para tirar aquela criatura de Deus daquela situação.

Se o SAMU se negara, quem sabe o 190 da PM? Os funcionários do Posto já haviam tentado e não tiveram sucesso. A PM não iria, já conheciam “a figura” e não se dariam ao trabalho de ir lá buscá-la. Pensei em mandar que a levasse no HUST, se tinha um pé ferido precisaria de atendimento médico, mas pelo o que visto não era nada muito grave, o sangue já estava seco e não havia hemorragia. Não seria caso para hospital. Um abrigo, um albergue, a família, isso sim era do que necessitava!

Tratei de fazer umas ligações para descobrir como resolver o impasse. Descobri que ela é moradora de Joaçaba. Fiquei mais tranquila afinal de contas eu moro aqui, faço parte do Conselho de Assistência Social e da Rede de Proteção Social. Sendo em Joaçaba eu conseguiria alguém ou uma forma de ajudar a Maria. Consegui o telefone da responsável pelo CREAS, eles trabalham com abordagem de rua e conhecem a família.

Quando telefonei para meu marido ele me disse que a Maria estava sendo levada para o HUST. Fiquei aliviada, mas também muito indignada com o que me fora relatado: Uma caminhonete do Corpo de Bombeiros encostou no Posto de Gasolina, meu marido foi em sua direção para agradecer o pronto atendimento. O Bombeiro respondeu que não foi atender a nenhum chamado, foi apenas abastecer a viatura. Quando meu marido falou da Maria, o Bombeiro deu de ombros, ignorando os fatos narrados.

Diante desta situação só restou ao Branco solicitar o nome do Bombeiro e fazer pressão para que, pelo menos, olhasse aquela senhora. Ele estava a trabalho, estava usando uma viatura, por que não atender alguém que precisa de socorro? Chegou a comparar os nossos cachorros da fábrica, que estavam quentinhos com serragem nas casinhas, com aquela criatura que tiritava de frio. Não seria humano deixá-la daquele jeito.

Pois bem, meio a contragosto calçou as luvas e examinou o ferimento. Constatou também que a respiração da Maria estava ruim. Resolveu levá-la para o hospital. Meu marido foi atrás (é caminho para nossa casa), ela chegou ao HUST. Em casa tratamos de telefonar para o hospital para saber mais notícias e para perguntar qual seria o destino da Maria. A atendente disse que ela já era conhecida e que assim que tivesse alta uma ambulância a levaria para casa. Agradeci e fiquei tranquila. Maria não estava mais nas ruas passando frio e correndo o risco de morrer de hipotermia...

Na quarta-feira, ouvindo rádio, escuto uma entrevista com o Major Emerson Emerim que nos orienta a telefonar para o 190 da PM caso encontremos alguma pessoa em situação de perigo durante a noite, para que seja encaminhada a algum abrigo, pois por conta das baixas temperaturas o risco de morrer é grande.

Pois é! Na noite anterior os funcionários do Posto telefonaram para o referido número e não obtiveram a resposta desejada. Viaturas passaram por ali e sequer reduziram a marcha... E agora como ficamos? Ou o atendimento foi negado pelo fato daquela senhora já ser conhecida de todos? O fato de ela ser “louca” a faz inferior a qualquer um de nós? A faz merecer estar nas ruas passando frio e ferida?  Há abrigos em nossas cidades? Estamos preparados para socorrer quem precisa?

Com a palavra nossas autoridades.

