28 de set de 2012

Carta aos protetores:


(Publicado no Jornal Cidadela em 28.09.12)

Amigos, eu prometi e me comprometi com vocês no sentido de escrever sobre o comportamento de algumas pessoas diante do tema “proteção animal”. Esses últimos quatro anos serviram para mostrar quem os amam ou quem apenas sabe que eles compartilham este nosso planeta como irmãos na criação e respeitam as suas existências. Há também o que os ignoram ou até mesmo tomam decisões e atitudes que tornam suas vidas miseráveis.

Lá atrás, na última campanha eleitoral, eu sentei com o jovem candidato Rafael Laske. Ele me chamou para ouvir o que os protetores de animais tinham para falar. Lembro bem de ter perguntado da sua opinião sobre o uso de animais em circos –  ele foi enfático “sou contra”. Fiquei feliz, vinha do trauma do veto e do resultado da sessão da Câmara de Vereadores onde o veto não foi derrubado pela abstenção do Professor Ricardo Tomazi que alegou não ter opinião formada e preferiu não tomar uma posição. Omitiu-se.

2009 eram novos ares, prefeito jovem, protetor de animais. Eu estava cheia de esperança acreditando que Joaçaba seria uma referência em políticas públicas de proteção deles. Estava no Plano de Governo do “25”: INCENTIVO À PROTEÇÃO DOS ANIMAIS. Seria só aguardar as iniciativas e ser parceira. E difundir o ocorrido dando inveja às outras cidades do estado e do país. Ledo engano. Iniciava o inferno astral dos animais e dos protetores.

Circos com animais vieram como nunca para nossa cidade. O prefeito chegou a se apresentar no picadeiro, virando motivo de piada nas rodas de conversa. De nada adiantou a ONG Amigos dos Animais apresentar uma Recomendação redigida pela Promotora de Justiça Simone Schultz com o embasamento legal para a vedação do uso de animais neste tipo de espetáculo. Muito diferente do ocorrido em Luzerna onde o prefeito Norival Fiorin usou do bom senso e autorizou a instalação de um circo, mas sem o uso de animais. Em Herval d'Oeste ocorreu o mesmo, Nelson Guindani e o então secretário Davi Frozza também foram firmes em respeitar os animais, circos sim, crueldade, jamais!

Circo com animais parecia não ser o suficiente! Em 2009 a Prefeitura resolveu organizar um rodeio country. O Tuti –  então responsável pelos eventos – chegou a me dizer que era o Jorginho Mello que queria o evento. Nos mobilizamos. Houve o desmentido por parte do Deputado Federal. Em 2009 o rodeio não aconteceu. Em 2010 Tuti e Júnior de Sá colocam o evento nos festejos do aniversário da cidade. E aconteceu... Para a tristeza de quem tem coração...

Aconteceu, mas eu não me calei. Movi céus e terra, registrei denúncias e algumas ainda tramitam na Vara Criminal –  autos 037.10.003894-4. Lembro bem do Promotor de Justiça questionando quem havia pagado pela energia elétrica do evento privado. A resposta foi: “A Prefeitura”. Daí veio um arrazoado informando da ilegalidade do fato e outras observações sobre a poluição sonora e demais fatos que vieram para um único processo. Animais sofreram na arena. Nosso bolso de contribuinte também. O processo ainda tramita, tem audiência marcada para 2013.

Em 2011 houve uma vitória: a lei da castração. Nisso eu tenho que admitir que Joaçaba virou referência. Agradeço ao então presidente do Conselho Municipal de Saúde, Jair Schüller, que bateu pé e provou por A+B que havia como custear os procedimentos. Pela [falta de] vontade do povo da Prefeitura nada teria saído. Aliás em 2011 dos R$ 40.000,00 previstos nem R$ 18.000,00 foram usados, o resto sumiu. Em 2012 falaram em R$ 60.000,00, mas já mandaram recado que o dinheiro acabou. Esse tipo de política pública exige continuidade, senão é só um paliativo.

