30 de ago de 2010

Alguém desenha porque eu não entendi... II A RESSACA MORAL


(publicado no Jornal Cidadela em 27/08/10) 

Semana passada, quando escrevi a minha coluna, o “Joaçaba Rodeio Fest” ainda não havia começado, eu apenas estava na expectativa de que coisas muito ruins iriam a acontecer. De antemão protocolei uma um pedido de providências junto ao Ministério Público e ao Juiz da Infância e Adolescência. Apontei as mesmas preocupações que demonstrei aqui no último escrito.

Mas sem precisar ser vidente todos sabiam que o barulho iria incomodar a cidade inteira. Quem não sabe como o som se comporta? Aqui em Joaçaba até analfabeto sabe isso, todo carnaval acontece a mesma coisa. Todos compartilham da mesma festa, não importando se é do agrado ou se a religião permite. É um exercício de tolerância que fazemos pelo fato da cidade ser referência nacional neste tipo de festejo.

Na quinta-feira, já com tudo arrumadinho, com o auxílio das máquinas da Prefeitura (ou melhor, nossas máquinas) o som começou a ser testado. Eu no Cruzeiro do Sul já tive que subir o volume do rádio e continuar trabalhando. Era prenúncio de um martírio de quatro dias. Dito e feito! À noite a cidade se colocou em polvorosa, sexta-feira era dia de batente e todos se mantiveram insones por conta dos gritos ensandecidos que ecoavam até na cidade vizinha. Como se não bastasse as músicas de gosto questionável...

Não gosto de rodeios, contudo desta vez procurei ser o mais tolerante possível, afinal há quem goste dos olhos e outros da remela, mas não sou obrigada a participar de uma festim dos infernos onde animais são torturados e o instinto sádico é estimulado. Também não sou obrigada a ouvir “sertanojo” por quatro noites. É um direito meu, e ninguém tasca!

Daí o prefeito vem falar em “gosto”, eu respeito os gostos, até escuto música sertaneja, mas daquela boa, de raiz. Se o cara quer ouvir esta coisa que chamam de “sertanejo universitário”, tudo bem, mas eu não quero! Dá pra respeitar? Podem ouvir funk, hip-hop, o escambáu a quatro, mas obrigar todos a compartilhar dos mesmos barulhos já é um tanto demais...

E outra coisa: concordo com o prefeito quando fala em respeitar os gostos, ele tem toda a razão, mas desde que este gosto não seja ilegal ou imoral. Eu não respeito quem maltrata animais, quem usa a máquina pública para fazer evento privado, quem usa este evento para fazer campanha política ilegal, assim como não respeito quem tem atração sexual por crianças. Ou a gente devia respeitar?  

Nem vou entrar no mérito da falta de respeito com os animais porque este evento foi de uma total falta de respeito com cada um de nós joaçabenses. Se não respeitam humanos, imaginem o que fazem com eles... Pobres animais que sangraram na arena, que enterneceram os corações de muitos... A eles minhas orações e a promessa de continuar na luta para que seus direitos sejam, no mínimo, observados...

Mas e nós?! Quem protege a gente?? Quem garante nosso sossego e a integridade dos nossos bolsos? Porque, não bastando as máquinas, outros abusos aconteceram. Sob os olhos de quem deveria fiscalizar, sob os olhos de quem mais deveria zelar pelo patrimônio público. As autoridades se mantiveram caladas, isso quando não ensacaram a viola e saíram da cidade! Ficamos nós a mercê das vontades de algumas forças que muitos chamam de “ocultas”.

Formam quatro noites mal dormidas, muita gente telefonando para o 190 e sendo informada de que nada poderia ser feito porque havia autorização judicial para aquele “rendez-vous”. Daí ligavam para a delegacia de Polícia Civil para saber o que deveria ser feito. Registrar um Boletim de Ocorrência logo pela manhã era o conselho recorrente. Eu fiz isso no dia 24: BO n. 00280-2010-03268. Caso o Dr. Promotor ou o Dr. Juiz precisem, está à disposição.

Para o evento foram disponibilizados funcionários públicos e ambulância da Secretaria de Saúde do município. Levaram para o nosso já alquebrado hospital universitário, pessoas feridas e “peões de bosta” que tiveram o que mereceram. Se nossa Saúde passa por uma crise, não analisaram isso antes de trazer este tipo de evento que sempre demanda da estrutura de saúde dos municípios em que vai? Pagamos dos nossos bolsos a inconseqüência de alguns. Eu me nego a pagar esta conta! Não é conta nossa! Talvez a minha xará possa explicar melhor, quem sabe a gente entende...

Outra conta paga por todos nós foi a da energia elétrica! Domingo, na Cãominhada, o assunto rodava de boca em boca: havia sido feito um “gato”! Eu não entendo nada disso, mas meu marido sim. Na segunda-feira ele e um amigo subiram até o local do evento e constataram que era verdade o que se comentava à boca miúda. Trabalho bem feito, um “gato” feito por profissional! Três disjuntores muito bem instalados e fixados em uma tábua. Como ele estava indo de viagem somente registrou o BO no dia 24, mas fez questão de fazê-lo, afinal de contas furto de energia é crime! BO nr. 00280-2010-03267, caso o Diretor Regional da CELESC precise do documento ou de esclarecimentos é só procurar!

Outras barbaridades aconteceram como a cobrança do estacionamento em via pública, R$ 10,00 por veículo. Foi o que me contaram os que resolveram ir não evento. Apesar de ilegal eu ri muito! Se vão prestigiar os maus-tratos aos animais, ser extorquido é o de menos que poderia lhes acontecer. Também não havia fiscalização de trânsito e as ruas do entorno se transformaram em pistas de corridas. Mas tudo bem, os vizinhos já não dormiam por conta da música e da gritaria, freadas e buzinadas era o de menos, né?!