12 de jul de 2010

NA CASA DO COLONO TEM:


Ø tem coltrina ao invés de porta;

Ø tem um pijáme bom pra no causo de baxá hospital e uma ropa bonita pra ir na missa;

Ø chinela havaina com a tira arrebentada e com um preguinho debaixo;

Ø tem umas perna de salame dependurado no poron;

Ø filho de colono tem sempre o nome importado tipo: Vádson, Adnosvaldo ou simplismente o apelido de Nêne;

Ø tem o calendário 'Santo Antônio' na parede da sala;

Ø tem sempre um pé de gavirova na frente da casa, pena que é tudo bichada, mais o dono sempre come. Diz que o que não mata ingorda;

Ø tem uma mesa comprida, com gaveta e o baralho ensebado drento;

Ø tem o canivete em forma de foice pro fumo;

Ø tem umas lata no alto do balcão da cozinha com farinha, arroiz, erva, açucre... aquelas que os nêne sentam em cima pra fica no tamanho da mesa;

Ø tem roupa secando no tampo e nos ferrinho do fogão à lenha, aceso o ano intero e com a chalera que nunca sai de cima;

Ø tem no porão um saco de ráfia pendurado, com um monte de otros saco de ráfia drento;

Ø tem patente ou tem banheiro, mas é do lado de fora;

Ø na patente tem sabugo,revista velha ou jornal no lugar do papel higiênico;

Ø tem os remédio pra berne e sarna dos bicho em cima da geladera;

Ø tem uns pé de bergamota, lima ou laranja do céu do lado da casa, onde que os cusco ficam deitado o dia inteiro;

Ø tem umas par de garrafa de refri 2L com vinho ou cachaça drento, umas de butiá, otras de mato q faz bem pros rim;

Ø tem a varinha atrás da porta pra tocá os gato pra fora;

Ø tem telefone com antena externa e uma bateria de caminhão;

Ø tem um sabugo de milho enrolado com um pano pra tranca a água do tanque;

Ø tem compota e as chimia de tudo os tipo em cima do balcão;

Ø tem meia dúzia de galinha ponhedera solta no pátio que vão virar brodo qualquer dia;

Ø tem as toalhas de mesa floreadas pra usar quando vem os parente ou as visita;

Ø tem aquele fusca 75 estacionado na garagem;

Ø tem casca de laranja pendurada atrás do fogão a lenha pra faze chá;

Ø tem pedaço de xinela havaiana pra fazer a porta para de bater;

Ø tem batata doce e amendoim assando no fogão a lenha;

Ø tem pôster do Grêmio ou do Inter campeão. Bemmmm de antigamente.

Ø tem ratoeira armada em tudos cantos da casa;

Ø tem o tanque de concreto que os nêne toma banho nos dia quente com a água que a nona lavo a ropa, com o sabão de soda, claro;

Ø tem umas vaca de leite que vão carniá qdo fica gorda;

Ø tem os taro de leite tudo batido de caí de cima do toco da estrevaria;

Ø tem o quadro dos bisa, quando eram novo, na parede da sala;

Ø tem o espelhinho laranja no banheiro e o estrado de madeira pra tomá banho, onde que cai o sabão e você não consegue pegar;

Ø tem aquelas flor de plástico que põe água com acucre pro beija-flor i toma;

Ø tem o loro falando com a nona e que reza o pai nosso intero, de cor e salteado;

Ø tem pão sovado, salame, chimia e sagu pra comer, sempre;

Ø tem toalha de crochê enfeitando a mesa da cozinha;

Ø tem uma vassoura de galho pra varrer o pátio, escorada numa árvore;

Ø tem um guaipeca bernento chamado Toque, no terrero da casa acuando pros carro que passa na estrada;

Ø tem a foto do papa, na parede, tirada da revista Manchete de 1981;

Ø na roça tem sempre a pessoa que quando da uma trovejada de chuva, a pessoa diz que São Pedro ta jogando boliche no céu;

Ø os moveis são azul, vermelho ou bege;

Ø as paredes da casa são pintadas com cal misturado com alguma cor bonita como rosa, azulzinho fraca etc;

Ø tem os queijo secando na tábua pregada do lado de fora da janela;

Ø só não tem chave na porta da frente,a outra é com tramela, porque na colonha se vive assim, esse jeito simples e coração grande;

E só sabe o que é isso quem já conviveu assim, e quem sabe respeitar e dar valor aos queridos colonos, que vivem do suor sem muita bonificação. 

