30 de set de 2010

LISTA NEGRA DA PROTEÇÃO ANIMAL - SANTA CATARINA!

ATENÇÃO PROTETORES E SIMPATIZANTES!

ANTES DE VOTAR VERIFIQUE 
SE O CANDIDATO 
NÃO SE ENCONTRA
NESTA LISTA!

ELES TÊM HISTÓRICO DE APOIO A RODEIOS E CIRCOS COM ANIMAIS!



 
Jorginho Mello - Deputado Estadual/SC
Romildo Titon -Deputado Estadual/SC
Gisa Giacomin - Prefeita de Catanduvas/SC
Hilário Chiamulera - Prefeito de Lacerdópolis/SC
Ari Ferrari - Prefeito de Ibicaré/SC
Armindo Haro Netto - ex-prefeito de Joaçaba/SC
Jair Lorenzetti - Secretário da SDR de Joaçaba/SC
Nelson Guindani - Prefeito de Herval d'Oeste/SC (sob análise porque foi muito bacana apoiando protetores quando da instalação do circo, está na lista por ter ido a rodeios, nada de ativamente)
Elói Hoffelder - Vereador de Joaçaba/ SC
Romeu Rabuski - Prefeito de Treze Tílias/SC
Joventino de Marco - Vice-prefeito de Joaçaba/SC
Wilmar Carelli - Prefeito de Videira/SC
Rafael Laske - Prefeito de Joaçaba/SC 

Leonel Pavan - (ex)Governador de Santa Catarina
Luiz Henrique da Silveira - Ex-governador de Santa Catarina 

Os que fazem vistas grossas ou apoiam a Farra do Boi:
Casildo Maldaner
Adelor Vieira
Esperidião Amin

Caso você tenha algum novo nome,
favor postar nos comentários que eu atualizo a lista, mas tem que ter provas e justificativa. 

Não basta agir pelos animais. 
Para representá-los (e também a nós) 
o candidato deve ter sua FICHA LIMPA. Acesse http://www.excelencias.org.br/ 
e digite o nome do parlamentar.



ATUALIZAÇÃO 19/01/2012


ADAIR CERON - Vice Prefeito de Herval d'Oeste/SC

Adélio Spanholi - Prefeito de Piratuba/SC 

Claudirlei Dorini - vice-prefeito de Piratuba/SC






OBS - não interessa o partido do "fofo", sacaneou nossos amigos animais, vai pra lista!

29 de set de 2010

Vamos garantir Ideli no 2º turno em SC!

 Vamos às ruas para garantir Ideli no 2º turno
e a vitória de Dilma no domingo

Segundo a pesquisa VOX POPULI, Dilma tem em SC 43% dos votos, contra 35% de Serra.

Para o governo do estado, na espontânea, temos os seguintes números: Colombo 30%, Ângela Amin 16% e Ideli 15%, com um número expressivo de indecisos: 35%.

Na estimulada, a pesquisa também mostra o empate técnico entre Ideli e Ângela Amin, embolando a disputa por uma vaga no segundo turno. Colombo tem 37%, Ângela Amin 21% e Ideli 18%, com 20% de indecisos.

Fica claro que nossa presença no segundo turno depende apenas de nós. Precisamos aumentar nossa presença nas ruas, dar mais volume para nossa campanha e disputar o voto dos indecisos.

Colombo, do DEM, sempre foi contra tudo que o Governo Lula fez. O DEM (PFL) participa do governo do estado há trinta anos, estando presente nos governos da Família Amin e do PMDB.

Já a família Amin governou o estado por muitos anos, sempre com a participação do DEM. Já governaram, não fizeram e agora prometem novamente.

E eles têm muito em comum: tem o mesmo berço político, representam a velha ARENA e governam para atender os interesses das elites.

Já Ideli Governadora, com o apoio de Dilma, vai colocar SC no mesmo rumo do Brasil, promovendo desenvolvimento econômico com justiça social.

Santa Catarina vai ganhar muito com Ideli.