Este ano a ONG Amigos dos Animais, cansada de esperar pela iniciativa do prefeito protetor de animais ou de algum vereador que se elegeu prometendo propor a lei que livra os animais do picadeiro na nossa cidade, entrou com o pedido junto às bancadas do Partido Verde e do Partido dos Trabalhadores para que algum dos vereadores apresentasse o projeto de lei. Ademir Zanchetta, Sueli Ferronato, André Dalsenter e Fabiano Piovesan foram os proponentes.

Houve audiência pública, por exigência do “Dr”  Mário [tudo bem, vai que o prefeito veta pela falta dela], 58 votos a favor do projeto de lei e dois contra: “Dr” Éber Bündchen e sua esposa. Este casal se esmerou em defender o uso de animais em circos e até tentou convencer os presentes que é possível amar animais e usá-los para a obtenção de lucro. Direito deles. E direito nosso de defender quem não tem voz e nem condições de optar por trabalhar sem salario, nem férias, nem liberdade...

Projeto de lei tramitando, povo ouvido, era só  votar numa próxima sessão. Coisa rápida o povo presente e as centenas de assinaturas já apontavam pela aprovação da Lei. Me enganei de novo! Numa estratégia espúria os vereadores Chico Lopes e “Dr”  Mário seguraram o Projeto de Lei, um em cada comissão com a alegação de discutir melhor o tema. Nem uma reuniãozinha sequer ocorreu até  agora! Ao arrepio da função de vereador se prestaram de instrumento do prefeito para empurrar a votação para depois das eleições. Isso que dá vender a alma pra Deus e para o Diabo, só articulando muito para conseguir se safar. O lobby dos circenses, por enquanto, venceu.

Mas nem tudo é notícia ruim! Naquela audiência pública pude ver quem se interessa pelo bem estar dos animais. A candidata a vice-prefeita Silvana Marcon e alguns candidatos ao cargo de vereador não se intimidaram e se fizeram presentes para defender a liberdade dos nossos irmãos animais. A eles minha gratidão e a alegria de saber que há esperança para os animais para 2013!

Fica aqui o registro de [bons] nomes para o dia 07 de outubro: Ademir Zanchetta, André Dalsenter, Diego Mauro Bairros, Jair Schüller, João Sampaio, Maria Marlene Cavanus, Tayza Cordazzo, e de Herval d'Oeste atenta aos trâmites para levar o debate para o outro lado do rio, Eva Maria Fonseca.

PS - a Juanna Figueiredo não estava na audiência, mas sei que muito antes de eu vir morar em Joaçaba ela já usava o seu jornal em defesa dos animais explorados em circos...


26 de set de 2012

Em Otacílio Consta a CPM também fez pesquisa "sinistra"...


Em Otacílio Consta a CPM também fez pesquisa "sinistra"...


A casa tá caindo ehehehehe

Depois querem enganar quem com esta conversa pra boi dormir de "pessoas do bem"??

Prefeito! Os joaçabenses não são burros e nem palhaços!!! Olha e empresa "idônea" que faz as pesquisas do 55!!


22 de set de 2012

Quem te viu quem te vê!


(Publicado no Jornal Cidadela em 20.09.12)

Esta semana recebi – via Correios – dois encartes da coligação “Joaçaba no rumo certo” - me ative  Caderno de Obras por já ter tido a oportunidade de folheá-lo e verificar inúmeras inverdades ou, como preferirem, omissões. Sobre o teor vou me debruçar com calma na minha coluna da semana que vem – salvo aconteça algo que me pareça mais oportuno escrever. Hoje vou falar de um CNPJ...

Alguns santinhos de candidatos a vereador desta mesma coligação vêm sendo colocados na minha caixa de correio, deixei de lado para fazer a consulta aos CNPJs contantes do ladinho. Letra miúda, coisa pra se fazer com tempo. Nos encartes as letras são maiores... Beleza! Responsável pela impressão: 01.125.240/0001-85.

Lá vai a Bete para a internet, consulta o CNPJ no site da Receita Federal  e descobre isso: RAÍZES DIÁRIO, JORNAL GRÁFICA E EDITORA LTDA – ME!!