Crianças de todas as idades acessaram o evento. Eu sabia que muitas mães inconseqüentes acabariam levando bebês de colo naquele ambiente ensurdecedor. Dito e feito, relatos não faltaram sobre isso. E as crianças maiorzinhas tiveram a oportunidade de ver como é “bonito” um locutor mandar as pessoas à “p... que pariu”. Ótimo exemplo! E pensar que há quem pense que assistindo aos desfiles de Carnaval as crianças podem ser afetadas negativamente.... tsc tsc tsc

Pior de tudo é estar dentro de casa, tentando ver TV e ouvir agradecimentos a políticos e ao candidato que pretende ser o “nosso Federal”. Isso não é proibido? Pelo o que andei fuçando na lei 9.504/97, no seu art. 07 – “É proibida a realização de showmício e de evento assemelhado para promoção de candidatos, bem como a apresentação, remunerada ou não, de artistas com a finalidade de animar comício e reunião eleitoral.” Uma pena o Juiz Eleitoral não estar na cidade para ele mesmo ouvir com seus ouvidos de ouvir e ele mesmo tirar suas próprias conclusões.

Agora eu quero ver as autoridades agüentarem o repuxo dos donos de casas noturnas, clubes e do povo envolvido com o Carnaval e Carnafolia. Porque, ao contrário de alguns que são a favor ou contra conforme lhe tilintam os níqueis, eu sou a favor do que dita a lei, mas desde que esta lei seja igual para todos. Ou aqui impera a máxima de que “aos amigos os benefícios da lei, aos inimigos os rigores da lei”?

Como diz o Mário Serafim: “Essa, nem desenhando...”

P.S.: A foto acima é de um rODEIO em Ibicaré/SC.

O Sr. de chapéu cinza é o dito candidato que foi muito elogiado pelo César Paraná - JORGINHO MELLO - PSDB - grande apoiador de rODEIOs, amissíssimo do dono da Cia de rODEIO. Há quem diga que são até meio "sócios".

O do meio é o prefeito de Joaçaba, RAFAEL LASKE - DEMo - que vai a rODEIOs, circos com animais e se apresenta nestes "eventos". E não contente ainda usa a máquina pública do município de Joaçaba para pagar as contas e fornecer equipamentos públicos para o rODEIO.

O da direita é o atual governador de SC - LEONEL PAVAN -  PSDB - que banca estas barbaridades pelo Fundo de Turismo do estado!

27 de ago de 2010

DITADURA - Eu me lembro... De volta? Nem pensar!



PELAMORDEDEUS!

A Dilma pode não ser a oitava maravilha do mundo, ela tem defeitos como todos nós! Mas tentar usar sua luta durante a Ditadura é negar um movimento do qual eu peguei uma parte (final, é claro)! É negar uma luta que hoje nos dá o direito de escrever o que bem entender sem ter medo de "acordar" no fundo do Guaíba!

Eu lembro das pessoas aos prantos quando da Anistia! Eu lembro que todo mundo tinha medo de falar qualquer coisa que algum vizinho pudesse ouvir! Eu lembro que antes de qualquer programa de TV aparecia uma tela escrita "Censura Federal". Eu lembro do Figueiredo interrompendo a programação e colocando medo nas famílias...

Lembro das conversas de alguns tios meus que falavam dos estudantes que tombavam... Eles podiam não lutar por esta Democracia que hoje temos, mas lutavam pelo o que acreditavam ser melhor, tudo menos o terror de ver seus parentes e amigos sumirem!

Eu fui casada com um ex-agente do DOPS!! Um louco que acordava de madrugada teimando que alguém tentava entrar em casa e que por qualquer coisa explodia em raiva. Que nas horas de depressão, em que o álcool já lhe tirara o tino, vomitava os horrores que foram feitos naqueles anos idos!!

Tem coisas que não basta ler nos livros, tem que ter vivido ou ter sentado para ouvir quem viveu... 

Só pelo fato da Dilma ter assumido uma posição, já tem minha admiração. Se eu tivesse idade, naquela época, com certeza teria feito o mesmo. Ela não ganhou meu voto só por isso, entretanto sei que se for preciso ela não vai correr da raia como muitos preferiram fazer e voltar depois que a poeira baixou,  e que agora se lambuzam na liberdade que foi conquistada à fórceps por "sequestradores" ou "bandidos".

O cerne da questão é que as pessoas fizeram o que o momento histórico pedia, não dá para analisar as coisas de forma descontextualizada. Ou é ingenuidade ou é ma-fé...

 

26 de ago de 2010

Empresários são denunciados pelo Ministério Público por dívidas de R$ 750 milhões em impostos.


O juiz federal substituto da Corregedoria Regional do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, subseção de Caçador, Eduardo Correia da Silva, determinou o sequestro e indisponibilidade de bens dos ex-dirigentes do Grupo Perdigão Flávio Brandalise, Saul Brandalise Júnior e Ivan Oreste Bonato por sonegação fiscal.

Ontem, a Polícia Federal iniciou a ação de bloqueio dos bens dos três envolvidos, de 18 parentes deles e das várias empresas da família.

Com a medida, a Procuradoria da Fazenda Nacional vai poder direcionar as execuções fiscais para esses bens e assim garantir o ressarcimento aos cofres públicos dos valores que teriam sido sonegados.

Uma das operações da PF pôde ser acompanhada do portão de uma residência no alto do Morro das Antenas em Videira, no Meio-Oeste. A casa pertence a Flávio Brandalise. Durante a ação, o empresário chegou a espiar do alto muro branco o que se passava do lado de fora. Minutos depois, voltou para casa e conferiu de perto a listagem dos bens.

Embora não conversado com quem estava na rua, ele avisou aos policiais que estava incomodado com a presença dos jornalistas.

Foram cumpridos mandados também em uma loja de automóveis de Curitiba e em outra de materiais de construção na Capital.