27 de set de 2010

A Geração Y:

(publicado no Jornal Cidadela em 24/09/10)
 
Gosto de conversar com minhas filhas, agora que elas estão adentrando a vida adulta isso ficou muito mais prazeroso. Parece que aquele ditado que diz “filho de tigre já sai malhado” é a mais pura verdade. Com a mais velha eu tenho aprendido muito, ela mergulhou no mundo acadêmico de tal maneira que agora é melhor eu ouvir mais e falar menos. A mais nova ainda está se debatendo por conta da escolha da futura profissão, e como ela ainda está sob minhas asas, conversamos sempre e sobre todo o tipo de assunto.

Certo dia falando sobre os jovens entramos do debate sobre a Geração Y, logo já fui dando meu parecer de que se tratava de uma geração alienada e, apesar de ligada em todos os tipos de mídias, era desconectada do mundo real. Esqueci que ao meu lado estava uma “representante da classe” então ouvi todos os argumentos que ela tinha para me fazer mudar de opinião. Ainda bem que eu não tenho compromisso com o erro, pois ela me apresentou um texto que havia escrito na escola e eu me vi obrigada a rever meus (pré)conceitos:

A geração Y e os desafios do século XXI

Resultado da soma de vários acontecimentos e diversos pensamentos desenvolvidos ao longo do tempo, a geração Y surgiu totalmente modificada e com outra mentalidade, diferente das outras gerações.

Taxados como preguiçosos, egoístas e superficiais, uma idéia um pouco equivocada sobre esta nova geração, desenvolverem habilidades muito características da era em que vivemos, onde a tecnologia auxilia em tudo e a informação percorre o mundo em apenas um segundo. Fazer várias coisas ao mesmo tempo, resolver problemas com apenas um clique, manter contato social através de uma tela são capacidades que muitas vezes foram mal interpretadas pelos mais velhos, julgando-os como distraídos, ineficientes e egoístas, mas o fato é que essa geração tende simplificar as coisas tornando-as mais práticas e fáceis.

Avaliando as gerações anteriores e apontando os pontos críticos, a geração Y tenta mudar valores implantados por uma sociedade com pensamentos “ ultrapassados”. Esses novos jovens que estão sendo formados se preocupam com própria saúde, meio ambiente e seu próprio bem estar. O uso de álcool e drogas, pro exemplo, hoje é mais controlado e consciente devido às informações de fácil acesso à população que antigamente eram restritas e manipuladas, quando uma geração desregrada não tinha idéia do que estava fazendo com si mesma.

O meio ambiente, também desgastado pela juventude passada para o desenvolvimento da sociedade, hoje é preservado pela geração Y que utiliza a tecnologia de uma maneira sustentável, tentando reparar ao máximo os danos causados anteriormente e tentando aliar a natureza com o desenvolvimento sustentável.

Além disso, a geração Y, quebrando a regra de que deve-se escolher a faculdade mais lucrativa, o trabalho com mais status social, trabalhar a vida toda no mesmo emprego e juntar a maior quantia de dinheiro possível, está caminhando cada vez mais para a realização pessoal optando por estudar o que realmente se gosta, mudar de emprego para experimentar atividades novas e até mesmo trabalhar menos para dedicar seu tempo livre à família e lazer.

Devemos rever nossos conceitos sobre essa “auto-priorização” da geração Y e perceber que, com essas novas habilidades, os jovens podem nos trazer um mundo mais simples, saudável e feliz.

Camila Berka (16 anos)

23 de set de 2010

A resposta certa para e-mails mal-intencionados dos demos-tucanos:

Amigos,
Segue uma belíssima resposta para estes e-mails mal-intecionados que chegam aos montes em nossas caixas. O engraçado é que nem se dão ao trabalho de jogar a informação no Google e ver o tamanho da barbaridade. Chega a ser uma afronta à inteligência alheia, mas nada supera os que tratam da Bolsa Família de R$ 1.500,00 e do Auxílio Reclusão "inventado pelo Lula que dará R$ 758,00 para cada preso". É de chorar... 
\/
\/
Colegas,

Meu nome é Juarez Vieira e estou respondendo a este e-mail em virtude do tom da denúncia nele contida, apesar de não ter sido a mim interessado.

Os demo-tucanos estão desesperados, agora deram para colocar em dúvida a lisura do processo eleitoral pelo uso das urnas eletrônicas. Estranho que tais denúncias não tenham proliferado em 1994 e 1998 quando FHC foi eleito presidente nos primeiros turnos daquelas eleições.