Peraê! Não é este o jornal que publicou aquela pesquisa dando 30% de vantagem ao “piá de berda” (expressão emprestada do colega colunista da página três, Adgar Bitterncourt, de suas colunas pretéritas)? Como assim? A empresa contratada para imprimir todo o material de campanha é a mesma empresa que fez a pesquisa?? Coisa estranha, né?

Daí eu me lembro que em 2010 este mesmo jornal entrou com uma ação monitória contra “Eleição 2008 Rafael Laske Prefeito” para cobrar R$ 115,439,26 por serviços prestados. E que agora há pouco perdeu a referida ação... E como alguém em sã consciência cobra o que não não é devido?

Ah... Você não sabe o que é uma Ação Monitória? A ação monitória compete a quem pretender, com base em prova escrita sem eficácia de título executivo, pagamento de soma em dinheiro, entrega de coisa fungível ou de determinado bem móvel.” Pois é... Parece que a coligação ficou devendo em 2008....

O Jornal [Gráfica, sei lá] perdeu a ação. Ficou no prejuízo. Só não entendi como voltou a ser fornecedor em 2012... Entendi menos ainda o fato de não haver um título executivo hábil para uma ação de cobrança. Pelo o que sabemos todos os gastos de campanha devem ser devidamente justificados juntos à Justiça Eleitoral... Vai entender...

Pelo sim ou pelo não em 2012 estão “tudo junto e misturado”. Imprimindo o material gráfico, a pesquisa... Aliás, em 2008 este mesmo jornal ficou notabilizado pelo maior bola fora na eleição de Herval d'Oeste: Nelson Guindani venceu e hoje é o favorito à reeleição. Que ironia!

Pelo visto o inimigo de ontem é o aliado e hoje. O que não dá é pra ficar no prejuízo, não é mesmo? Quem processa ontem hoje é amigo de infância. Está certo quem diz que em política a gente só não vê vaca voar [apesar de que até isso já aconteceu...].

E não é que dia 20 de setembro mesmo eles registraram nova pesquisa?!
E olha os bairros que eles mapearam na cidade de Joaçaba!!





19 de set de 2012

Eleições 2012 - Nota da Comissão Executiva Nacional do PT sobre conjuntura Eleições 2012

Eleições 2012 - Comissão esteve reunida na segunda-feira (17), em São Paulo

A Comissão Executiva Nacional do PT, reunida no dia 17 de setembro, avaliou a conjuntura internacional e nacional, em especial a situação eleitoral, aprovando ao final a seguinte nota:

1.O PT apóia as medidas adotadas pela presidenta Dilma e pelo governo brasileiro, em defesa da economia popular e dos interesses nacionais. Estas medidas –entre as quais se destaca a redução da taxa de juros e das tarifas de energia elétrica— já se demonstraram essenciais para proteger o Brasil dos impactos da crise internacional, que continua se agravando.

2.A vitória do PT nas eleições municipais de 2012 deve ser vista nesta mesma perspectiva: trata-se de fortalecer nosso projeto nacional, de um Brasil soberano, politicamente democrático e socialmente justo.

3.Tendo isto em vista, a Comissão Executiva Nacional do PT convoca a militância petista, nossos filiados e filiadas, nossos simpatizantes e eleitores, nossos parlamentares e governantes, para uma batalha do tamanho do Brasil: em cada cidade, pequena, média ou grande, trata-se de obter grandes votações, elegendo vereadores e vereadoras, prefeitos e prefeitas. E fazendo a defesa de nosso Partido, do ex Presidente Lula, de nossos mandatos e lideranças, bem como do legado dos nossos governos,  que melhoraram as condições de vida e fortaleceram a dignidade do povo brasileiro.

4.A mobilização geral de nossa força militante é a condição fundamental para nosso sucesso nos dias 7 e 28 de outubro. Pois é a militância consciente quem desfaz as mentiras, demarca o campo, afirma nosso projeto, reúne nossas bases e alianças, construindo vitórias não apenas eleitorais mas também políticas.

5.Em cada bairro, em cada escola, em cada empresa, em cada movimento social, nas redes sociais, a militância petista - com nossa estrela e bandeiras - está chamada a mais uma vez cumprir seu papel histórico, de arquiteta e alicerce das grandes mudanças no Brasil.

