26 de fev de 2013

Tyre & Go - era pra selar furos e vazamentos... Era...

Já havíamos testado este produto durante nossa viagem de férias. Tentamos socorrer um motociclista que estava com o pneu furado. Isso lá pras bandas de Goiás  Não deu certo. Pensamos que foi por conta dele ter andado com o pneu furado e a câmara estivesse rasgada...

Sábado fui eu, o pneu esvaziou e imediatamente pulei da moto. Meu marido trouxe o tal  TYRE & GO,  da MotoGP. Um fiasco!

Não gaste seu rico dinheirinho com produtos que não cumprem o que prometem...






CADERNOS JANDAIA SE RETRATA!


Todos nós da equipe Jandaia concordamos que fomos muito infelizes com as imagens escolhidas para a coleção Placas, apesar de não termos tido a inteção de agredir ou incentivar formas de preconceito e violência contra ninguém. Reconhecemos nosso erro, e nos comprometemos que isso não voltará a acontecer.

Como forma de nos redimir pelo ocorrido, decidimos cancelar as vendas deste produto para as papelarias além de realizar uma campanha educativa que reflita sobre os temas que surgiram nas discussões. 

Agradecemos a todos que estão nos ajudando a repensar nossos produtos e colaborando com idéias construtivas. 
Estamos abertos à críticas, opiniões e sugestões. 

Um abraço
Equipe Jandaia



ESTA É UMA VITÓRIA DE TODXS NÓS!!

25 de fev de 2013

CADERNOS JANDAIA E O MACHISMO "NOSSO" DE CADA DIA.


Circula pelo Facebook, do perfil da Paola Souza:

Olá, sou estudante e nesta volta às aulas me deparei com estas figuras no caderno de um de meus colegas... São figurinhas de claro conteúdo MACHISTA que estão presentes nos cadernos da marca JANDAIA e vendidos em todas as lojas de material escolar do país. Achei absurdo estarem comercializando cadernos com essas imagens e resolvi denunciá-los nas principais páginas para que haja uma repercussão do caso. Não podemos deixar que estes cadernos sejam comercializados! Aqui está o catálogo desses produtos no site da empresa:http://pinterest.com/Jandaia/placas/ Denunciem!



Carta enviada pela Amanda Monteiro:

Prezados,

Hoje chegou até mim a mensagem que encaminho abaixo. Acredito que vocês não sejam tão desconectados assim do séc. XXI para não terem acompanhado as repercussões de diversas propagandas machistas que, depois de muita mobilização, foram barradas pelo CONAR. Desde a camisinha Prudence, passando pela propaganda da Nova Schin, ou então a pressão que se foi feita para que a Skol retirasse o patrocínio à Banda New HIT (acusada de estupro de menores).

Hoje, vocês, uma marca que sabe qual é o público alvo, que sabe que seus cadernos circulam por escolas primárias e secundárias, teve a irresponsabilidade de produzir uma série de cadernos que reforçam os estereótipos de preconceito de gênero que por séculos oprimiram as mulheres e que a cada ano deixam milhares de mulheres em situação de violência.

Imagens nunca são só imagens. Elas carregam uma mensagem. E a mensagem que vocês estão transmitindo é a mensagem do ódio, é a mensagem do incentivo ao estupro e da manutenção da mulher em seu papel socialmente construído de submissão.

Inicio desde já meu boicote à marca. E mais que isso, as centenas de coletivos feministas que existem pelo Brasil serão rapidamente acionados, bem como os órgãos responsáveis.

Solicito portanto uma retratação da marca e a retirada dos produtos desta série de todos os locais de venda e circulação.
Ainda que isto [o mínimo] seja feito, já lhes asseguro meu eterno boicote à marca.

Séculos de luta pelo direito das mulheres à igualdade não serão jogados pelo ralo pela estupidez machista de uma marca.

Atenciosamente,
Amanda Monteiro,
Militante feminista e consumidora.

VAMOS NOS MANIFESTAR?

24 de fev de 2013

AUTÓDROMO CAVALO E AÇO - UM CONVITE PRA NÃO MAIS VOLTAR!


Uma pista de dar inveja, de terra, eu sei. Mas muito boa...

Pena que os administradores pensam que o público que vai lá é porco! Banheiros precaríssimos!!!

Nenhum serviço de alimentação [só vi uns churros empoeirados] e no bar nem água e nem cerveja sem álcool... Em tempos de Lei Seca meu marido diabético passou sede...

MAIS "AI" SE EU CRITICAR... 
MEU DEUS! ELA ESTÁ FALANDO MAL DA MARAVILHOSA CIDADE!! 
DE JOAÇABA NADA PODE SER FALADO.... 
TUDO É PERFEITO!!!

QUEREM COMER MERDA, POIS QUE COMAM...

23 de fev de 2013

OPRedeGlobo Joaçaba SC - 23/02/13


Um grupo de jovens que tiraram a bunda da cadeira, saíram da frente de seus computadores e ergueram a voz para gritar "O povo não é bobo! Abaixo a Rede Globo!"Para uma cidade provinciana e reacionária como Joaçaba este foi um grande feito.   Muito bom poder estar com gente que não se cala. Eles têm o meu aplauso.



 


 

22 de fev de 2013

A UNISOCIAL APOIA O JUIZ FERNANDO CORDIOLI - FORÇA VIVA DA SOCIEDADE SERRANA; MOSTRANDO SEU VALOR


No último dia 06 de dezembro de 2012, o Dr. Fernando Cordioli Garcia, mui digníssimo juiz titular na  Comarca de Otacílio Costa, foi, abruptamente, afastado de seu cargo, pelo TJ/SC. É notório – na mídia e perante a opinião publica, que este juiz  tornou-se um arquétipo  nas suas funções de magistratura. Uma das  premissas, deste  impávido  magistrado, tem sido o combate aos desmandos jurídico/judiciais e o enfrentamento a corrupção.Em sua atuação, aplicou um cabedal de decisões judiciais inéditas no combate a corrupção nos setores público e privado - desafiando os “poderosos” e rompendo nocivos  paradigmas- tradicionalmente incrustados na  sociedade serrana.

 A ousadia do Dr. Cordioli, em fazer cumprir – com eficácia e pertinência - os princípios constitucionais de interesse público, aparentemente, resultou em um tipo de “choque de ordem” no TJ/SC: o pleno dos desembargadores do  Tribunal aprovou a instauração de processo disciplinar contra o intrépido magistrado. Isto, simplesmente surpreende, inclusive porque, um mês antes de seu afastamento, este bravo  magistrado  fora homenageado pela Câmara de Vereadores de Otacílio com  a concessão do título de cidadão otaciliense. Todo este  cenário faz vibrar o mais sutil contraventor, e deixa  perplexo qualquer cidadão consciente. Será que, neste país, cada vez que um magistrado decide agir, com intrepidez, frente aos entraves paradoxais das decisões judiciais, inexoravelmente, tem que acabar sendo afastado de suas funções? Por conseqüência, estimulam-se os infratores;  a corrupção (política) acaba  sendo exacerbada; e, de quebra, desqualifica-se as decisões judiciais de primeira instância- causando uma nítida sensação de que a impunidade é sempre favorecida.

Por conta disto, a Unisocial, através de seu secretário, Dr. Valmor Bueno da Luz, juntamente com a notável militante social Dra. Erli Camargo – assessora jurídica do Centro Regional  de Direitos Humanos, sediado em Lages-, foram recebidos, sob os auspícios da ABRACCI – Articulação Brasileira de Combate a Corrupção e a Impunidade-, em audiência por  um membro do CNJ em Brasília, no início deste mês, com o intuito de pleitear intervenção, por parte do CNJ, sobre este fatídico afastamento – entrementes,  o Dr. Cordioli  houver entrado  com recurso  junto ao STF.

Ano passado, em meados de setembro  de 2012, quando o TJ/SC ainda especulava o eventual afastamento do magistrado,  a Unisocial já houvera encaminhado – em caráter preventivo- um oficio ao Presidente do TJ/SC, desembargador Claudio Barreto, solicitando que os desembargadores  reavaliassem o importante trabalho desenvolvido pelo   Dr. Cordioli. Sugerimos, inclusive, a sua designação para o município de Correia Pinto,  cuja Comarca encontra-se desfalcada de Juiz titular a quase um ano. Solicitação esta que foi-nos, peremptoriamente, indeferido.

Portanto, a Unisocial, integrante – a sete anos- da rede brasileira de ONGs no combate a corrupção - capitaneada pela ABRACCI e pela Amarribo, vem questionando, sistematicamente, através  da mídia e  nas redes sociais, o que  qualificamos  de uma deslavada evidenciação de desconstrução da legitimidade do Poder Judiciário; haja vista que o ato de afastamento  foi deflagrado  de forma pontual - queimando etapas de princípios institucionais e éticos, por assim dizer.

