15 de fev de 2012

Moção sobre o caso Marcelino Chiarello, vereador assassinado em Chapecó/SC:

O Diretório Nacional do PT, reunido no dia 9 de fevereiro de 2012 em Brasília, diante do atraso na apuração dos responsáveis pelo assassinato do companheiro professor MARCELINO CHIARELLO, vereador do PT no município de Chapecó, em Santa Catarina, aprovou a MOÇÃO a ser enviada ao Governador do Estado de Santa Catarina, Sr. João Raimundo Colombo, nos seguintes termos:

No dia 28 de novembro de 2011, o vereador Marcelino Chiarello foi brutalmente assassinado em sua residência. Marcelino morreu denunciando e combatendo a corrupção em Chapecó. A trajetória do professor e vereador ficou marcada na historia política como uma grande liderança, que teve a vida pautada por sua conduta ética, enfrentando com combatividade todos os tipos de injustiças sociais e atos ilícitos na política.

Passados 73 dias do ocorrido, o Partido dos Trabalhadores, diante de tantas interrogações e morosidade na apuração dos fatos, solicita que o Senhor Governador exija da Secretaria de Segurança Pública agilidade na conclusão dos laudos, empenho para o esclarecimento dos fatos, com imparcialidade e independência, bem como, a garantia de acesso a todas as informações sobre o caso aos advogados da família da vítima.

Tais solicitações são decorrentes de fatos e contrainformações que vem sendo divulgadas, uma delas, e mais grave, foi a entrevista no dia 06/02/2012, concedida pelo delegado geral de polícia, Aldo Pinheiro D’Avila, à Record News, em que ele afirma que o inquérito havia sido concluído, apontando como causa morte suicídio, sendo que um dia depois os delegados que acompanham o caso desmentiram a informação, através de nota à imprensa.

Todo e qualquer crime contra a vida deve ser imediatamente investigado e exemplarmente punido, dentro das regras do ordenamento jurídico brasileiro. Em face dos fortes indícios de motivação política, as instituições democráticas e o próprio estado democrático de direito sofrem grande abalo, já que Marcelino foi assassinado no exercício democrático de sua função de legislador e fiscalizador, outorgado pelo voto popular.

Quais são as razões deste crime bárbaro? Quem são os assassinos? E quem são os mandantes? Quais os motivos para tamanha violência? A sociedade brasileira quer e precisa saber.

O PT está vigilante para que este crime não fique sem respostas.
  
Brasília, 09 de fevereiro de 2012
Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores

Nenhum comentário:

Postar um comentário