          


São Paulo, 18 de setembro de 2012

Comissão Executiva Nacional do PT

Sra BMW, ESSA VAGA NÃO É SUA NEM POR UM MINUTO!!!

Recebi estas fotos ontem...

Pedi garantia de que se tratava de vaga de deficiente. Hoje cedo a pessoa me liga avisando que pode mandar uma foto do desenho de uma cadeira de rodas que tem no chão. Disse que não precisava, até mesmo porque o relato que me chegou foi de que a monitora do estacionamento rotativo de nome Vanessa informou ao meu leitor que elas não podem fazer nada nesses casos. 

Falta de respeito, educação, cidadania...
...e uma PM que faça cumprir a lei!














18 de set de 2012

Aos amigos os favores da Lei?

(Publicado no jornal Cidadela em 14.09.12)

Vocês devem se lembrar que lá por maio escrevi sobre uma resposta recebida da Prefeitura de Joaçaba confirmando que nunca repassou nem um centavo sequer para a ONG Amigos dos Animais, né? Foi uma resposta atravessada, já informando que a entidade não fazia parte de um tal CMC, e outras farpas do estilo de quem não gosta de botar no papel o que faz questão de omitir...

Procurei o Contador que me informou que a ONG não recebe verba pública e nem mexe com dinheiro [novidade...]. Fiquei tranqüila, mas por via das dúvidas, já deixei registrado na Assembleia Geral Ordinária que havia a grande possibilidade da sede [no papel, afinal só serve pra receber correspondências] iria mudar para a vizinha Herval d’Oeste.

Minha intuição sempre foi certeira! No começo de agosto fui intimada a “promover a inscrição no CMC (art. 66 e 132 CTM e suas alterações)”. Corri no Contador e ele me informa que já estava providenciando, mas que precisa ser feita uma vistoria na sede da ONG pelos Bombeiros para dar o Alvará. Mandei que parasse o processo que iria ver isso na Prefeitura.

Cheguei lá o Fiscal de Tributos me confirma que a ONG tem que ter alvará e que para isso deveria ter um local de sede. Daí eu já fui logo perguntando pela ASSJHOL que também é uma entidade que trabalha sem um escritório, onde pessoas se uniram pelo bem de Joaçaba, Herval d’Oeste e Luzerna. Que se unem em torno de trabalhos e não de burocracias bobas. Disse-lhe que se a ONG fora intimada por certo esta outra entidade também fora. A desculpa dada foi de que o sistema estava fora do ar [me engana que eu gosto].

Deixei avisado, e peguei a anotação verso da notificação, que estamos providenciando a documentação para transferir tudo para a cidade do outro lado da ponte. Preciso levar a Ata da AGO, está ainda sobre a minha mesa. É muito bicho pra salvar [inclusive a que o CREAS pediu socorro que agora está na minha casa e a conta esperando para ser paga na Clínica]. Falta tempo. Estou em débito, eu sei. Vou levar a ata pra provar, como exigiram.

Fui atrás de membros de outras associações e nenhum outro relatou ter sido notificado. Ficou evidente que se trata de pura retaliação... Desabafei no meu mural do Facebook e logo recebo algumas manifestações de apoio e indignação. Uma delas me fez lembrar de uma conversa que havia ficado pendente:

“Vou te mandar a foto do caminhão estacionado na esquina das ruas José Bissani com Eliziário de Carli, que tem ponto de FRETE, e o motorista deste NÃO TEM ALVARÁ e há mais de anos está ali, com a ciência da Sra. Ana Paula Bilibio e também da Polícia Militar. Ou seja, se a ONG precisa de alvará, faça-se valer a lei para todos. Vale dizer que a ONG realiza um trabalho social e humano, e o caminhão é interesse de um só, em detrimento da segurança de uma coletividade e, principalmente, de crianças, SÃO VIDAS em risco. Abraço.”

