7 de fev de 2012

Organizar e juntar as diversas contribuições, sem questionar, ouvindo apenas, honrando os diferentes entendimentos...

Por Rodrigo Bernardi
  
Organizar e juntar as diversas contribuições são alguns dos dispositivos que o Coletivo Nefelibata (CN) propõe a partir do diálogo entre o universo das artes, da sustentabilidade e o entretenimento. O momento é de colocar em prática as ações previstas em médio e longo prazo: o Sarau Quintal (2012) e o Mercado Nefelibata (2013).
  
Uma de nossas metas para este semestre é desenvolver um campo de atuação para artistas, ativistas, acadêmicos, produtores culturais e a população, por meio de espaços alternativos e manter os encontros quinzenais, que viabiliza, portanto, a produção de saberes, a troca de experiências e a elaboração de contrapartidas sociais.
  
Joaçaba, 03 de fevereiro de 2012 | Café Retrô
  
A reunião teve seu início por volta das 19h:30m. Esteve presente a artista plástica e professora, Daniela Lima; Elaine Vicente, integrante da ONG Amigos dos Animais; o músico João Soares e o historiador, Lori Camargo. Os primeiros instantes foram marcados por uma catarse implacável sobre os diversos assuntos que circulam nas redes sociais.
  
Iniciamos informalmente fazendo alguns apontamentos: “Já notaram o quão significante Joaçaba é para alguns e para outros, menos?”. Claramente, é fácil notar que trata-se de uma colocação evasiva quanto aos critérios que identificariam o que seria mais ou menos significativo para o sujeito que vive na cidade. No entanto, este apontamento propiciou um diálogo sobre os anseios do cidadão acerca das particularidades do município em que vive.
  
A partir dessas preliminares, fora lançada mais uma questão: “Há pessoas que não voltam para Joaçaba!”. Uma vez  que a vida profissional e afetiva encontram-se estabilizadas noutro estado ou país, o deslocamento a cidade natal é exclusivo à visitas e descanso em casa de familiares. Ademais, seria presunçoso de nossa parte eleger (gratuitamente) uma lista com os motivos que levariam o cidadão deixar a cidade. A história social do município de Joaçaba, assim como as características culturais da região pressupõe, sistematicamente, teorias que não cabem nos limites deste texto.
  
Todo esse devaneio nos conduziu ao seguinte ponto em comum: a criação e o desenvolvimento de novas frentes culturais na cidade é de extrema importância. Por quê? Essa é uma daquelas perguntas impossíveis de serem respondidas tão imediatamente, uma vez que corremos o risco de tropeçar em clichês, tais como: “Vamos criar projetos sociais... programas de capacitação... e fomentar a cultura local!”.
  
Não é por aí, e nem tampouco a elaboração de um plano político para a cultura ocorre instantaneamente. Para tanto, é preciso fundamentar e estabelcer um panorama local e, contudo, compreender quais culturas estamos nos referindo; quais grupos sociais serão contemplados e quais metodologias serão utilizadas para identificar as necessidades de cada instituição e, consequentemente, seu público alvo. Portanto, é necessário o diálogo entre iniciativas (centros de cultura, ONG’s, coletivos...) que operam com os setores da cultura e a realidade social do município e região.
  
RESUMO ESQUEMÁTICO DOS ENCONTROS DO DIA 20/01 E 03/02.
  
a) Reuniões quinzenais.

EstágioÉ preciso sondar novos espaços. Baseado na sugestão de Lori Camargo estamos cogitando a realização do próximo encontro no bar Oca. (confirmar!)

 b) Pesquisa sobre especificidades do projeto Mecardo Nefelibata.

Estágio: Recrutando voluntários.

Até o momento:

Bete Vieira | Sustentabilidade
Daniela Lima | Arte-educação
Eliane Vicente | Sustentabilidade
  
c) Definir o escopo do projeto Mercado Nefelibata (objetivos, justificativas, levantamento de necessidades, orçamento, definição de equipe, plano de divulgação,  de cobertura e planejamento de atividades antes, durante e após o evento.

EstágioMês de março | Fechamento do projeto

VoluntáriaNazira Mansur | Redação
  
 d) Sobre o Sarau Quintal

1. 1h30m/duração - Reunião aberta do CN: delineando as ações.

2. 1h/duração - Círculo de leitura. Quem fará a mediação? Sugestões: Prof.Rôse Maria Makowski e Alvarito Baratieri.

3. Mostra de filmes: Como decidiremos quais filmes ou gêneros? Quais serão os critérios?Sugestão: Omar Dimbarre; apaixonado por cinema , colecionador de cartazes de filmes e a pessoa que poderia elaborar a programação.

4. Música ambiente: Foi cogitado que cada um leve seu pen drive com as músicas que gosta. A ordem será pelo modo aleatório do player. Até o momento,  parece a maneira mais democrática de curtir um som. Sugestões?

 5. Gastronomia: Uma carta solicitando apoio cultural ao Supermercado Passarela será enviada nos próximos dias. Plano “B”: cada participante leva um prato e bebida que achar interessante. Os talheres providenciamos com o que temos em casa. Outras sugestões?

6. Música ao vivo e poesia: Estamos recrutando os artistas da cidade! Sugestões: Chimaru (voz e violão) e Jaqueline Silveira (poesia). Voluntário: João Soares (Radyola)

 7. Utilidade pública: arrecadação no local de utensílios para os cães acolhidos pela ONG Amigos dos Animais.
  
Coletivo Nefelibata agradece o apoio de Bernardo Stumpf, Bete Vieira, Luciana Lopes, Mariana Dorini, Nazira Mansur, Rôse Maria Makowski, Thiago de Souza, Verena Lopes e Vittorio di Milano.
  
Quer saber mais?
coletivonefelibata@yahoo.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário