20 de ago de 2012

“Tem de frango.” [AFF]


(Publicado no Jornal Cidadela em 17.08.2012)

Esta semana estivemos às voltas com o debate acerca dos direitos dos animais. Muitas acusações recaíram sobre mim, mas a mais engraçada de todas foi ler uma postagem de algum cidadão [ou cidadã, não sei, usava nome falso – típico dos covardes] perguntando “de onde vem a carne que essa tal Bete come?”. Eu respondo: de uma planta chamada soja. Há uns seis anos.

Minha opção por não ingerir carne se deu no exato momento que conheci a forma que nosso presunto de cada dia é transportado. Decisão reforçada ao me deparar com um batalhão de mutilados física e psicologicamente que é descartado pelas agroindústrias da região. Nada que seja resultado do sofrimento de animais e homens pode ser bom. É muita energia ruim em torno de algo que vai se misturar ao meu organismo, ser parte de mim.

Devo confessar que não é nada fácil optar por uma dieta vegetariana em uma cidade onde os supermercados não dispõem de opções para nossa dieta. Um que outro até tenta, mas têm a filosofia que ser vegetariano é coisa de rico. Um produto consegue ter o preço triplicado em vista outras cidades. Uma falta de visão sem tamanho. Tendo em vista que uma dieta saudável vem sendo uma opção de todos, até mesmo aqueles que mesmo não abolindo a carne pretendem apenas reduzir o seu consumo.

Também passo por situações engraçadas: a primeira é ter sempre duas opções – pão de queijo ou pastel de queijo [isso é grave porque também evito leite]. Quando não visualizo as opções e pergunto se há algo sem carne de pronto ouço “tem de frango”. Ah tah.. Frango agora dá em árvore... Pior: “tem de presunto”. Lá vou eu para o pão de queijo. Coitado dele, já estou “garrando ódio”.

Uma constatação que faço, e todos os amigos que ouvem acabam concordando, é o que acorre na pizzaria. Na hora da escolha dos sabores eu antecipo que a minha parte é sem carne. Logo surgem as piadinhas e  eu sempre contornando. Tempos depois quando nossos pedidos chegam à mesa e o povo se depara com uma linda pizza colorida tenho que me apressar para conseguir comer pelo menos um pedaço da que eu pedi. Já aconteceu de me sobrar a de calabresa... E olha que a pessoa que escolheu tinha uma vegetariana no seu prato e estava todo feliz com a nova experiência.

Ou então aqueles que se assustam e me perguntam: “e você como o quê?” Tudo o resto oras! O que não falta é opção! Não, nosso prato não se restringe a alface e água! Basta repensar, olhar as gôndolas do supermercado com outros olhos. Provar sabores que o sal grosso impossibilitava. Mas eu sou um bom garfo ainda...Ah! Graças aos deuses que o lúpulo é um vegetal, assim como a batata... Porque eu amo uma cerveja com bata frita com os amigos!

[O assunto é sério precisa ser debatido. É uma questão de qualidade de vida para todos os habitantes  da Terra. Melhor, é uma questão de se pensar na próprio planeta Terra também. Mas hoje estou preferindo ficar em companhia da minha taça de vinho – que nada mais é do que uvas rsrsrs Tim tim!]

Nenhum comentário:

Postar um comentário