Na argumentação que deu base à decisão, o Ministério Público Federal (MPF) afirma que os acusados teriam inserido informações falsas nos livros fiscais quando dirigiam o Grupo Perdigão (entre 1990 e 1994), simulado negócios jurídicos e omitido informações à Receita Federal para não pagar impostos. A sonegação chegaria a R$ 543,4 milhões, cerca de R$ 750 milhões em valores atuais.

Conforme o MPF, o esquema teria ocorrido em várias empresas então controladoras do Grupo Perdigão.

Uma das holdings, a Perbon Fomento Comercial, teria simulado a captação de empréstimos no exterior para ocultar rendimentos obtidos. Em 1991, um empréstimo de 10 bilhões de cruzeiros teria lastreado os lucros do grupo, que eram ocultados. A suposta empresa credora estrangeira tinha como procurador, no Brasil, o denunciado Ivan Orestes Bonato. O empréstimo foi fechado com contrato simples, sem garantia nem reconhecimento de firma. O Banco Central confirmou que o valor jamais entrou em território nacional.

Segundo o procurador da República em Caçador e autor da denúncia, Anderson Lodetti Cunha de Oliveira, esse suposto empréstimo no exterior mascarou rendimentos do fisco federal e gerou despesas fictícias.
– Como o rendimento entrou na qualidade de empréstimo do exterior, na contabilidade da empresa, eram lançadas despesas relativas à variação cambial e à correção monetária. Esse artifício reduziu o lucro da pessoa jurídica nos anos seguintes até quitar a suposta dívida – afirmou Oliveira.

Várias holdings teriam sido usadas para sonegação, desvio do patrimônio e dos rendimentos do Grupo e para ocultação dos nomes dos acusados como autores das operações. Serviriam ainda para distribuir patrimônio aos parentes, instituindo empresas hoje rentáveis. Para o fisco, sobraram as “empresas de papel”, sem patrimônio e inativas, com dívidas fiscais de R$ 750 milhões.

A apreensão de bens nos domicílios e empresas dos acusados foi executada, ontem, em Curitiba, Florianópolis, Videira e Imbituba. Também foram indisponibilizados imóveis, obras de arte, móveis, valores e ações e participações em pessoas jurídicas. – A medida é dura, mas é proporcional ao valor de sonegação – observou o procurador.

O Grupo Perdigão não é mais controlado pelos acusados. Hoje faz parte da BR Foods, empresa que surgiu da associação com a Sadia.

Entenda o esquema:  clique aqui 

Fonte:http://www.portalcontabilsc.com.br/conteudo.php?id=4233

SE PROCURAREM DIREITO 
VÃO ENCONTRAR OUTRAS EMPRESAS 
AQUI EM JOAÇABA MESMO!

Isso que eu chamo de "cagar na calça sem sujar a cueca":

Pregão - Licitação N.º PL 65/2010/PMJ

Objeto da Licitação
  • Objeto da licitação: Contratação de empresas para prestação de serviços de sonorização e iluminaçãoo, serviços de segurança de eventos, bem como para locação de tendas, palcos, banheiros químicos e brinquedos, destinados aos eventos a serem realizados pela Assessoria de Turismo do Município de Joaçaba (SC), durante o exercício financeiro de 2010.
  • Situação: Aberta 
  • Publicado por: Prefeitura de Joaçaba(SC), em 09/08/2010.
  • Data de Abertura: 20/08/2010
  • Horário: 14:00
  • Local: Prefeitura de Joaçaba
    Secretaria de Gestão Administrativa
    Av. XV de Novembro, 378, Centro
    Joaçaba  SC

Detalhes:

PREFEITURA MUNICIPAL DE JOAÇABA - PMJ
Processo Licitação nº 65/2010/PMJ - Edital PP nº 28/2010/PMJ
Credenciamento e entrega dos envelopes: até às 14h do dia 20/08/2010.
Data da Abertura dos envelopes: às 14h do dia 20/08/2010.
Encontra-se disponível no site
- Edital completo, disponibilizado na data de 10/08/2010. 
- Atas, disponibilizadas na data de 24/08/2010.
- Qualquer dúvida ou problemas com o download do arquivo, os interessados poderão entrar em contato através do e-mail
comprasjba@joacaba.sc.gov.br ou através do telefone (049) 3527-8805 / 3527-8828.
SITUAÇÃO DO PROCESSO: EM FASE DE RECURSO 

Veja você mesmo clicando aqui...

!!!!!!!!!!!!

ALGUÉM EXPLICA ISSO!!!
OS EVENTOS COMEÇARAM NO DIA 19!!
"INCRUSIVE" AQUELE RODEIO QUE INSISTEM EM DIZER QUE NÃO TEM VERBA DA PREFEITURA DE JOAÇABA!!!


EM BREVE MAIS INFORMAÇÕES...

Tenta pedir informação pelo e-mail,
olha a resposta:

This is the mail system at host pleskgw03.admincontrolpanel.com.

I'm sorry to have to inform you that your message could not
be delivered to one or more recipients. It's attached below.

For further assistance, please send mail to

If you do so, please include this problem report. You can
delete your own text from the attached returned message.

                   The mail system<compras@joacaba.sc.gov.br>: host 200.234.201.104[200.234.201.104] said: 550
    sorry, no mailbox here by that name. (#5.7.17) 

(in reply to RCPT TO command)

25 de ago de 2010

Em Joaçaba o Touro teve seu dia!

Uma pena que foram apenas algumas costelas...

Presta atenção no agradecimento à Secretaria de Saúde! 

Fazem evento privado com a máquina pública por trás!!

É um bando de chupim mesmo!!

Chama ao ladrão!! Chama o ladrão!!


Sacos de jornal - ECOLOGICAMENTE CORRETOS


Recebi por e-mail, não conheço o autor. 
Caso alguém saiba, avise-me para os créditos e os elogios...