Eu conheço várias pessoas que votarão na Dilma.

Talvez o autor do comentário de que "não conhece ninguém que votará na Dilma" tenha entre seu círculo de amizades pessoas economicamente privilegiadas, cujas discussões giram em torno de notebooks, TV´s de plasma ou de Leds, automóveis novos e outros assuntos envolvendo o aumento de bens materiais. Com certeza se buscasse entre as pessoas que melhoraram suas vidas nos últimos 8 anos, certamente encontraria muitos eleitores da Dilma.

É indiscutível que o país melhorou muito nos últimos 8 anos, com milhões ascendendo à classe média. Entretanto, como vivemos numa sociedade que privilegia o TER ao invés do SER, e não basta que alguns tenham, é preciso que muitos não tenham para que sejamos mais valorizados. Ou seja, de que adianta eu ter um celular se até o catador de papelão também tem. Daí vem o imenso horror a qualquer iniciativa que vise reduzir as desigualdades.

HUMANISMO e a SOLIDARIEDADE são princípios que entendo fundamentais aos movimentos sociais. Daí a minha surpresa em ver alguém do MNLA divulgando "denúncia" que sabemos exatamente a quem beneficia, ou seja, àqueles que tem horror a qualquer melhoria de vida das classes menos favorecidas.

Será que há tanta dificuldade em reconhecer os avanços nas áreas de emprego, educação (PROUNI, Institutos Federais, novas Universidades Federais), Minha Casa Minha Vida, Bolsa Família, nos aumentos reais do salário-mínimo.

Contrariando a ELITE BRANCA, como chamada pelo ex-vice-governador de Sr. CLÁUDIO LEMBO, que sempre privilegiou nosso relacionamento com o império estadudinense, para não dizer subimissão e extrema dependência, o que nos colocava praticamente na condição de vassalos do império, o Presidente Lula saiu como um mascate mundo afora abrindo novos mercados.

Veio a crise de 2008, causada pela ganância dos bancos e dos especuladores, principalmente dos países ricos. E, o Brasil, para desespero dos arautos da catástrofe, passou muito bem, com a redução dos impostos, o PAC, o Minha Casa Minha vida. Realmente se não chegou a tanto, para o nosso país, chegou bem próximo da MAROLINHA criticada pela Elite Branca e o PIG (Partido da Imprensa Golpista), nas palavras de Paulo Henrique Amorim.

Só um pequeno exemplo de como o presidente "ignorante, com 9 dedos, que não fala direito, não tem diploma universitário" fez mal ao Brasil. Há cerca de 2 meses precisei de 3 orçamentos para uma reforma de uma sala onde trabalho. Contactei 25 empresas e, da maioria delas ouvi que, estamos com muito trabalho. Realmente a culpa é do LULA. Se fosse em 1999, sob o governo FHC, quando o dólar chegou a 4 reais, e entramos em crise, certamente haveria muitos interessados a fazer o serviço.

Como não têm mais o que criticar, ficam buscando com acusações destruir a campanha da Dilma.

Para quem está impressionado com a quebra do sigilo da Sra. Verônica Serra, aconselho ler a reportagem da revista Carta Capital n. 613 de 15 de setembro de 2010. Lá lerá que, segundo a revista, em 2001 ela era sócia de Verônica Dantas, irmã de Daniel Dantas, em uma empresa que violou o sigilo bancário de 60 milhões de brasileiros. Cumpre ressaltar que estou relatando o que consta da revista, mesmo artifício dos demo-tucanos que têm utilizado reportagens jornalísticas para, sem respeito ao devido processo legal e ao contraditório constitucionalmente assegurados, condenarem pessoas ligadas ao governo federal. As ELITES que só lêem a VEJA, O GLOBO, A FOLHA e O ESTADÃO certamente não tinham tal informação. 

Só para lembrar, consultem no Google o escândalo da espionagem promovido no RS, coincidentemente governado pela Sra. Yeda Crussius do PSDB.

Antes de passar um e-mail com acusações, acho importante nos perguntarmos: A QUEM ISSO BENEFICIA.

Atenciosamente,

Juarez Vieira

22 de set de 2010

Joaçaba, Herval d’Oeste e as muitas “bonecas”:

(publicado no Jornal Cidadela em 17/09/10)

Deixando a bola e a peteca,
Com que inda há pouco brincavam,
Por causa de uma boneca,
Duas meninas brigavam.