Pois é! Fazia meses que estava para fotografar o dito caminhão e ir ter com o Setor de Trânsito! Não foi nem uma e nem duas pessoas que já tinham me falado daquela situação ali na esquina... E eu no desespero por achar que estava fazendo algum muito errado por não ter aberto uma sede para a ONG... Lógico que só conseguiria isso depois de passar pela comissão do Plano Diretor que nada pode. Talvez a ida para Herval d’Oeste se daria de um jeito ou de outro...

Pelo sim, pelo não fica a pergunta para quem faz parte de alguma Entidade, Associação ou ONG sem fins lucrativos: VOCÊS TAMBÉM FORAM NOTIFICADOS? VOCÊS TÊM CONDIÇÕES DE MONTAR UMA SEDE SEM INVIABILIZAR OS TRABALHOS?

E para aqueles que precisam que se desenhe para entender algo, segue as fotos do caminhão na esquina que ele atrapalha muito:



16 de set de 2012

Reforma da creche do N. Sra. de Lurdes? MENTIRA!!

Olha a mentira:

Reforma da Creche do bairro Nossa Senhora de Lurdes
Olha a verdade:

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008


Apresentado projeto da nova creche


A Secretária de Educação do Município apresentou o projeto aprovado para construção da creche no bairro Nossa Senhora de Lourdes, em Joaçaba, que será financiada como medida compensatória ambiental da Ação Civil Pública n. 037.00.004066-1 (notícia publicada em 12/12/2007 neste Blog), com valor aproximado de R$ 110.000,00.

A intenção é que as obras comecem no próximo mês, para que possa atender crianças já no segundO semestre.

14 de set de 2012

Tamanduá come formiga e elefante leva a fama...

O ex-prefeito de Joaçaba, Armindo Haro Neto, e o então Secretário de Estado de Desenvolvimento Regional, Jorge Luiz Dresch,  assinaram o convênio para a pavimentação asfáltica de 5,45km de rodovia entre a Vila Pedrini e o Aeroporto Santa Terezinha em  17 de janeiro de 2008.

A obra só aparece em 2012 [ano de eleição!]
e o total pavimentado foi somente de cerca de 3,1 km?


A Obra!
Segundo os dados de Secretaria de infraestrutura, a pavimentação e recuperação da porção urbana da Rua Antônio Nunes Varela, será dividido em duas partes, sendo a primeira a pavimentação em estrada de terra, no trecho que compreende o entroncamento da Rua entroncamento da Rua Amábile Falavinha até o fim da porção urbana do bairro Vila Cordazo, em uma extensão de aproximadamente 1.700 metros. A segunda etapa é a recuperação do trecho pavimentado da Rua Antônio Nunes Varela, que corta o bairro Vila Pedrini, mais precisamente do entroncamento da Rua Duque de Caxias (acesso Adolfo Ziguelli até a Rua Amábile Falavinha, com extensão de pouco mais de 1.400 metros). Somando os dois trechos são mais de três quilômetros de obras, atendendo diretamente 900 famílias e mais de 6 mil pessoas.

Alguém explica aí? 
São os 1,7 km 
ou devo somar mais 1,4 km - 
que mesmo assim perfazem somente 3,1 km... 

Mistéééériooooooooo



13 de set de 2012

Melô do Masoquista [ou Repetir o erro é burrice...]

Olhando de perto o jingle da campanha da MaMar tem uma mensagem subliminar:

Não é hora de mudar
vamos continuar,
vote Mamão e Marquinhos
pro SOFRIMENTO não parar.
Vamos continuar...

Só um masoquista vai querer continuar com isso!

Eu votei no Mamão, dei a chance que o jovem político pedia, mas vi que foi uma das maiores KHdas que fiz na minha vida de eleitora. Chega, né?

Errar é humano, repetir o erro é burrice!

12 de set de 2012

HOSPITAL UNIVERSÍTÁRIO SANTA TEREZINHA DECLARANDO APOIO AO MAMÃO???

Postagem em uma rede social:

"Não sabia que o Hospital Universitario Santa Teresinha se declarava para aquele ou este candidato em época de eleição, pois colocaram nos fundos da nova ala, ao lado do Tasca&Volpato, um banner do candidato a reeleição, este tipo de instituição não deveria estar preocupada com o bem estar de seus pacientes? esta lá pra quem quiser ver, fica minha indignação."