Dia desses, quando recusei a sacolinha plástica numa loja, ouvi da moça do caixa: mas como você faz com o seu lixo? Não foi a primeira vez que me perguntaram isso. A grande justificativa das pessoas que dizem que "precisam" das sacolinhas é a embalagem do lixo. Tudo bem, não dá mesmo pra não colocar lixo em saco plástico, mas será que não dá pra diminuir a quantidade de plástico no lixo? 

Melhor do que encher diversos saquinhos plásticos ao longo de uma semana é usar um único saco plástico dentro de uma lixeira grande na área de serviço, por exemplo, e ir enchendo-o por alguns dias com os pequenos lixinhos da casa (da pia, do banheiro, do escritório). 

Se o lixo é limpo, como de escritório (papel de fax, pedaços de durex, etc), pode ir direto para a lixeira sem proteção. No caso dos lixinhos da pia e do banheiro (absorventes, fio dental, cotonetes), o melhor substituto da sacolinha é o saquinho de jornal. Ele mantém a lixeira limpa, facilita na hora de retirar o lixo e é facílimo de fazer. Leva 20 segundos. 

A ideia veio do origami, que ensina essa dobradura como um copo. Em tamanho aumentado, feito de folhas de jornal, o copo cabe perfeitamente na maioria dos lixinhos de pia e banheiro que existem por aí. Veja:

Você pode usar uma, duas ou até três folhas de jornal juntas, para que o saquinho fique mais resistente. Tudo no origami começa com um quadrado, então faça uma dobra para marcar, no sentido vertical, a metade da página da direita e dobre a beirada dessa página para dentro até a marca. Você terá dobrado uma aba equivalente a um quarto da página da direita, e assim terá um quadrado.
Dobre a ponta inferior direita sobre a ponta superior esquerda, formando um triângulo, mantendo a base para baixo.
Dobre a ponta inferior direita do triângulo até a lateral esquerda.
Vire a dobradura "de barriga para baixo", escondendo a aba que você acabou de dobrar. 
Novamente dobre a ponta da direita até a lateral esquerda, e você terá a seguinte figura:
Para fazer a boca do saquinho, pegue uma parte da ponta de cima do jornal e enfie para dentro da aba que você dobrou por último, fazendo-a desaparecer lá dentro.
Sobrará a ponta de cima que deve ser enfiada dentro da aba do outro lado, então vire a dobradura para o outro lado e repita a operação.
Se tudo deu certo, essa é a cara final da dobradura:
Abrindo a parte de cima, eis o saquinho!
É só encaixar dentro do seu cestinho e parar pra sempre de jogar mais plástico no lixo!

VALE A PENA TENTAR



24 de ago de 2010

CAVALGADA ACONTECERÁ APESAR DOS PROTESTOS...


MAIS UM MOTIVO PRA MANDAR 
A TRÍPLICE LAMBANÇA
E SEUS  CANDIDATOS PARA O ESPAÇO!! 

ESPERAR O QUÊ SE EM JOAÇABA
O JORGINHO MELLO TROUXE UM RODEIO 
QUE ULTILIZOU MÁQUINAS DA PREFEITURA PARA ARRUMAR O TERRENO PARTICULAR, 
FEZ "GATO" PARA 
O FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA, 
USOU AMBULÂNCIA E FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS PARA LEVAR OS PEÕES DE BOSTA E AS PESSOAS QUE SE MACHUCARAM PARA 
O HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA CIDADE...

Recebi do Instituto Nina Rosa  
Que feio pra Santa Catarina!!!

Fonte: mensagem de Antonio Seron

Em virtude das manifestações contrárias a realização da "Cavalgada da Morte" em Nova Trento SC, com o envio de milhares de e-mails às autoridades, estas promoveram uma reunião e, pasmem, decidiram pela REALIZAÇÃO da Cavalgada. O Estado de Santa Catarina, através das instituições, referendou as demonstrações de fé à custa do sofrimento alheio e dará todo o apoio com o dinheiro público.

Através da formalização de um Termo de Compromisso de Ajustamento de Conduta TAC lavrado no dia 19/08/2010 e assinado pela CIDASC (Companhia Integrada de Desenvolvimento Agropecuário de SC), Polícias Militar e Civil, e o Ministério Público Estadual, autorizaram a ABRACAMP (Associação Beneficente Recreativa Amigos e Cavaleiros de Madre Paulina), promotora da 18ª Cavalgada da Morte nos Caminhos de Santa Paulina, através de seus organizadores, a realizarem a judiação de cavalos se cumprirem três obrigações (aberrações):

 1 – Providenciar as devidas licenças (o que já é obrigatório); 
 2 - Dispor de um caminhão para recolher os cavalos mortos e feridos durante o trecho;
 3 – Divulgar o teor do TAC na imprensa para que todo mundo fique sabendo da conivência do poder público.

 A partir daí, estão autorizados a promover a barbárie, sob os olhares das instituições públicas como Polícia Militar, Polícia Civil, CIDASC e MP que deverão fornecer todas as licenças e o apoio operacional para a realização do evento. A bebedeira estará liberada durante todo o evento, porém, os organizadores devem orientar os embriagados que evitem jogar as latinhas no trajeto, a fim de evitar poluição ambiental (todos irão obedecer). O veterinário contratado pelos organizadores, caso seja solicitado pelo cavaleiro embriagado, relatando que seu animal está à beira da morte pela axaustão física ou psicológica, deverá fazer o possível e o impossível para que o bicho não morra. As Polícias Militar e Civil além da CIDASC deverão fornecer todo o apoio operacional e as licenças para que o evento aconteça. 

 Interesses econômicos e políticos se sobrepuseram sobre os valores fundamentais, como o da compaixão ensinada por Santa Paulina. A fé será manifestada com exemplos de maldade e desrespeito à vida, com a submissão dos animais à tortura Tudo isso irá acontecer em Santa Catarina/Brasil na cidade de Nova Trento sob os olhares do Estado, que disporá de toda sua estrutura, através das instituições de segurança e sanitária animal, que muitas vezes o cidadão não encontra quando solicita. Omisso ou ingenuamente, o Estado acredita que cinco mil seres racionais cavalgando sobre cinco mil seres irracionais OU VICE VERSA, durante 30 quilômetros vão respeitar as regras impostas, depois de estarem sob efeito de álcool. 