Dizia a primeira: “É minha!”

— “É minha!” a outra gritava;
E nenhuma se continha,
Nem a boneca largava.

Quem mais sofria (coitada!)

Era a boneca. Já tinha
Toda a roupa estraçalhada,
E amarrotada a carinha.

Tanto puxavam por ela,

Que a pobre rasgou-se ao meio,
Perdendo a estopa amarela
Que lhe formava o recheio.

E, ao fim de tanta fadiga,

Voltando à bola e à peteca,
Ambas, por causa da briga,
Ficaram sem a boneca ...

Quando cheguei aqui procurei uma casa para morar, a mim pouco importava em qual das cidades seria, era tudo a mesma coisa. Depois de alguns meses descobri que não era bem assim, sempre houve entre Herval d’Oeste e Joaçaba uma relação bastante conturbada.

Dizem que são cidades irmãs. Estão certos! Daquele tipo de irmãs que precisam conviver sob o mesmo teto, mas que se detestam. Uma sempre com inveja do que a outra tem de melhor, ou que tenta culpar a outra por erros seus. Luzerna fica de fora desta relação, como a irmã do meio é ignorada tanto pela mais velha quanto pela mais nova. Melhor assim...

Por isso do poeminha ali de cima. Uma bela alegoria para o que estamos vendo nos noticiários da região: cada vez que aparece uma questão que envolva as duas cidades é aquele jogo de empurra, aquela transferência de responsabilidade, aqueles comentários maldosos nos bastidores. Ambas sempre tendo a certeza de que estão com a razão.

De um lado uma irmã com um ego tão inflado que se acha na razão e no direito de exigir que as coisas aconteçam como ela quer e quando ela tem vontade. Do outro a que se sente mais feiosa e por conta deste complexo de patinho feio, não facilita muito as coisas. “Ceder” é algo que está fora de cogitação.

Nada consegue ser decidido ou resolvido pela via diplomática, discursos pseudo-educados de ambos os lados, mas nenhuma disposição para resolver os problemas se tiver que ceder um centímetro que seja. Enquanto isso as “bonecas da vez” vão se esfarrapando: o trânsito está cada dia mais caótico, a ponte capenga no risco de cair.

Espero sinceramente que estas meninas birrentas tomem juízo logo, antes que os engarrafamentos sejam inevitáveis por conta de não mais existir uma ponte ali perto da rodoviária... Daí sim, vai ser cada uma para o seu lado!

Em tempo: levei uma “puxada de orelha” por ter ignorado que os rapazes que carregavam o cartaz da Rede de Proteção Social faziam parte de uma ONG que acabara de ingressar neste grupo de trabalho. Fica aqui a correção: é a VOX Solidária se unindo às incontáveis entidades que trabalham para “melhorar a vida das pessoas”. Nem bem foi fundada e já está mostrando serviço, um belo exemplo para os órgãos públicos que perdem meses em reuniões e declarações à imprensa...

(O poema se chama “A Boneca” e é de Olavo Bilac)

16 de set de 2010

CAPINZAL APROVA A LEI DOS CIRCOS SEM ANIMAIS!


Foi na terça-feira, 14/09/10, que todos os vereadores da cidade de Capinzal/SC votaram a favor do  Projeto de Lei Legislativo nº 03/10, de autoria do Vereador Andevir Isganzella – que proíbe, no âmbito do Município de Capinzal, a utilização de Animais silvestres, exóticos ou selvagens, em apresentação de Circos e Congêneres.

Uma pena que os domésticos ficaram de fora, deixando assim que touros e cães continuem escravos...

Agora é só esperar que o prefeito sancione a lei, pois aqui em Joaçaba o PL também foi aprovado, mas o então o Prefeito Armindo Haro Netto (PMDB) vetou. Voltou para a Câmara que derrubou o veto, daí o prefeito vetou de novo. O vereador Juventino de Marco (PP) não foi à sessão para confirmar sua posição e por um voto o veto se manteve...

Lembrem bem deste nome Armindo Haro Netto, o homem que vetou duas vezes a lei que liberta animais do sofrimento dos picadeiros na cidade de Joaçaba/SC.