Que vivem na ingenuidade de não precisar ficar trancados em casa, pelo fato da violencia e bandidismo que temos a nos rodear na cidade.

Infância igual a de quem cresceu na roça ninguém tem igual, p
orque lá, se vive e aprende coisas que jamais se esquecem e não simplesmente deixa-se a vida passar por frente dos olhos.

COM CERTEZA TEM SEMPRE UMA PESSOA TE ESPERANDO DE BRAÇOS ABERTOS PARA TE ACOLHER A QUALQUER HORA DO DIA OU DA NOITE, QUE TE ABRAÇAM COM MUITA SIMPLICIDADE E COM MUITO AMOR.


Não tive minha infância na roça, ia somente nas férias, mas o texto me fez chorar de saudades daqueles dias...

Pequenas obras, grandes promessas (não cumpridas):

(Publicado no Jornal Cidadela em 09/07/2010)

Em 2008 um morador do bairro Santa Tereza me procurou para perguntar “se este lance de abaixo-assinado” funcionava, ele e seus vizinhos sofriam com uma curva fechada que um dia poderia matar alguém. Esta curva “caía” na Rua Luiz Zampieri e já era uma velha conhecida minha, pois quando morei no Flor da Serra era meu itinerário para ir e buscar minhas filhas na escola, todos os dias passava por ela, de vez em quando dava de cara com um veículo bem ali, era uma freada só!

Em 2009 os moradores fizeram o documento, levaram na Prefeitura e iniciaram a movimentação no sentido de abrir um pouco aquela curva. O que mais preocupava eram as crianças que transitavam por ali nas idas e vindas da escola, os pais temiam um atropelamento, coisa de desgraça anunciada. Anos atrás uma família já havia sido retirada dali para a execução da obra, de tanto que demorou o vizinho foi se espraiando. E o problema permaneceu ali.

O amigo Lori foi ter com o Secretário de Infraestrutura, pessoa de boa índole, capaz e interessado em melhorar nossa cidade, mas sem poder nenhum. Porque de nada adianta a criatura ter boas ideias se não lhe dão condições para implementá-las. Se ele um dia pagou do seu bolso botas para os trabalhadores, imagina se teria recursos para abrir o campo de visão daquela curva? Saiu sem nada fazer o coitado, frustrado e infeliz, a realidade lhe foi cruel.

Em 06 de outubro juntei-me ao grupo. Não sou moradora daquela rua, mas sou usuária da pista e sou testemunha do perigo iminente que aquela curva sem visão para a rua representa. Fomos atrás do Vereador Vastres (pobres edis, têm sido o último recurso de tanta gente desesperada), ele foi conversar com o Vice Prefeito para ver uma solução rápida. Em 05 de novembro conversei com o Vereador e ele me disse que o Joventino ainda não havia ido lá, mas que iriam colocar uns tachões porque a PMJ estava sem verba para abrir o campo de visão.

Já em 13 de maio deste ano, meu amigo Lori foi entrevistado pelo Canal 21, pois o problema permanecia. Nem tachões (creio que por conta da proibição) e nem uma plaquinha sem-vergonha (que não estão proibidas, né?!). Filmaram e mostraram para quem quisesse ver que a má vontade associada à incompetência já tinha um ícone! A esta altura aquela curva já tinha sido batizada de “Curva do Lori”, de tanto que este moço correu atrás da solução!

No final do mês de maio o Secretário Venilton foi entrevistado na Rádio UNOESC FM. Aproveitei para perguntar sobre a “Curva do Lori”, se alguma coisa estava planejada para a solução daquela pendenga. Respondeu no microfone, para todos que têm ouvidos de ouvir, que em 30 dias tudo estaria resolvido. Beleza! Até 30 de junho e tudo estaria “nos trinques”!

