21 de nov de 2011

Somente liberdade de expressão...

(publicado no Jornal Cidadela em 18.11.11)

Sábado passado um cidadão joaçabense fez um protesto contra a demora na solução da situação da rodoviária velha, fez panfletagem nos moldes do que vemos nos movimentos dos indignados que ocorrem no mundo afora, fez com base no seu amplo direito da livre manifestação. Falou sozinho, mas foi o eco de muitos.

Algumas pessoas desacostumadas a viver num sistema onde a liberdade de opinião é amparada em lei se sentiram incomodadas. Contudo muita gente sorria e o parabenizava pela iniciativa. Na verdade ele apenas pôs no papel aquilo que gostaria que todos soubessem e que os gestores públicos percebessem que o povo não é besta.

Entretanto, enquanto as cidades maiores já e acostumaram com manifestações como esta, nossa Joaçaba parte logo para a “rotulagem” e para as opiniões sem fundamento. Uns dizem que o senhor “não tem nada pra fazer”, outros já fizeram sua filiação no PT. Ninguém concebe que ele pode ser alguém que tem consciência da sua cidadania?

Pior de tudo é ver que as mesmas pessoas que fazem coro na reclamação são as primeiras a criticar quem ousa fazer algo diferente. Dá até a impressão que não passa de dor de cotovelo, aquela inveja por não ter tido coragem de fazer o mesmo. Aí o caminho é falar mal e desqualificar a manifestação.

Pior mesmo é saber que houve reação do tipo recado velado. Aqueles que são feitos na rua, com o carro quase parando ao lado de quem caminha. Conversa rápida, de pé de ouvido: “Bala perdida não tem dono”. Fácil ameaçar em surdina e negar veementemente depois. Duro é viver num país novo onde a liberdade é direito de todos.

E esta de dizer que foi coisa do PT? Nada soa mais ridículo! Já não sei se isto deve ser um elogio ao PT ou uma ofensa a quem fez a manifestação. Por um lado fica evidente que o partido em questão está tirando o sono de alguns, por outro dá a impressão que todo mundo é manipulável e só faz algo embasado em ordens de lideranças políticas locais. Seja lá o que for a “paúra” é grande.

Não, a pessoa em questão não fez nada por força de algum partido, muito menos pelo fato de não ter o que fazer. É um trabalhador e justamente por isso se revolta em ver que alguns ganham para enrolar. Se estivesse na iniciativa privada já tinha ganho o “bilhete azul”. Todo mundo ganhando de uma forma ou de outra, nem que seja tempo. “E o povo ó!”.

Hoje estou “curta e grossa”, sem muita paciência para tudo o que ouvi durante esta semana, portanto só deixo para os amigos o recado de que ano que vem as coisas serão um pouco diferente, parece que até que enfim Joaçaba saltou do século XVIII para o XX (XXI já seria pedir demais).

A partir de agora parece que o povo começa a perder o medo de se manifestar. Parece entender que não há lei que proíba alguém de dizer ou escrever o que pensa. Nem lei, nem ameaças. Agora só falta criar vergonha na cara e parar de vender voto por um santinho grampeado com uma “garoupa”...

Nenhum comentário:

Postar um comentário