Daí alguém correu lá e bateu a seguinte foto:


Um amigo foi até o local e acaba de confirmar que o terreno é do HUST e que bateu novas fotos.... Assim que elas me forem enviadas, publico!

[a coligação MaMar alega que tem a autorização do Dantas, que é o proprietário do terreno/muro, se vier à público trago pra cá]


FIM DA POLEMICA
O terreno citado NÃO pertence ao HUST. TODOS os candidatos que colocaram placas e banners NO IMÓVEL, receberam AUTORIZAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS. 
Lourdes Dantas (Maria de Lourdes ALVES DANTAS)

7 de set de 2012

Sucupira:


(Publicado no Jornal Cidadela em 07.09.12)
Quem se lembra da novela “O Bem Amado”?
O prefeito Odorico Paraguaçu, um político corrupto e cheio de artimanhas, tem como meta prioritária em sua administração na cidade fictícia de Sucupira, a inauguração do cemitério. De um lado, é bajulado pelo secretário gago Dirceu Borboleta, e conta com o apoio incondicional das irmãs ajazeiras, suas correligionárias e defensoras fervorosas: Doroteia, Dulcineia eJudiceia.
Doroteia é a mais velha, líder na Câmara de Vereadores da cidade. Dulcineia, a do meio, é seduzida pelo prefeito. E Judiceia é a mais nova - e mais espevitada. São três solteironas avessas a imoralidades - pelo menos em público, já que Odorico sempre aparece de noite para tomar um "licor de jenipapo"…
De outro, tem que lutar com a forte oposição liderada pela delegada de polícia Donana Medrado, que conta com o dentista Lulu Gouveia, inimigo mortal do prefeito e líder da oposição na Câmara - atracando-se constantemente com Doroteia no plenário. E ainda com o jornalista Neco Pedreira, dono do jornal local, A Trombeta. O meio-termo se intensifica com a presença de Nezinho do Jegue, defensor fervoroso de Odorico quando sóbrio, e principal acusador, quando bêbado!”
Os mais velhos devem lembrar-se dos episódios desta novela, de como as coisas aconteciam em Sucupira. Os mais novos já devem ter ouvido falar. Era uma cidadezinha pequena onde coisas bizarras aconteciam aos montes. Bajulação e cenas tão descabidas que beiravam o ridículo nos faziam rir. O autor acertou em cheio em criar a caricatura de uma cidadezinha pequena onde políticos se prestam a qualquer papel.
Quem se lembra do almoço com o governador que aconteceu dia 06 de fevereiro? Eu até fiz uma brincadeira no Fecebook e criei um evento de nome “Rega bofe do Raimundão”. Uma alusão ao fato de que aquilo tudo estava sendo pago com dinheiro público – nosso – e que a entrada deveria ser franqueada aos verdadeiros pagantes – nós. Lógico que era apenas uma chacota. Esse tipo de compromisso em plena quarta-feira é coisa pra político e seus “aspones”, e os puxa-saco que não batem ponto.
Eu dei um jeito de ir só pra assistir, meio que de longe, o circo que havia sido montado. Sucupira é pouco! Quase tive um acesso de riso ao me deparar com a cena: uma multidão de comissionados e outras tantas figuras carimbadas suando em bicas debaixo de um sol das 11:30h aguardando a chegada do Raimundo Colombo. Em frente ao clube duas passistas de alguma escola de samba (pelo menos elas, seminuas, não estavam derretendo ali).
Chega o governador, camisa azul com duas imensas marcas de suor sob os braços que faziam prova de que tudo o que ele mais queria era um ambiente com ar condicionado. Mas ficou no “queria”... Abraços e apertos de mão (suados, nojentos), fotos e a apresentação das moças que, rebolando e se requebrando, sorriam um sorriso tão forçado que me deu pena. Talvez elas fossem as únicas a perceberem o quão desnecessárias eram as suas presenças ali.
Eu já tinha visto o suficiente, inclusive a mesa de honra composta até pelo radialista da cidade, mas sem o juiz que nem chamado fora para compô-la, apesar de estar presente no evento. Mais Sucupira impossível. Desci, fui comer num restaurante pago com o meu dinheiro. Devo ser justa, alguns outros convidados também desceram e pagaram por suas refeições, nem todo mundo tem a cara-de-pau de ir em bando nessas “bocas livres”. Em cidade pequena isso dá muito na cara.
Daí eu lembro que em Sucupira o prefeito Odorico sofria o dilema do cemitério da cidade: sem morto não havia inauguração da sua maior obra. Aqui nosso prefeito está em situação mais confortável, “ir aos pés” é coisa que todo mundo faz, basta estar vivo. O banheiro público sempre será usado, afinal estamos todos vivos e não contamos com muitas outras opções para a hora do aperto. Nem precisa convidar o povo para conhecer a grande “obrada” de sua gestão... Uma hora ou outra a gente acaba indo.
Mas falando em cemitério... Não é que somos uma Sucupira invertida? Lembram do processo que deu prazo de seis meses para a Prefeitura se adequar no tocante às licenças ambientais? Lembram que muitas taxas até foram recolhidas na FATMA onde o atual candidato a vice era coordenador? O que aconteceu que esta semana? Por que fomos surpreendidos com uma inusitada proibição de sermos enterrados??
Está engraçada a coisa: todo hervalense nasce em Joaçaba, mas todo joaçabense talvez tenha que “morrer” em Herval d’Oeste. Surreal. Agora fica fácil entender aquilo “da arte imitar a vida” e que os autores costumam se inspirar em situações verídicas para descreverem suas Sucupiras. Joaçaba tem seu Odorico e ele tem tudo para, num ato de “sucupirança”, baixar o seguinte decreto:
A partir desta data os cidadãos joaçabenses estão proibidos de morrer. Não serão admitidas nem morte morrida, nem morte matada. Sob pena de virar defunto hervalense”