A mobilização da sociedade civil organizada, longe de ser  “omissa”, “indiferente” ou  “covarde”   manifesta seu protesto sobre questões que, de perto interessam a toda a sociedade da serra catarinense, a despeito de  não haver, até o presente, posicionamento oficial sobre o episódio, por parte das categorias de classe, como  é o caso da associação dos magistrados de SC e da própria OAB.

 Valmor  Bueno da Luz
Secretário  da Unisocial- União de associados pela cidade saudável
UNISOCIAL – União de Associados Pela Cidade Saudável
CNPJ Nº 08.239.740/0001-97
ONG – Organização Não Governamental Sem Fins Lucrativos
Fundado em 26/06/06
Construindo cidadania plena e participativa”

21 de fev de 2013

Manifestação de leitor sobre a questão das licenças ambientais de SC (FATMA):


Recebi de um contato que prefere ficar anônimo:

"O governador dizer que as obras não andam por falta de licença é sacanagem. Ele precisa perguntar por que as licenças não saem. 

Na maioria dos casos, os estudos apresentados são ruins ou estão incompletos. A Fatma e demais fundações precisam solicitar complementações enquanto não entregam, a licença não sai mesmo. 

Está certa a Fatma. Não é porque a obra é do governo q o técnico vai aceitar tudo meia boca. Governador deveria era perguntar por que o Deinfra gasta tanto com consultoria para projetos de obras e, ainda assim, entrega coisa meia boca!!!! 

Já viu no portal da transparência e no sicop quanto eles gastam com consultoria de obras? Uma fortuna... Milhões e milhões...  Por que não terminam a reforma da ponte Hercilio Luz, por exemplo? 

Problema não é licença ambiental. É incompetência e descaso mesmo. 

A Fatma tem um concurso vigente. Se o governador quer agilizar as licenças, basta fazer o mesmo que fez na polícia e na saúde: nomear!!! Mas não, ele prefere, ao contrário de nomear servidores, fazer convênios com sindicatos de produtores. 

Um agrônomo contratado pelo sindicato dos suinocultores fazendo vistorias e dando licenças para suinocultores daquele sindicato. Já viu disso? Eng Florestal contratado pelo Sindicato dos madeireiros dando autorização de corte  para madeireiros. E por ai vai. 

Sob o argumento de que o convênio servira para auxiliar os municípios na transferência de competências, também chamada municipalização das Licenças, farão a "contratação" dessa mão de obra "gratuita", que pode sair bem cara ao estado. 

Nada contra os sindicatos. Mas essa situação É pra lá de absurda. Não se deixa um lobo cuidando das galinhas!"

20 de fev de 2013

Monólogo com o Governador de SC:

Fui convidada para um evento chamado "Encontro com o Governador Raimundo Colombo", 20:00hs. Pra variar não começou na hora, num total desrespeito as presentes. Teatro lotado, na absoluta maioria de gente que tem uma tetinha no governo da tríplice lambança...

Sendo um bate  papo fui pronta para fazer duas perguntas: 

1- Por que SC tem o segundo pior orçamento para a Assistência Social, só perdendo pro Piauí?

2- Por que SC não fez absolutamente nada do que consta no Pacto Nacional pelo Enfrentamento à Violência Contra a Mulher sendo que nosso estado foi signatário deste documento?

Passaram um filme confeccionado pela empresa SOTEPA onde mostraram as "mega obras" da rodovia que passa por Videira, Tangará, Ibicaré e Luzerna. Nenhum viaduto, não lembro sequer de um trevo... Mas a entonação do locutor parecia se tratar da obra de um rodoanel ou coisa assim, tamanha a impostação de voz. Gente humilde cairia feito um patinho. Os presentes se dividiram em dois grupos: os que aplaudem por fazer parte do time e os que aplaudem por educação. Eu sou mal educada mesmo.

A abertura feita pelo Felipe Mello - filhote do Jorginho Mello - foi de levar a glicose às alturas... Discurso melado, piegas, digno de roteirista de novela mexicana. Teceu elogios à pessoa do Governador, mas a gente estava ali para ter um bate papo ou uma prestação de contas e não pra molhar lenços chorando de emoção. Eu quase vomitei.

Depois veio o governador falando em "palestra". Que poha é essa? Não era um "bate papo"? Que diálogo é esse onde só um fala? Ou melhor, um só fica de trololó e contando vantagem. Dizer que a Dilma é amiga pessoal.. AFF Dilma reservada do jeito que é não deve ter mais que uma dúzia de amigos pessoais e tenho certeza que nenhum deles são do grupo que a prendeu e torturou...