 Repúdio Total! Nunca mais visitem Santa Catarina nem a cidade de Nova Trento.

20 de ago de 2010

Alguém desenha porque eu não entendi...

(publicado no jornal Cidadela em 20/08/10)

Se a frase de Ghandi que diz que “a grandeza de uma nação se mede pela maneira de como ela trata seus animais” estiver certa – acredito que sim – está explicado porque Joaçaba tem andado em marcha ré nos últimos anos, em especial neste mandato: a mentalidade predominante é que temos o direito de dispor de qualquer forma destes nossos irmãozinhos menores. A arrogância toma conta e apequena as pessoas.

Temos um prefeito que mentiu na cara dura durante toda a campanha eleitoral Se fez de bom moço, que ama e respeita os animais. Apareceu na TV acariciando bichos, se comprometeu em comícios de que seria vigilante quanto aos direitos destes seres. Passados vinte meses do seu mandato provou exatamente o contrário, alem de não ajudar, incentiva os maus tratos!

Falou na minha cara que era contra animais em circos. Bastou o primeiro circo passar por estas cercanias e correu atrás para trazê-lo para a cidade. Nem se deu ao trabalho de impedir o uso de animais, como sensatamente fez o prefeito de Luzerna. Fez mais ainda! Fez papel de palhaço! Apresentou-se no picadeiro e virou alvo de chacota nas esquinas e cafés.

Agosto é mês de aniversário da cidade, devemos comemorar! Mas que tipo de festa é esta que se comemora com o sofrimento de seres indefesos? Voltamos ao tempo das arenas onde o populacho se divertia vendo o mais fraco ser massacrado? Naquela época cristãos faziam as vezes de vítima, agora são nossos irmãos animais...

Revira o estômago de qualquer pessoa com o mínimo de sensibilidade. Seres insanos se comprazem com o desespero alheio. Em se tratando de termômetro de desenvolvimento de uma civilização, estamos séculos atrasados em permitir ou silenciar diante desta afronta à Criação!

Fui atrás, não podia acreditar que mais uma vez nosso prefeito estaria mancomunado com o Esquerdo. Sim o “Esquerdo”, porque nosso Deus de Paz e de Amor não pactua com isso. O Mal, a falta de ética, de amor, de caridade é que se alimentam do sofrimento alheio. Nada que traga qualquer aflição que seja a qualquer ser da Criação pode ser entendido como bom. Basta colocar a mão na consciência para se ver o desatino que é um rodeio!

Tiraram o corpo fora, alegaram que desta vez o prefeito não era responsável pelo evento. Algumas pessoas me confidenciaram que uma rádio local estava envolvida, que tinha interesse no resultado do evento, outros citaram o nome de um candidato que teria uma dívida antiga a ser paga. Essa coisa de ano eleitoral, fazer evento desta envergadura traria voto blá blá blá.

Quantos aos votos, desde já aviso que será um tiro no pé. Se fazer um rodeio dá visibilidade a alguns candidatos sem coração, por outro lado eles perderão muitos votos, pois seus nomes serão amplamente divulgados como pessoas que compactuam com o sofrimento alheio. E quem não se apieda dos animais, não se enternece com crianças carentes, doentes em filas... E se tem um grupo engajado é o dos protetores de animais. O rodeio acaba em poucos dias, nossa luta é para sempre, dia e noite há um protetor trabalhando para conscientizar as pessoas...  É mais fácil o candidato ser lembrado pelo mal que fez aos animais do que os abraços e acenos que distribuiu num rodeio!

Não bastando minha indignação pessoal quanto aos maus tratos a que os animais são submetidos nestes eventos, surgiram outras questões:

1 - Vários empreendimentos foram interditados e até mesmo eventos como formaturas foram proibidas por conta da perturbação que causa aos vizinhos. Por que este evento em especial teve tratamento diferenciado se, além das abomináveis e barulhentas provas com animais, haverá shows nacionais, queimas de fogos e uma tenda com música eletrônica no estilo das “Raves” que funcionará noite adentro?

2 - Censura livre? Com shows, bebidas e uma festa eletrônica? Quando dos desfiles das Escolas de Samba o Juiz da Infância e Juventude proibiu o acesso de crianças pequenas nas arquibancadas, temia pela integridade delas, o que tem meu aplauso. Bem próximo ao local há uma comunidade carente, por certo muitas das crianças e adolescentes dali e das residências de todo o entorno irão ao evento, correndo risco de acessar bebida alcoólica e de sofrer algum tipo de acidente na via que é bastante movimentada. Onde reside o tão decantado zelo pela integridade de nossas crianças?

3- A Prefeitura não tem nada a ver com o rodeio, certo?! Pelo menos é o que tentaram me convencer nestas últimas semanas. Então por que as “nossas” máquinas foram utilizadas para preparar do terreno onde haverá o evento? Se o imóvel é de propriedade particular e a Cia. de Rodeio é uma empresa privada? E por que quando um “colono” pede que alguma máquina seja usada nas estradas do interior a resposta é sempre que não há disponibilidade?

4- Me falaram que o rodeio foi patrocinado pelo Governo Estadual da Tríplice Lambança através do Fundo de Turismo. Virei os sites oficiais para descobrir o quanto esta empresa vem abocanhando dos cofres públicos. Tive curiosidade de saber até porque a gente ouve a LIESJHO se lamentar da falta de repasse para nosso Carnaval, daí o motivo de sangrar os cofres da Prefeitura. Alguém já parou para pensar que a cultura americana parece ter mais valor do que a nossa? E olha que as Escolas de Samba têm um trabalho social bem bacana em nossas cidades...