3 de set de 2012

Agora a coisa ficou séria!

(publicado no Jornal Cidadela em 31.08.12)

Até a última terça-feira ainda estava com a impressão que esta campanha eleitoral tinha tudo para ser a mais monótona de todos os tempos. O horário eleitoral na TV e rádio já começou, por um lado é uma das coisas mais divertidas que já vi. Rendem muitas risadas pelos absurdos proferidos por candidatos despreparados e mal informados. Mas o que vinha me chamando a atenção era o tom morno dos programas das chapas majoritárias: chatos, insonsos sem um enfoque mais contundente que prendesse a atenção.

A campanha da chapa MaMar usando pessoas humildes deslumbradas por ter uns segundos na TV repetindo frases que eu sou obrigada a concordar dado o tamanho da dubiedade no sentido: “Passou bastante prefeito por aqui, mas o que ele fez ninguém fez” ou “O que ele está fazendo dentro da prefeitura poucos prefeitos fizeram.” Eles têm razão! Só o Mamão passou pelo aperto de duas CPIs e um processo de cassação [emperrado na Justiça para a alegria dos atuais aliados, maiores acusadores naquela época].

A chapa JoSil está marcada pela seriedade do Jorge. Coisa de alemão. Me faz lembrar o velho Freitag de Joinville, poucas palavras, chegava a passar por grosseiro em comparação com o fanfarrão do Lula [o de Joinville, não o líder do PT]. Alemão sisudo que botou ordem naquela prefeitura. Até hoje Joinville sente os reflexos das ações daquele prefeito. Tapinha nas costas e buzina “fom fom” não são a melhor fórmula para se gerir uma cidade. O empresário de sucesso fez uma boa gestão, o contador e empresário deve seguir o mesmo caminho. Espero.

Mas eis que resolvo dar uma passadinha na inauguração do comitê de campanha da dupla JoSil e logo alguém me puxa pelo braço e avisa: “O Armindo vai chegar!” Nem dei muita atenção, estava mais preocupada em ouvir as palavras das mulheres: Sueli e Silvana mostrando que lugar de mulher é na política. Discurso aqui, abraço ali, e eis que anunciam a surpresa da noite: “Entra Armindo!” Pronto! Mas não é o que ex-prefeito veio pra “botar fogo na caixa d'água”?! Aplausos e gritos. Subida no “palanque” abraçado ao Jorge e à Silvana.

