22 de ago de 2011

Vai uma pizza aí?


(publicado no Jornal Cidadela em 19.08.11)

Uma coisa eu não consigo entender: como uma pessoa pode criar uma situação para que se iniciem duas CPIs, ao final ajudar a redigir e aprovar os relatórios e poucos meses depois desdizer tudo como se não fosse nada? É bem do processo de cassação do Prefeito e do Vice que estou falando. Quem estava, viu ou ouviu a sessão da CMJ no dia 11.11.10 lembra bem disto:

(...) aquilo que foi apresentado nesta Casa foi notoriamente um modelo de gestão que está sendo focado em nosso município e que infelizmente esta Casa terá que tomar algumas posições drásticas sob pena do Legislativo perder a credibilidade e este é um ponto fundamental no processo e através do Requerimento nº 027/2010 estão justamente pedindo para que o Prefeito já tome as medidas cabíveis, suspendendo imediatamente esta prática sendo executada em nosso município. Continuou falando que a explanação do intendente foi na inocência e que o mesmo se preparou no mínimo uma semana para vir expor nesta Casa, mostrando a falta de conhecimento de gestão do poder público, e nem precisam ir atrás das provas, todas foram apresentadas ontem na explanação do Intendente da Agricultura e que deverá acontecer nesta Casa uma Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI. Falou também que precisam levantar a questão do uso de combustível em nosso município, para ver se está sendo corretamente efetuado (...). (ata da sessão 2788 CMJ)

Até março havia vereador que debatia em redes sociais dizendo que não cederia a pressões e que as investigações iriam até o final “doa a quem doer”. Parecia que nossa cidade respirava novos ares. Algo muito diferente da política clientelista e demagoga que estávamos tão acostumados. Eu mesma tinha muita fé nas palavras proferidas nas rádios locais. Haveria uma investigação e as coisas viriam para os eixos... Qual nada! Estamos em agosto e presenciando a preparação de uma pizza “tamanho cidade”...

Usando o direito que qualquer cidadão possui, eu e mais alguns cidadãos pedimos a abertura de um processo de cassação do Prefeito e do Vice. Detalhe: o que pedimos foi a abertura de um pro-ces-so, onde o direito de defesa é amplo e deve ser respeitado. Estava criada a polêmica. De um lado as vítimas e de outro nós ou algozes. Exercer o direito de cidadania virou crime de “lesa cidade”. Ficamos os sete atordoados, afinal se quem não deve não teme bastava se defender e provar a inocência. Era até uma oportunidade de calar os críticos de plantão.

Vieram ações, debates, discussões, insultos contra nós cidadãos. Chegaram ao ponto de nos agredir na nossa intimidade, foram baixos e vis. Tudo bem, quem era oposição virou situação, tudo precisava ser revertido. E cada um dá o que tem de si, não se pode esperar maçãs de um espinheiro... O jeito era nos mantermos firmes e torcer para que, pelo menos, o dito processo tivesse andamento.

Esta semana novamente tentaram encurtar o caminho engavetando o processo. Meu deus! Ficou evidente que as tais CPIs nasceram somente para ser uma moeda de barganha! E os cidadãos de bem acreditando em algo novo para Joaçaba... Ledo engano... Frustração... Decepção... Perplexidade... Ainda bem que três se mantiveram coerentes com os discursos lá de novembro e o processo continua.

Pois é... Parece que pizza é o prato da moda, mas não podemos esquecer que há outro relatório que ainda precisa ser analisado: o da CPI dos Combustíveis. Será outra pizza? Pelo visto tem gente que pegou tanto apreço no cardápio que agora até entrega em casa... Bom apetite!

Nenhum comentário:

Postar um comentário