Falou do PACto por Santa Catarina, mas confesso que parei de prestar atenção quando ele disse que a Dilma só fez uma obra no estado: o aeroporto de Lages [terra dele, que coincidência]. Pelo menos assumiu que as obras não andam por conta das licenças ambientais...

Foi um amontado de bobagens que eu tive que rir várias vezes. Mas a pérola da noite foi demonstrar um preconceito racial sem precedentes ao afirmar que os Estados Unidos elegeu um presidente "DE COR"... Raimundão: a raça dele é negra, e com orgulho! Esse eufemismo beira o ridículo!

Pra justificar os baixos salários dos professores alegou que eles não trabalham como os profissionais dos hospitais - 44:00hs - que querem receber mais do que os outros servidores... Ou é burro, ou é um safado! Professor trabalha e muito fora da sala de aula, Sr. Governador! Ou que horas o senhor acha que preparam aulas e corrigem provas e trabalhos? 

Fez um mimimi de incompreendido no tocante à questão da falta de segurança pública, aos ataques que estão acontecendo no estado. Disse que fazia de conta que não estava sabendo o que estava fazendo porque estava agindo em sigilo. Tá, me engana que eu gosto! A força tarefa foi enviada pelo governo federal, agora não tem mais desculpa.

Falou que construiu sete novas penitenciárias (ou presídios, não lembro agora) como se isso fosse uma política inteligente... E as escolas? Continuam o lixo que estão? Quantas novas? Porque o salario dos professores já vi que vai continuar a mesma novela... Alguém diz pra ele que devemos ensinar os pequeninos para não precisar punir quando adultos!

Outra dele foi a taquarada que deu no Mamão dizendo que não adianta nada o candidato ser bonitinho e parecer um ator de novela num programa eleitoral bem feito se na vida real não é capacitado. Eu ri oceanos hahahahaha [daí dá pra ver que o candidato "du culaxaum" a Deputado Estadual deve ser o Guindani - pra desespero do Marco Weiss].

No mais o monólogo não passou de trololó... Dinheiro público jogado fora... 



19 de fev de 2013

Lino Bocchini: O julgamento do caso da Falha


Justiça decide se Falha continua censurada quarta que vem. Saiba porque essa briga também é sua

O disputa jurídica Folha X Falha vai ser julgada em 2ª instância na próxima quarta-feira, dia 20 de fevereiro, pela 5ª turma de desembargadores do Tribunal de Justiça de São Paulo. Você pode se perguntar: “Ótimo, sorte pra vocês. Mas o que essa briga da Folha com a Falha tem a ver comigo?”. Tudo. É fácil entender, por gentileza perca mais 2 minutos e leia esse texto até o final. Segundo o próprio juiz de 1ª instância, Gustavo Coube de Carvalho, trata-se de um caso sem precedentes no Brasil.

Nunca antes um grande veículo conseguiu tirar do ar judicialmente um site ou blog que o criticasse. Na ausência de jurisprudência em solo nacional, o magistrado chegou a citar casos dos EUA –onde, aliás, paródias assim são permitidas.

A alegação central da empresa da família Frias é a de que a Falha fazia “uso indevido da marca”, e que o logotipo e o nome registrado eram parecidos demais com os originais. Acontece que para toda blogosfera nacional, para organização Repórteres sem Fronteiras, pro relator da ONU para a liberdade de expressão, para o Financial Times e outros veículos internacionais de peso, pro Marcelo Tas, para deputados federais de 10 partidos, pro Gilberto Gil e até para Julian Assange, paródias e críticas como as feitas pela Falha não são motivo para censurar ninguém.

Há quase 100 anos, Barão de Itararé satirizou o jornal “A Manhã” criando a “A Manha”. De lá pra cá dezenas de outros casos, no Brasil e no exterior, foram na mesma linha –lembra da “Bundas” de Zirado, que parodiava a “Caras”? E, desde os tempos do Barão de Itararé, ninguém censurou ninguém. Mas aí vieram os barões de Limeira.

Estamos fora do ar a pedido do jornal desde outubro de 2010, com uma ameaça de multa diária de R$ 1.000 caso voltemos. O juiz que concedeu a liminar foi até “bonzinho”: o pedido original da Folha era de uma multa de R$ 10 mil por dia se continuássemos no ar com nossas críticas. Esse site, o Desculpe a Nossa Falha, não contém nada do que estava no site original. Em 1ª instância o final da censura foi negado, e agora vamos ao segundo round. A decisão final abrirá uma jurisprudência, ou seja: em casos semelhantes no futuro, os juízes devem basear sua decisão em um caso anterior semelhante já julgado em definitivo. O que for decidido na batalha Folha X Falha vai balizar decisões futuras. E é aí que mora o perigo.