Em 2008 huveram novas eleições o então candidato Rafael Laske (DEMo) chamou a ONG para dizer que era contra animais em circos e que aprovaria a lei. O candidato a vereador Fabiano Piovesan (PV) prometeu reapresentar o projeto já em 2009, caso fosse eleito. Pois é, ambos estão lá e até agora nada!

É Joaçaba na contra-mão da história. Equanto cidades e estados se conscientizam com relação a este assunto, aqui o prefeito trai seus apoiadores e o vereador não cumpre a promessa (mas este aí ainda tem tempo e esperamos que ele se mexa, senão vamos ter que procurar outro, parados é que não vamos ficar).

13 de set de 2010

PROPAGANDA DE LHS EM VEÍCULO OFICIAL - Carro da Prefeitura com placas frias, material do PMDB e dinheiro!

SE NÃO É A GENTE GARIMPAR AS COISAS LÁ PELO LITORAL 
NADA É COMENTADO AQUI EM JOAÇABA! 
ELAIÁ... MAIS UMA KHDA DA TRÍPLICE LAMBANÇA!
 
 
 
Um automóvel Vectra, de propriedade da Prefeitura de Florianópolis, foi apreendido pela Polícia Rodoviária Federal. Mesmo sendo um veículo oficial, estava com placas frias e, ainda, transportando ilegalmente material de propaganda eleitoral do candidato do PMDB a senador, Luiz Henrique da Silveira. O Vectra, modelo 2010, também transportava propaganda da candidata à Assembléia pelo PMDB, Rose Berger, ex-esposa do prefeito de Florianópolis Dário Berger.
 
DINHEIRO - A PRF também encontrou no veículo oficial R$ 1.850,00 em cédulas de R$ 10,00 e R$ 20,00. O carro com placas frias foi apreendido no posto da PRF, na BR-101, em Biguaçu, e depois conduzido à Delegacia de Polícia de Biguaçu. O fato já foi comunicado ao Ministério Público Eleitoral e à Corregedoria Eleitoral do TRE-SC. O material de campanha é de dois candidatos do PMDB (Luiz Henrique da Silveira e Rose Berger) o mesmo partido do prefeito de Florianópolis, Dário Berger. São muitas as irregularidades detectadas em apenas uma apreensão. Propaganda política em veículo oficial, dinheiro fracionado que poderia ser utilizado para crimes eleitorais e, ainda, circulando com placas frias.

E AGORA? - Quem será responsabilizado por esses crimes? As candidaturas serão cassadas? Alguém irá para a cadeia? Ou, como fazem desde a Marlene Rica, jogarão a culpa no motorista? Essa apreensão é um forte indício de que não se trata de um caso isolado. A máquina administrativa da Prefeitura está a serviço do ex-governador Luiz Henrique e de candidatos do PMDB ou da tripaliança. Certamente o comportamento não deve ser diferente no Interior. Ou será que nos cabides das regionais não utilizam a máquina pública para fazer campanha?
 
 

O Desfile – fragmentos:

Sete de setembro, feriado espremido no meio da semana, um sol lindo lá fora, nada pra fazer, um Desfile Cívico programado, por que não? Lá fui eu com meu companheiro, seria bom reviver as emoções dos tempos em que a gente desfilava, olha que eram semanas treinando para a dita apresentação, uniforme impecável e muita euforia. Logo que chegamos ele se assusta ao ver que nada mais é como nos seu tempo de criança, as calçadas estão vazias, trazendo para nós uma realidade, no mínimo, esperada: o Sete de Setembro já não é mais o mesmo. Encontramos facilmente um lugar próximo ao meio-fio e ali nos postamos. Diante de nós está o palanque das autoridades.

Ando azeda por estes dias, magoada e com raiva de muita coisa que está acontecendo na cidade. Logo tasquei uma brincadeira: “Que limpeza seria uma bomba ali, né?” Um amigo ao lado sorriu. Depois olhei com mais cuidado e vi que ali havia quem merecesse ser poupado. Lembrei de Deus naquela passagem do Gênesis em que Ele diz que não destruiria Sodoma se ali houvesse dez justos que fosse. Havia gente suficiente lá em cima para que eu afastasse o meu pensamento. Não vale a pena. Mesmo assim fiquei observando os sorrisos falsos e os apertos de mãos mais ainda. Faz parte, Bete, você precisa entender mais de política(gem).