Discurso empolgado dizendo que mesmo sendo PMDBista ele e mais outros tantos estavam com a chapa JoSil. Disse que numa primeira reunião eram 13 e na segunda 45 [números interessantes, um sinal?]. Sem querer [ou querendo mesmo] colocou em xeque a outra chapa, MaMar. Como sustentar uma coligação que não tem amparo nem mesmo do partido que está na vaga de vice? Algo muito errado aconteceu. Pelo visto não foi só o povo que está vendo a versão “Mancha e Remi de 2008”. Nem o povo e nem os filiados históricos gostam de serem vistos como idiotas.

E o desespero paira no ar! Na quarta-feira, andando pelo centro e tecendo comentários sobre as lixeiras com meu marido, quase fomos agredidos por uma mulher que se dizia trabalhadora da campanha da MaMar. Partiu para a grosseria dizendo que estas eram de madeira de lei, que não eram de madeira barata. Quando questionei sobre a sustentabilidade temi pelos meus dentes... O caldo engrossou. Fomos no sentido do carro tendo que compartilhar da presença de uma pessoa pra lá de desagradável. Se é cabo eleitoral precisa ser informada que agressão não tem o dom de convencer as pessoas. Argumentos, sim.

Pelo visto, desta semana em diante devemos ter muito cuidado, a opção do desesperado nem sempre é a mais sensata... Prevejo dias ruins pela frente... Subestimar os outros é um péssimo negócio. Angariar novos inimigos é ainda mais!

1 de set de 2012

TAXA DE VISTORIA DO DETRAN DE JOAÇABA ESTÁ SENDO COBRADA DIRETAMENTE PELA EMPRESA TERCEIRIZADA!!

Leiam os relatos!

Genteeees...
Vcs que são mais ligados em todos os assuntos
preciso de uma ajuda...
Sobre transferência de veiculo.
Do site do Detran SC :
Transferência de Veículo – R$ 98,34
Vistoria em veículo ou validação. – R$ 38,74
Locais para realizar a vistoria do veiculo VISAUTO ou EXATA.
Fiz a Vistoria e paguei no local da vistoria R$ 38,74.
Depois de feita a vistoria fomos ao Ciretran para encaminhar a transferência e a moça entregou o protocolo com os valores para pagar no banco do Brasil R$ 98,34 da Transferência + R$ 38,70 da vistoria.
MAS EU JÁ PAGUEI A VISTORIA
E ela informou que desde ontem é assim.. tem que pagar 2 vezes o valor por causa de "não sei o que" do sistema!
EU PERGUNTO
PODE ISSO ARNALDO????”

(...) paguei R$ 40,00 no balcão da (aquela ao lado da delegacia), sai de lá somente com o laudo, sem recibo ou nota fiscal.”

Apenas paguei uma taxa - R$ 40,00 - pela vistoria e mais R$ 86,98 de uma taxa do próprio Detran. Ali do lado da delegacia, sim.”

LEMBRAM DO CASO DO USO DAS MÁQUINAS DA PREFEITURA DE JOAÇABA QUE OS AGRICULTORES PAGAVAM DIRETO PARA QUEM ESTAVA PRESTANDO O SERVIÇO E ISSO GEROU A "CPI DA AGRICULTURA"?

ISSO É GRAVE! O PAGAMENTO DEVE SER VIA DARE/SC DIRETO NO BANCO E NÃO NAS MÃOS DA AUTORIZADA QUE ESTÁ INSTALADA DO LADO DE DETRAN DE JOAÇABA!

Olha o que diz no site do DETRAN/SC:
• Transferência de veículo, valor R$ 98,34
  
• Vistoria em veículo (no órgão de trânsito), valor R$ 38,79
   
• Vistoria em veículo (fora do órgão de trânsito), valor R$ 80,86
   
• Vistoria lacrada, valor R$ 80,86 (exceto para veículos de outra UF)

COM A PALAVRA: NOSSAS AUTORIDADES!