Pois é... Em 03 de julho o presidente da Associação de moradores do Bairro Santa Tereza envia um e-mail para o Vereador Dr. Mário. Essa história eu já sei onde vai acabar... Só digo uma coisa: que ninguém apareça para pedir votos, bem capaz de serem recebidos à bala!

....e quem quiser saber mais do assunto vai na comunidade do Orkut de nome JOAÇABA, lá existe o tópico “Abertura do Campo de visão da Rua: Luiz Zampieri”, tem fotos, tem depoimentos de moradores, tem todo o debate. Fiquem à vontade.

9 de jul de 2010

Onde está ANDREZZA??

Desde o dia 17 de junho esta menina desaparaceu da cidade de Luzerna/SC. Durante dias a polícia manteve silêncio sobre as investigações.

Prenderam um rapaz que confessou que "cantou" algumas meninas da região onde Andrezza morava, soltaram logo depois. Alegam que o seu patrão errou em uma semana a informação da saída dele da empresa em que trabalhava...

E por que até agora não houve uma movimentação em nível nacional para tentar localizar a menina? Sou mãe, tenho duas filhas, eu estaria telefonando para Datena, Fatioli, Ratinho, e sei lá mais quem mexe com este tipo de matéria. Mas eu não ficaria calada!

Tudo muito estranho... 

Enquanto a mídia nos massacra com informações sobre o caso Eliza e Bruno, nossa menina é tratada como mais um caso a ser investigado por uma polícia do interior do Brasil. O que Eliza tem de melhor que Andrezza? 

A Policia reclama de boatos, mas só hoje veio a público confirmar que um dos boatos não era tão infundado assim, o moço trabalhava no Circo Rodeio Pop Star. Nada foi provado contra ele, as investigações recomeçam. 

Não seria mais produtivo se as informações fossem compartilhadas como no caso Eliza e Bruno e no caso daquela Advogada Mércia? Foi justamente através de informações da mídia que muitos fatos foram elucidados por conta de denúncias anônimas ou não.

Se alguém souber de algo ou vir este rostinho em algum lugar, por favor ligue para a polícia!

Andrezza Holtz - 12 anos - moradora da cidade de Luzerna, centro-oeste de Santa Catarina...

3 de jul de 2010

Onde mora o seu preconceito?

(publicado no Jornal Cidadela em 02/07/2010)

Esta semana um crime em especial em chamou a atenção, o assassinato de um jovem de 14 anos. O motivo? Ele era gay! Mais um crime bárbaro onde a vítima nada fez para ninguém, morreu por ser diferente. A diferença incomoda, o preconceito grita mais alto.

Não entra na minha cabeça este tipo de aversão. O que estas pessoas, que são um pouco diferente, fizeram de mal? Em que elas influenciam ou modificam nossas vidas? É uma escolha ou, quem sabe, o criador permitiu que a alma alojada fosse diversa do corpo usado. Que diferença isto faz?

Como as homossexuais mulheres costumam ser mais discretas, o maior preconceito recai sobre os masculinos. São eles vítimas de chacotas e do desprezo dos outros. Não faltam piadas de “bicha” nas rodas de cerveja, de futebol. Como se estivéssemos num patamar acima deles, como se fossem seres inferiores indignos do nosso respeito.

O que mais me enoja nesta história toda é que nós mulheres podemos/devemos sentir prazer em todos os nossos orifícios, basta assistir aqueles filmes XXX para ver isso. Já os homens são obrigados a ter sua zona erógena restrita ao órgão sexual, qualquer outro local pode significar que o cara “joga água fora da bacia”. Insensato este raciocínio, para não dizer insano.

Cada um faz da sua vida o que bem entender, o que não se pode á fazer mal aos outros. Conheço muitos “gays” que são exemplos de dignidade, de retidão. Suas opções sexuais não atrapalham em nada na hora de fazer o bem e viver em paz. Mas é lógico que o fato de uma pessoa ser homossexual não a faz melhor do que os outros, só a faz diferente.

