4 de ago de 2012

Os mais iguais – As vagas especiais:

(publicado no Jornal Cidadela em 03.07.12)

Nesta quarta-feira encontrei meu marido transtornado, fazia tempo que não o via assim. Depois de ouvi-lo entendi o motivo e me solidarizei com sua indignação: vagas especiais – as que estão à disposição para idosos e deficientes – estão sendo utilizadas privativamente por alguns “cidadãos” joaçabenses com a conivência das autoridades.

Ele foi à uma farmácia e se deparou com um Land Rover estacionado numa vaga especial. Como não havia nada que identificasse o veículo como sendo de idoso ou deficiente ele procurou descobrir quem havia usurpado a vaga. Todos diziam desconhecer o motorista infrator, até que alcançou uma das monitoras do estacionamento rotativo que disse o nome do proprietário e informou que esta vaga sempre é usada por ele, e que elas não podiam fazer nada.

Pouco tempo depois encontrou um PM que estava multando um Gol por ter passado alguns minutos do cartão do estacionamento rotativo. Caneteava com gosto. Neste mesmo momento uma mulher estacionava seu Picasso em uma vaga especial ignorando tanto as sinalizações quanto a presença do PM. Neste momento meu marido apontou para o carro sendo estacionado indevidamente naquela vaga, quando ouviu como resposta “está na minha, estão me chamando no quartel”. Foi-se.

Logo depois ele constatou que a Land Rover havia sumido, aquela mesma que todo mundo conhece por sempre usar a vaga especial indevidamente. Neste ínterim o encontrei de máquina fotográfica em mãos indignado e com a foto do Picasso, mas sem a o Land Rover. Pelo visto alguém avisou o motorista. Também contou que a mulher do Picasso usou a desculpa de uma febre no filho para o uso da vaga especial. Eu lhe disse que fosse até o quartel e relatasse os fatos às autoridades. Foi reto.

No quartel encontrou o PM que havia conversado há poucos minutos. Dele ouviu “que ele é a autoridade maior, quem manda no trânsito é ele e que multa quem ele quiser”. Completou dizendo que “ele deixa estacionar quem ele quiser onde ele quiser”. Completou a conversa mandando meu marido se informar as leis de trânsito, sobre as atribuições do guarda de trânsito. Já o superior ouviu parte do que fora falado , mas saiu rápido assim que foi chamado para a conversa.

Engraçado, né?! Eu já tinha ouvido de uma monitora do estacionamento rotativo que elas estavam proibidas de multar o carro de um certo político da cidade. Onde quer que o carro dele seja visto deve ser ignorado. Nada da bilhetinho vermelho no vidro! Lógico que isto serve para ele, mas não para nós cidadãos comuns. Não que esteja pedindo algum privilégio, só gostaria que uns não tivessem privilégios sobre outros...

Nenhum cartão de idoso ou deficiente e nem de estacionamento rotativo.
Mas parece que a onda de uns serem “mais iguais” que outros é recorrente aqui por nossa região. Isso me vira o estômago, me faz ter certeza que o que vemos em Brasília é só um arremedo do que temos à nossa volta... Quanto ao Land Rover e seu dono folgado, estarei de olho para fotografar o flagrante e espalhar nas redes sociais. O dono sei quem é, mas com a placa clicada ficará a prova. Se a multa não vem, talvez passar vergonha seja o melhor remédio para o abuso.

Aliás, está mais do que na hora desse tipo de gente parar de pensar que o resto do mundo é besta e que as vagas estão ali para serem usurpadas. As leis existem para todos nós, carrões não deveriam ditar o comportamento das autoridades fiscalizadoras, afinal “todos são iguais perante à lei”, ou não?

PS - tenho por hábito fotografar flagrantes de motoristas usurpadores de vagas especiais, uma hora dessas faço uma postagem só com fotos. O que não falta é motorista folgado em Joaçaba! Cuidem-se porque se a Polícia [faz que] não vê outros cidadãos conscientes estão atentos...

Nenhum comentário:

Postar um comentário