27 de ago de 2012

Meio Ambiente – começo das promessas e dos trabalhos[?]

(publicado no Jornal Cidadela em 24.08.12)

Campanha eleitoral a toda e percebe-se desde já que a pauta sobre as questões ambientais estão na “crista da onda”, todo mundo é ambientalista lutando por um mundo melhor. Que beleza! Pelo visto o mundo está a salvo e de agora em diante não precisaremos mais perder nem um minuto de sono com problemas prosaicos como “onde e como descartar meu lixo reciclável” ou “onde posso fazer um passeio ecológico”... Do jeito que vai até o aquecimento global já pode ser visto como coisa do passado...

OK, OK estou meio engraçadinha hoje... Lógico que 90% [senão mais] deste discurso politicamente correto será esquecido já no dia 08 de outubro, mas eu tenho fé nos 10%, assim como tenho fé em muita gente que passa longe da política partidária, mas que se interessa e muito pelo tema. E é com elas que devemos contar para articular as coisas e fazer com que políticos e ocupantes de cargos públicos [que muitas vezes acabam deixando o sujeito acomodado em sua estabilidade] se mexam e passem a pensar e agir pelo meio ambiente.

Há cerca de duas semanas estive com uma amiga que é Mestre em Engenharia Ambiental num curso que fora promovido pelo Comitê da Bacia do Rio do Peixe. Na parte da manhã técnicos do Governo Estadual nos ensinaram a fazer o cadastramento dos usuários de águas superficiais. Era um treinamento para o povo das Prefeituras darem suporte aos agricultores. Estavam lá somente Erval Velho, Imoerê, Caçador, e a cidade anfitriã, Calmon. Conosco 15 pessoas. Olha que são 26 municípios nesta Bacia...

À tarde houve o Fórum onde apareceram cerca de uns 150 convidados. Os dois funcionários da Prefeitura de Joaçaba chegaram tarde pra tudo. Nem sei se conseguiram pegar o lanche das 16:15hs. Entre 16:30h e 17:15h estavam na primeira fila. Ao final do curso, lá pelas 17:40h, nem sinal da dupla... É aí que me refiro! Sobre a sociedade civil dar uma chacoalhada no povo que tem cargo efetivo ou comissionado e obrigação de atentar para o meio ambiente. Enquanto se faz de conta que se trabalha sério quem devasta está trabalhando firme contra a Natureza... Chega a ser cruel!

Na volta tivemos tempo de “ruminar” ideias e dali surgiu a da criação de um grupo de trabalho para articular a efetiva existência do Parque Natural Municipal do Vale do Rio do Peixe. A Cláudia Fontana já tem material guardado de anos, até um projeto que na hora em que vocês estiverem lendo esta coluna, eu deverei estar tomando conhecimento do seu conteúdo. Já é um primeiro passo. Falta agora agregar mais pessoas interessadas em trabalhar voluntariamente nas propostas, articulações e projetos.

Na terça-feira, no Fórum de Sustentabilidade que ocorreu na UNOESC, já alinhavamos os primeiros contatos. Pensamos em começar esta articulação após as eleições para fugir deste embate politiqueiro que cansa os que querem trabalhar e têm que esbarrar em interesses individuais. Não vai dar. Recebemos a notícia de que a área vem sofrendo com derrubada de árvores e caça. Uma primeira ação é urgente, pelo menos para estagnar as coisas. Senão corremos o risco do parque nascer no papel já morto na vida real.

Nesta quinta, sexta e sábado nós duas estaremos no Curso “Introdução à Gestão de Recursos Hídricos e o Papel dos Comitês de Bacia Hidrográfica em sua Implementação” em Videira. Além de estudar vamos levar na mala a ideia do Grupo de Articulação. Vamos aproveitar para fazer contatos. Estamos entusiasmadas! E ficamos mais ainda ao sabermos que o Parque está elencado no documento que diversas entidades da região redigiram e vão entregar aos candidatos a Prefeito das cidades de Joaçaba, Herval d’Oeste e Luzerna. Pelo visto ter o Parque instalado é o anseio de muitos segmentos da nossa sociedade!

Então, amigos, serve esta minha coluna para convidar todos os interessados em unir forças neste projeto que não é meu , nem nosso [Bete e Cláudia], que é de uma porção de gente que nos antecedeu e outros tantos que sonham como nós. O Parque está sendo promessa de campanha, mas papo até galinha tem, então vamos arregaçar as mangas e contribuir. Essa é a obrigação de toda sociedade civil que quer ser dizer “organizada”.

Temos um grupo no Facebook: PARQUE NATURAL MUNICIPAL DO RIO DO PEIXE – entrem lá! Mas já adianto que é para trabalhar e não fazer campanha...

2 comentários:

  1. Bete, a proposta de vocês é a criação do parque? Pois segundo a reunião que tratou do assunto ano passado, existe uma grande chance de ser tomado como Unidade de Conservação... ;) bjos.. tô dentro da parada

    ResponderExcluir
  2. No papel ele existe, só no papel. No grupo eu postei a lei. Os trabalhos são para torná-lo realidade...

    ResponderExcluir