Tenho minha opinião formada sobre o desfile de Sete de Setembro, ele serviu muito bem num tempo em que o Estado precisava mostrar sua força e desfilava, em forma de festejo, todo o seu poderio. Lembro de caminhões do Exército, de soldados com armas. E nós estudantes de uniforme engomado marchando para ser o futuro do Brasil. “Esse é um país eu vai pra frente” dizia a música. E todos dançavam conforme a música fosse ela qual fosse, desde que tocada com a anuência do milico da hora. Eu só lembro do Figueiredo, minha idade não é tão avançada assim. Hoje tais eventos são completamente dispensáveis, outra coisa poderia ser pensada.

Como eu ainda carrego um certo ranço dos tempos em que se ensinava a cantar o Hino Nacional (ele sempre vinha impresso atrás dos cadernos) cantei praticamente inteiro. Minha memória não é tão privilegiada, lembrei bem da primeira parte, aquela que toca nos jogos da Copa, a segunda foi uma enrolação só! Não bati palmas, era uma afronta aplaudir algo que deveria ser reverenciado, mantive-me em posição de respeito. Logo depois dei graças a Deus por ver que o desfile iniciaria sem aqueles discursos inúteis que ninguém presta atenção e só serve para amaciar o ego de quem fala.

Começaram a passar diante de mim todo o tipo de entidade, escola, órgão. Comentei que havia sido convidada a participar da “festa”, faço parte da Rede de Proteção Social. Preferi declinar do convite. Nesses tempos de “tamanduá come formiga e elefante leva a fama” preferi não dar “ibope” para uma administração que não está merecendo. Pelo jeito nem eu e nem ninguém, pois os rapazes que levaram o bandeira da Rede nem parte dela fazem. São grandes amigos e cidadãos conscientes, talvez por isso tenham aceitado levar o símbolo da sociedade organizada para a solução dos problemas sociais. A Rede não poderia ficar de fora, ela é muito importante para os que dela necessitam.

A certa altura alguém fala ao microfone que Joaçaba prova que quando é desafiada a fazer algo as coisas acontecem. Eu não duvido! Pelo o que tenho visto por estes tempos, e pelo o que tenho lido dos doze anos anteriores, Joaçaba só permanece onde está pela garra e valor de seus moradores. Se formos analisar os governos que por aqui passaram e que ora aí estão, algo me diz que estaríamos em pé de igualdade com algumas cidades do Piauí. Graças a este povo empreendedor (ou teimoso como só os italianos sabem ser) Joaçaba ainda guarda resquícios de uma cidade pujante. Somos hoje o resultado da luta de cada morador, de cada trabalhador que dá sua contribuição pela nossa cidade. Isso ficou mais do que evidente nos rostos que passavam a minha frente, das entidades, dos sonhos.

As fanfarras foram algo à parte. Nem sabia que elas ainda existiam! Quando criança lembro bem que todas as meninas queriam ir à frente como destaque, mas este posto era de exclusividade das mais bonitas da escola, às demais cabia apenas ir com o resto da sala. Um senhor postou-se à frente do palanque com uma bonita Fanfarra. Apresentou quatro ritmos diferentes e depois pediu às autoridades que incentivassem este tipo de coisa. Ou seja, levaram um “esfrega” na frente de todo mundo! Uma pena que a ele não foi dado um microfone, pos certo seria aplaudido. Onde já se viu não dar o valor que aquelas crianças e jovens merecem? Enquanto estão ali estão longe dos males da vida.

Se eu já estava com um nó na garganta de ver as pessoas felizes desfilando e mostrando seus trabalhos, as lágrimas rolaram quando me aparece pela frente uma faixa que dizia “quem nenhuma família sofra pela dor de não saber onde está um filho”. Pelo amor de Deus! Onde está Andressa? Por que esta família ainda está sem resposta? Se é verdade aquilo que o pai falou de que notícias só viriam depois das eleições, o que devemos pensar? Enquanto isso o delegado responsável pelo “Caso Mércia” vem a público dizer que “não existe crime perfeito, existe crime mal investigado”. Que tapa na cara! Que soco nos nossos estômagos! Andressa não desfilou nem em Joaçaba, nem em Luzerna...