Pois é, minha indignação extrapola os limites da proteção animal. Sou uma cidadã consciente e ciente de que há muita coisa estranha acontecendo. E o povo de Joaçaba fica feliz em ser feito de idiota. ACORDA JOAÇABA! Enquanto eles usam a filosofia do “pão e circo”, metem a mão nosso bolso, negligenciam nossas necessidades, zombam de cada um de nós. E ainda levam nossos votos...

Jorginho Mello - PSDB 
é candidato a Deputado Federal 
Nestas eleições mande ele para onde merece!!
Inferno não, tenho pena do Diabo....

19 de ago de 2010

Touro invade arquibancada lotada - ESPERO QUE ACONTEÇA O MESMO AQUI EM JOAÇABA !!



Já que, por ingnorância ou insensatez, pelo descaso (ou a conivência) da autoridades haverá o maldito rODEIO desta Companhia de m&rd@ que vive às custas do sofrimento dos animais [e de umas ajudinhas do Governo Estadual de Santa Catatarina] vou torcer para que o mesmo aconteça aqui em Joaçaba  e se morrer criança, não vou ter pena! Quem sabe assim aprendem...

Político que der as caras neste "evento dos infernos" vai ter seu nome divulgado por toda a inernet! Cambada de sem-vergonha!!!!! Onde já se viu tentar se promover às custas dos bichos????

18 de ago de 2010

Nosso Trânsito: Onde está a polícia?


(publicado no Jornal Cidadela em 13/08/2010)

Semana passada o amigo Luiz Robério escreveu sobre o trânsito de Joaçaba, fez um arrazoado muito bacana, de quem entende do que está tratando. Nós moradores não somos da área do Urbanismo, mas sabemos que do jeito que está não dá mais pra ficar. Muita coisa pode e deve ser feita, mas colocar policiais na rua já seria um bom começo...

O nosso trânsito já é ruim pela quantidade de veículos que circulam e fica pior ainda com os motoristas, motociclistas e pedestres mal-educados que temos. Se não tiver alguém que bote ordem na casa aí sim que o caos se instala. É cada um pensando em resolver o seu problema e dane-se o resto. Gente mal-educada somada à falta de policiamento dá nisso que temos: um trânsito que, guardadas as devidas proporções, é indiano.

Pedestre tem a preferência, desde que esteja na faixa e o farol não esteja fechado para ele. Aqui todos se sentem no direito de atravessar em qualquer lugar até mesmo sem se dar ao trabalho de olhar para os lados! Tudo bem, o motorista daqui está acostumado com esta “barda” dos nossos pedestres, mas e se for alguém de fora? Sem falar que não basta um veículo frear, os detrás têm que estar preparados, senão é acidente na certa. E cada vez que um pedestre atravessa o trânsito todo para. Que se aumente no numero de faixas, que as pessoas, pelo menos, esperem e olhem para os lados ao atravessarem as ruas.

Os motoristas daqui não sabem pra que serve a seta, ela é ignorada de uma forma que chega a ser revoltante. Saem da vaga de estacionamento e entram na pista de rolagem sem sinalizar, mudam de pista como se estivessem sozinhos no trânsito e praticamente não sinalizam quando vão dobrar uma esquina. Puxa vida! Às vezes uma seta ajuda um motorista a saber para que lado o outro vai, e daí nem precisa ficar esperando na esquina segurando os que vêm atrás. Mas tem que esperar até o “beleza” dobrar para saber para onde ele queria ir...

Cruzamento é outra coisa que parece que não foi ensinada nas auto-escolas. Nas cabeceiras das pontes vemos muito isso. Para ganhar um lugar à frente o sujeito se enfia logo atrás da fila e tranca todos os outros que querem seguir por outro sentido. Não anda nem ele e nem ninguém.

Farol alto e de neblina são uma praga! Dá a impressão de que o sujeito liga tudo para mostrar que tem estas luzes no veículo. Parece que não sabe que o farol alto tem situações específicas para ser usado, bem como o tal farol de “neblina”. E ainda por cima ficam bravos quando alguém lhes joga luz nos olhos para ver se param com esta idiotice de andar por aí cegando os outros.

Motociclistas se comportam como se estivessem andando de bicicleta: ultrapassam pela direita, não dão seta, passam sobre as calçadas. Quando estou de carro fico de olho no retrovisor direito, só controlando os espertinhos que insistem em passar pela direita, ao primeiro sinal vou encostando o carro e fechando para ver se o dito cujo se toca e volta para a pista de rolagem. Quer ultrapassar? Vá pela esquerda! Pior de tudo é que fazem isso sobre as pontes!

Pois é... Os gestores públicos são incompetentes em não resolver a parte que lhes compete, mas nós cidadãos, com e sem rodas, também temos uma grande parcela de culpa nesse entrevero. Se não somos educados temos que ser orientados, controlados e multados pela Polícia. Mas esta é ausente, ou só aparece para fazer blitz e operação “multa da zona azul” como no ano passado.

Gosto das blitzes, servem para averiguar a situação dos documentos dos veículos e condutores. Mas bem que poderiam verificar a situação das lâmpadas dos veículos (carros e motos), o que tem de gente andando com as luzes queimadas, causando transtorno para os demais motoristas... Já que pararam, que verifiquem tudo, mas que não seja mais um motivo para emitir multa e sim para orientar o motorista, por vezes nem se sabe que alguma lâmpada está queimada.

Falando em orientação, é isto que não vejo nas nossas ruas. Não há guardas de trânsito nos cruzamentos, nem nos horários de pico, nem em hora alguma. Fica aquele “deus nos acuda” onde cada um tem que adivinhar e rezar para conseguir um espaço para entrar aqui e ali. Não estão nos cruzamentos, não estão nas ruas. Todo mundo faz o que quer e como quer. Sabendo que o policiamento ostensivo é uma das atribuições da Polícia Militar e serve para a manutenção da ordem pública fica a pergunta: Onde está a polícia??