No meio político temos homossexuais, assumidos ou não, muitos outros usam este argumento para denegrir suas imagens. De vez em quando uma que outra história vem aos meus ouvidos, mas para mim não faz a menor diferença. Eles fazem o que quiserem em suas vidas privadas. A mim, e a todos nós, só cabe a obrigação de fiscalizar o trabalho como homens públicos. Com quem dormem, onde fazem suas festinhas, pouco deveria importar.
 
Ser gay ou não faz a menor diferença. Duro é ser corrupto! O engraçado é que as pessoas absorvem o fato de alguém ser corrupto como algo natural, mas não conseguem conviver com alguém que ama outra pessoa igual a ela. Enquanto o corrupto é um poço sem fundo de egoísmo e egocentrismo, o homossexual, via de regra, é uma pessoa solidária com o sofrimento alheio. Talvez isso se dê pelo fato dele saber o real significado da palavra “exclusão”.

Prefiro ter minha vida cercada por estas pessoas coloridas e cheia de alegria do que conviver com um corrupto... Aí reside meu preconceito!! Eu sou “corruptofóbica”! 


Há tempos atrás escrevi este texto: "Descobri um filho gay..." - Boa leitura!


2 de jul de 2010

Bateu o desespero nos caçadores!

Bateu o desespero? Não é a mim que vocês caçadores devem xingar, é o Dr. Delegado! Foi ele quem entrou no sítio e levou seus brinquedinhos. A mim só restou bater palmas e agradecer ao Criador e ao corajoso que, mesmo anônimo, deu um basta em tudo isso...

Mas pois é... Foi só eu ficar feliz com a apreensão de armas e restos de animais mortos para que chovesse impropérios comtra a minha pessoa. Eu me divirto, porque na falta de bons argumentos este tipo de gente parte para a baixaria...

Quem comenta educadamente tem meu respeito, não importando se é anônimo ou não, favorável ou não à caça. Agora quem se perde no meio do seu própiro destempero vem parar aqui óóóó!

Anônimo disse...grande merda de noticia!!! 
As armas apreendidas, ta todas no mapa do CR dele, tudo legalizado pelo exercito, vão ter que devolver tudo!  
e quanto as carcaças, pode ter herdado do avô a anos atraz ou de alguem que ja faleceu!  
e quanto as fotos, essas fotos podem ter sido tiradas em paises que a caça e totalmente permitida, como Uruguai, Argentina, canada, EUA! 
então parem de axar corno em cabela de cavalo!
Anônimo disse... Você tá falando de uma pessoa a qual desconhece mocinha! Nem poderia conhecer, você não faz parte do mundo das pessoas que "podem" viajar para o Uruguai , que podeeeeeeeeem ter uma arma legalizada! INVEJOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOSAAAAAA!!!! FEIOSAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!! 

Anônimo disse... VESGA FDP 

Anônimo disse... "Em países sérios caçadores andam de mãos dadas com verdadeiros ambientalistas."
falo tudo, verdadeiros ambientalistas, nao meia duzia de ativistas cegos e sem estudos, que acabam com varias especies pra fazer as lavouras de alfaces que enchem a barriga desse povinho..
e agora eu vo desabafar aqui HAHAHA
o cara que foi pego ai, tem grana pra pagar a fiança.. ele eh rel primario, vai sair dessa tranquilo, 95% dos caçadores vem de boas familias, são bem sucedidos na vida, pois esse é um esporte pra poucos, talves pra uns 20% da população desse país no maximo..
eu mesmo em 2008 fui pego, gastei 19 mil reais e to mais limpo do que sabão em pó hauhauhuahua
Estou aqui nesse exato momento digitando e olhando pro meu "arsenal" hahaha
Armas registradas, consiencia limpa e MUITO dinheiro no bolso HAHAHAHA
Abrxxx Clorofilaboys!! 




KKK vocês me enchem 
os bolsos de risada...