Voltei para casa sem saber se estava feliz ou triste, mas com a certeza que nenhum de nós tem do direito de desanimar. Esse ainda “é o país que vai pra frente”. Eu acredito nisso...

5 de set de 2010

Pato Branco dá uma surra em Joaçaba! Calçadas, jardins... Espia só!

Sábado estive me Pato Branco - PR - e tive a oportunidade de conhecer os trabalhos que a prefeitura de lá vem fazendo na cidade. Coisa de prefeito que olha para frente, pelos menos uns vinte anos à frente!


As calçadas são regulamentadas, nada de lajotonas medonhas que são rejuntadas com cimento que impermeabilizam o solo. Tudo é feito com um tijolo permeável e rejuntado com areia. Uma solução para as enchentes. Coisa de gente inteligente! 
 


Outra coisa que observei é que a acessibilidade é levada a sério, não se faz as coisas só para "cumprir tabela".  Lá os cegos não correm o risco de darem com a cara em orelhões, placas e outros obstáculos, e eles podem seguir o piso tátil! Lá  elsa não são essas "pegadinhas do malandro" que instalaram aqui. Em Joaçaba se o cego for seguir o que manda o piso, tá F...!

Rotatórias são lindos jardins e são feitas de modo a serem vista de longe. Diferente daqui que o turista percebe a rotatória quando já está passando por cima. Não é mesmo?!

Falando em jardins... Lá esta prática "criminosa" é amplamente difundida. Neste tempos de seca caminhões-pipa regam as plantas à noite. A cidade é um imenso jardim e quem danifica paga caro por isso. Se um carro bate e destrói alguma coisa o motorista tem que pagar o estrago. 

Antes que digam que eu sou "PT" e fiquem pensando que o prefeito de lá também é "PT". Ele é do PDT! Pra ser competente (ou incompetente) não importa o paritdo...

Pois é minha gente... Vejam o que a compentência e a boa vontade fazem...

E aproveitem a consultoria "de grátis", não gastaram diária nem nada!

Entenda um pouco mais clicando aqui:

OOPS - nem tudo é perfeito! Logo abaixo chegam as críticas de um morador, que inclusive me corrigiu quanto ao partido do Prefeito (putz grila, eita empresário mal informado esse que me disse que ele é do PSDB!). Mas as calçadas e jardins continuam de parabéns. :)

Teatro? Cinema? Cineteatro? Que importa!? Vamos aplaudir!

(publicado no Jornal Cidadela em 03/09/2010)

Tem tanta coisa acontecendo na cidade (e com a cidade) que eu estava na dúvida sobre o que escreveria esta semana. Primeiro pensei em escrever sobre uma licitação publicada no dia 20 de agosto, depois pensei bem e acho melhor eu ter mais informações, pois, se ficar provado o que me contaram, é de mandar dar uma surra de relho em uns e outros. Melhor deixar pra lá. Tem coisa boa acontecendo por aí, e é disso que eu vou falar!

O Teatro! Ah o Teatro! Um oásis nesta aridez de eventos que temos por estas bandas! Quanta coisa bacana o Teatro nos proporciona! Quanta emoção! Não me canso de olhar para os lados e “namorar” cada detalhe daquela construção. Se fosse escolher o que mais amo em Joaçaba nem hesitaria em dizer: o Teatro! Conheço vários, mas ele tem uma magia, um aconchego. Talvez seja a boa energia das pessoas que trabalham nele e por ele! Pra mim não existe outro!

Domingo teve o Concerto de Aniversário, Big Band Carlos Gomes novamente encantando todos. Nunca vi a platéia tão envolvida. Era uma verdadeira festa! Nem podia ser diferente, nossa Joaçaba estava sendo homenageada! Não me agüentei, fui lá e pedi pro Bolinha para que cantássemos “Parabéns pra você”. Ela estava de aniversário e merecia isso! O Telles puxou a cantoria, uns cantaram outros não, acho que ninguém esperava. Eu fiquei feliz. Joaçaba merece tudo de bom!