13 de ago de 2010

A enganação que é o rODEIO:




Nada contra os shows. Cada um gosta do que quiser. Mas se divertir às custas dos pobres animais é muita filhadaputice!!!

Os políticos que se fizerem presentes terão seus nomes amplamente divulgados para que todas as pessoas saibam quem compactua com o sofrimento animal.


Animais não votam, nós votamos por eles!!!!

Os "cowboys": Jorginho Mello - PSDB, Rafael Laske - DEMo, Leonel Pavan - PSDB





HOJE VOU FALAR SOBRE RODEIOS. RODEIO É UM VERGONHOSO LIXO CULTURAL NORTE AMERICANO ONDE OS ANIMAIS SÃO SUBMETIDOS ÀS MAIS CRUÉIS TORTURAS. NÃO ME REFIRO AQUI A CAVALOS E BOIS DE RAÇA. FALO DOS POBRES PANGARÉS VIRA-LATAS.

E NÃO ME VENHAM OS DEFENSORES DESSA INDÚSTRIA, TÃO MILIONÁRIA QUANTO IMBECIL, AFIRMAR QUE PULAM DAQUELA MANEIRA PORQUE SÃO BRAVOS E SELVAGENS. AQUELES POBRES ANIMAIS PULAM DE DOR! 

NOSSO ROMÂNTICO JECA TATÚ HOJE SE CHAMA JOHN WAYNE, UM PEÃO COWBOY, UM ATLETA PROFISSIONAL DA CRUELDADE. 

O POVO BRASILEIRO É FESTEIRO POR NATUREZA E OS RODEIOS SERIAM ABENÇOADOS NÃO FOSSEM AS BARBARIDADES JÁ FARTAMENTE COMPROVADAS, MAS TODAS FEITAS ÀS ESCONDIDAS DO PÚBLICO. 

UMA ARENA COMO ESTA PODERIA APRESENTAR ATRAÇÕES ESPORTIVAS DE VERDADE, VÁRIOS GRANDES ATLETAS DO BRASIL ESTÃO SEM PATROCÍNIO OU INCENTIVO ALGUM. A FESTA NÃO PERDERIA SEU BRILHO, NÃO DEIXARIA DE GERAR EMPREGOS E AS CRIANÇAS PRESENTES APRENDERIAM ALGO MAIS DIGNIFICANTE. 

NO ENTANTO ESTE ESPAÇO É PREENCHIDO POR UMA CORJA DE SANGUINÁRIOS CUJO “ESPORTE” (!?!) É LAÇAR BEZERRINHOS INDEFESOS, INSTALAR SEDÉM NOS MACHOS, ENFIAR CACOS DE VIDRO E CIGARROS ACESOS NAS FÊMEAS, E OUTRAS PRÁTICAS NAZISTAS...PARA QUE AO ABRIREM OS PORTÕES DA LIBERDADE ESSES ANIMAIS ESCRAVOS AINDA SE SUBMETAM A MAIS HUMILHAÇÕES DIANTE DE UM COLISEU IGNORANTE. ABAIXO A DITADURA DO SOFRIMENTO ANIMAL! 

ABAIXO A TORTURA! "EU ODEIO RODEIO! (Riita Lee )


SAIBA MAIS SOBRE RODEIOS 
CLICANDO AQUI

Fica a pergunta para os joaçabenses me responderem: Quanto o governo do Estado de Santa Catarina repassou para o Carnaval de Joaçaba pelo Fundo de Turismo e quanto repassou para a Cia de Rodeio César Paraná?

9 de ago de 2010

ANIMAIS NAS RUAS - DE QUEM É A RESPONSABILIDADE?

Sexta-feira, dia 13 de agosto, às 16:h,  haverá um debate na Rádio UNOESC FM 106,7 para tratar deste problema que vem crescendo a cada dia em nossa cidade.

Estarei lá para apresentar algumas sugestões de solução para o problema e mostar para todos que a Prefeitura de Joaçaba vem jogando nas minnhas costas esta responsabilidade. 

Quase todos os dias alguém telefona para a minha casa dizendo que foi a Prefeitura que mandou me ligar. Como se eu tivesse alguma obrigação!

Detalhe - a Prefeitura nunca deu nem um centímetro de esparadrapo para a ONG ou para qualquer protetor independente!

Votem e escutem, pois todos tiram o seu da reta e mandam os problemas para nós protetores, inclusive a Polícia!

8 de ago de 2010

Da utilidade à futilidade:


(publicado no Jornal Cidadela em 06/08/10)

Certa feita numa postagem anônima no meu Blog alguém teceu um crítica bastante ácida ao jeito que tenho de me vestir. Eu ri muito com tudo o que li, mas confesso que depois fiquei preocupada. Aquele comentário era a prova cabal de que nossa forma de vestir passou da utilidade para a futilidade. O vestir-se é um dos fatores que vem tornando nosso mundo cada dia pior, mais desigual, mais degradado e degradante...

A roupa surgiu como forma de proteção, nos primeiros tempos ou era uma tanga sumária, ou eram peles que recobriam os corpos para os protegerem do frio. Hoje ela é mais um sinal de status. “Eu preciso andar na moda, eu preciso ter roupas desta ou daquela marca para ser mais bem aceita na sociedade. É assim que o jogo funciona, é assim que devo me portar.” Uma ova!

Tenho pena de quem pensa assim, tenho mais pena ainda das pessoas que se endividam para parecerem melhores diante dos olhos dos outros. Tenho pena do planeta que a cada seis meses vê suas reservas sendo novamente exploradas porque existe um sem-número de cabeças ocas que acreditam que se tornarão melhores pelo o que vestem.

Quantos pés nós temos? Dois. Pois é! Tem gente que tem síndrome de centopéia, porque tem um armário lotado e sempre repete que “está sem sapatos”. Compra, compra, compra... Ainda se doasse algum, poderia amenizar a culpa pelo consumismo medíocre, mas não, jura que haverá uma ocasião que este ou aquele cairá como uma luva. E lá se vão anos de mofo sobre um calçado que poderia estar nos pés de alguém que precisa.

Roupas então? Vejo as vitrines. Um ano a moda são listras na horizontal, no outro na vertical. Logo mais listras são um dos ícones da cafonice. E há quem vá comprando, comprando, comprando... Enchem-se armários e gavetas, mas o ser que se veste não se torna melhor por conta disto. Talvez até o contrário, pois ele passa a acreditar que é melhor do que os outros por conta de estar mais parecido com aquele boneco de gesso da vitrine do que seu companheiro do lado.

O que faz alguém diferente não é o que lhe cobre o corpo, isto pode ter o condão de causar a ilusão de superioridade, mas nunca substituirá o que se tem dentro da cabeça. Enquanto uns gastam horas escolhendo o que vestir, outros preferem colocar a roupa que lhe fique mais confortável e abrir o jornal antes do dia de trabalho começar. É uma questão de preferência, ou melhor, de prioridade.

Outros também observam que o planeta já está exausto, que não temos o direito de continuar usufruindo de tudo como se saísse de uma fonte inesgotável. Preferem optar por usar o menor número de peças pelo maior tempo possível. Uma declaração de respeito ao meio ambiente.

Há os que não têm condições e compram o que podem ou usam o que ganham. Estes são os que mais sofrem. Não têm nem a opção de ser bem ou mal vestidos por conta de suas convicções. São o resultado desta nossa sociedade. Não se vestem, não moram, não comem como gostariam.

Eu me enquadro um pouco em cada uma das situações: não perco meu tempo escolhendo esta ou aquela roupa, tenho a quantidade suficiente para me vestir e me calçar, sobrando eu dôo para quem mais precisa, não compro nada que esteja além das minhas condições e estou atenta para o consumo consciente.

Posso não me enquadrar nos padrões hoje vigentes, mas sou feliz e tenho a consciência tranqüila, pois sempre que sobra de um lado, falta de outro; isso é inexorável... E aos que ainda têm aquele pensamento mágico (da fonte inesgotável e de se tornar melhor pelo o que se veste) está mais do que na hora de cair na real e olhar mais adiante do que a vitrine da sua loja preferida...

4 de ago de 2010

PT DE FLORIANÓPOLIS É CONTRA O ESTALEIRO DO EIKE BATISTA EM BIGUAÇU

Não sei como a candidata Ideli Salvatti
vai se posicionar agora,
mas eu torço para que ela mude de ideia 
e reveja sua forma de pensar... 
 
NOTA DO PT DE FLORIANÓPOLIS

Tendo em vista a polêmica proposta de instalação do estaleiro da OSX na cidade de Biguaçu e seus reflexos e impactos em toda a Baía Norte na Grande Florianópolis, o Partido dos Trabalhadores de Florianópolis vem à público se pronunciar:

Somos sabedores da importância que vem tendo a indústria naval no Brasil, outrora saqueada no período em que reinou no país o governo de cunho neoliberal.

Hoje, fabrica-se, por exemplo, plataformas marítimas em solo brasileiro e, no período anterior, comprava-se a preços absurdos equipamentos precarizados e com tecnologia obsoleta.

Temos plena consciência de que foi justamente durante o governo Lula que houve investimentos e o ressurgimento desse importante setor, criando cerca de 200.000 empregos diretos e fazendo-nos depender menos de tecnologia estrangeira.

Sabemos ainda do papel destacado de Santa Catarina nesse setor, constituindo-se no 2º maior pólo naval do país.

No entanto, consideramos que devemos levar em consideração o diagnóstico apresentado pelo ICMBio – Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade alertando para conseqüências ambientais profundas na região, caso se concretize o empreendimento.

Ademais, não foram levadas a sério as possibilidades do empreendimento ser instalado em regiões com menor impacto ambiental e social, como por exemplo o entorno natural da indústria naval catarinense que é a área de Navegantes/Piçarras/Itajaí ou a faixa litorânea com um dos menores PIB per capita e que padece com maiores índices de desemprego que é a região de Laguna/Imbituba, cujos estuários não necessitariam de processo intenso de dragagem, como é o caso da Baía Norte na Grande Florianópolis.

Com o fetiche da criação de centenas de empregos, há uma subestimação profunda dos impactos negativos que podem ser causados em cadeias produtivas que se consolidaram na nossa região, tais como a maricultura, os serviços relacionados ao turismo e a pesca artesanal.

O “debate” em torno do empreendimento, com o auxilio maniqueísta de parte da mídia se transformou em uma espécie de terrorismo econômico que usa a chantagem da suposta “desistência” de implantação do empreendimento em solo catarinense como “argumento” mais robusto.

Usa-se e abusa-se da desqualificação de qualquer raciocínio que busque ponderar as conseqüências negativas que o pretendido empreendimento possa causar, taxando todo e qualquer questionamento como contrário ao desenvolvimento do nosso estado.

A Executiva do PT de Florianópolis, defensora do desenvolvimento, da geração de emprego e renda, equilibrada com a manutenção da riqueza que atrai milhares de brasileiros e estrangeiros para a nossa região, que são nossas belezas naturais, se posiciona contrária à instalação do pretendido empreendimento na Baía Norte na Grande Florianópolis pelas razões acima expostas, clama por maior tolerância e respeito ao debate sobre o processo de desenvolvimento na nossa região e nosso estado, defendendo a idéia de que o empreendimento seja viabilizado em terra catarinense, em região com menor impacto negativo de natureza ambiental, social e econômico.

Florianópolis, 04 de agosto de 2010
EXECUTIVA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES DE FLORIANÓPOLIS