As músicas me remeteram à minha infância, minha mãe as cantava sempre. Ela tinha uma vida dura, mas sempre estava cantando. Quem canta seus males espanta, não é mesmo? E havia crianças aos montes! Pulavam na beirada do palco como em encantamento e peraltice, mas estavam tão felizes! Tão pequenos e tendo a boa ventura de ouvir música de qualidade. Desde cedo conhecendo o melhor que a arte pode nos proporcionar. Assim como eu, eles terão do que se lembrar...

Sendo um Concerto de Aniversário da nossa cidade dei por falta do prefeito ou de algum representante dele. Eu sei o evento não era oficial da Prefeitura, não havia a obrigação protocolar de comparecer. Mas o rodeio também não era evento oficial e ele foi bastante assíduo... A música era de boa qualidade, o ambiente era bom. Pena que não “rolava” uns “drinks” e nem um “karaokê”. Da próxima vamos ver se a SCAJHO providencia tudo isso, quem sabe assim ele comparece.

Mas voltemos às coisas boas! Segunda-feira teve cinema em Joaçaba! Novamente o Teatro cheio de gente animada por poder ver (ou rever) Mazzaropi na telona. Filme antigo, mas nenhum outro conseguiria fazer o que ele fez. Tanta gente rindo das tiradas do personagem ou da nostalgia dos tempos idos. Havia muitas cabeças brancas naquela platéia. Sim, Joaçaba reviveu uma emoção da qual eu não participei. Fiquei feliz em ver meu companheiro rindo feito criança. Ali todos ou eram ou voltaram a ser criança!

Não é bem um cinema, não tem pipoca nem guaraná. É um Cineclube cujo nome não poderia ser mais apropriado: “Cineclube Miguel Russowsky”. Tinha alguém por estas bandas que amasse mais o cinema do que ele? Quem é das antigas conhece a história dos cinemas daqui. E a gente entende que não pode ter pipoca, vamos cuidar muito bem no nosso Teatro, que ele dure muitos e muitos anos assim como está, com cara de sala de estar da nossa casa: aconchegante e familiar.

Eles emendaram o “longa metragem” com um “curta” feito pelo pessoal da UNOESC – O Caminho das Pedras. Depois abriu-se um debate. Muito bacana! Traz as boas coisas da sétima arte e aproveita o espaço para mostrar o que temos de bom em nossa região. E olha que andei pesquisando e tem muita coisa para ser apresentada! A produção é farta e de boa qualidade. Bons debates vêm por aí, nossas cabeças pensantes agradecem.

Por tudo isso e por todo o resto que o Teatro vem nos proporcionando só me resta agradecer e parabenizar o Bolinha e toda a equipe da SCAJHO que está de Diretoria nova, todos merecem nossos aplausos, e de pé! A vocês um “BRAVÍSSIMO!”. Mas tomem cuidado para não correrem o risco de serem multados. Afinal de contas aqui por estas paragens quem deixa a cidade melhor e mais bonita costuma ser punido, enquanto quem usurpa e avilta é exaltado...

2 de set de 2010

Empresário arranca flores de rótula em Joaçaba - mais uma KHda da administração Joaçabense!

Placas para incentivar plantio rendeu multa de quase R$ 4 mil

Indignado com uma notificação que recebeu da prefeitura, um empresário de Joaçaba, no Meio-Oeste de Santa Catarina, arrancou todas as flores que havia plantado em uma rótula no acesso Adolfo Zigueli, principal entrada da cidade. Ele alega ter apadrinhado o local há cerca de seis anos.

Nesse período, cuidou da beleza do local. E resolveu colocar placas para incentivar as demais pessoas a fazer o mesmo. Agora, terá de pagar duas multas, que somam quase R$ 4 mil.

Segundo o secretário de Infraestrutura, Venilton Teles, o problema é que as placas estavam fora do tamanho padrão e fixadas em terreno da prefeitura. Ele alega não ter conhecimento sobre leis municipais que permitam o apadrinhamento dos espaços públicos.

— Fizemos a notificação há cerca de 10 dias pedindo a retirada das placas. Como não houve, a multa foi expedida e não pode ser retirada.

A explicação não contentou o empresário Francisco Felippini. Ele alega que as placas tinham logomarcas minúsculas.

— Apenas vou pagar os impostos obrigatórios. Plantei as flores, coloquei lixeiros e as placas de incentivo. Se isso não foi o bastante, é porque a administração da cidade não merece — desabafa.

Fonte: Diário Catarinense