O embate central é entre a versão da Folha, que pratica censura travestida de proteção à marca versus a versão da fAlha, que evoca a liberdade de expressão. Em caso de vitória do jornal, o precedente que se abre é tão grave que joga contra a própria empresa, que poderá ser processada e condenada em publicação de algumas charges ou colunas do Zé Simão, por exemplo. A própria advogada Taís Gasparian, que assina o processo de 88 páginas contra nós (irmãos Mário e Lino Bocchini), em 2009, fez outra avaliação. Ao defender José Simão contra um processo que tentava censurá-lo, escreveu: “tratar o humor como ilícito, no fim das contas, é a mesma coisa que censura”. Assinamos embaixo.

Defesa pública da censura

O julgamento da quarta que vem será interessante. Começa às 9h, e haverá sustentação oral dos advogados de cada parte. Será a primeira vez, desde o começo do processo, que algum representante da Folha vai falar, defendendo a censura publicamente. Qualquer um pode assistir, é só estar na 5ª turma do TJ-SP às 9h. A presença da imprensa também é permitida, naturalmente. E, a exemplo do julgamento do chamado Mensalão, seria muito interessante uma transmissão ao vivo –mas, para isso, algum veículo de imprensa tem que solicitar ao TJ, e o mesmo deve autorizar.

Por fim, um pedido singelo: por favor ajude-nos a divulgar o caso. Reproduza esse texto no seu blog, facebook ou twitter, ou então escreva sobre o tema com suas próprias palavras. Se animar, de repente vá acompanhar o julgamento ao vivo. Por motivos óbvios, a imprensa convencional irá ignorar o caso. Daí nosso apelo. Obrigado.

15 de fev de 2013

Escravas sexuais em Belo Monte - nove das 14 sao joaçabenses!



Polícia encontra “escravas sexuais” que atendiam trabalhadores de Belo Monte



A Polícia Civil de Altamira (PA) encontrou 14 mulheres e uma travesti em situação de escravidão e cárcere privado em um prostíbulo localizado em área limítrofe de um dos canteiros de obras da hidrelétrica de Belo Monte. A operação foi realizada na noite desta quarta (13), após denúncia de uma garota de 16 anos, que conseguiu fugir. A matéria é de Verena Glass, da Repórter Brasil:
A adolescente procurou a conselheira do Conselho Tutelar, Lucenilda Lima, que acionou a polícia. De acordo com o delegado Rodrigo Spessato, que comandou a operação, as mulheres eram confinadas em pequenos quartos sem janelas e ventilação, com apenas uma cama de casal. Cadeados do lado de fora trancavam as portas Elas tinham entre 18 e 20 anos – além da jovem de 16, e eram provenientes do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. De acordo com o delegado, em depoimentos, as vítimas afirmaram que podiam ir à cidade de Altamira uma vez por semana, por uma hora, mas eram vigiadas pelos funcionários da boate.
Além da situação de cárcere privado, a polícia também encontrou no local um caderno onde eram anotadas as dívidas das meninas, como gastos com passagens, alimentos, e vestimentas, além de “multas” por motivos diversos.
Ameaça de morte – Segundo Lucenilda, do Conselho Tutelar, as garotas disseram ter muito medo de retaliações, uma vez que o dono da boate teria ameaçado seus familiares que moravam no Sul. Em entrevista à reportagem, uma das jovens resgatadas contou que, assim que a adolescente de 16 anos conseguiu fugir, o gerente a seguiu com uma arma. Parte do grupo foi retirado do bordel, mas parte permaneceu com medo de represálias.
“Ele saiu atrás dela armado e disse que não custava matar uma, que ninguém ficaria sabendo”, afirma uma das resgatadas, Procedente de Joaçaba, no interior de Santa Catarina. Ela conta que trabalhava em uma boate cuja cafetina era “sócia” do dono da boate no Pará. “Viemos em nove lá de Joaçaba. Falaram para gente que seria muito bom trabalhar em Belo Monte, que a gente ganharia até R$ 14 mil por mês, mas quando chegamos não era nada disso”, conta.
“Já de cara fizemos uma dívida de R$ 13 mil por conta das passagens [valor cobrado do grupo]. Aí temos que comprar roupas, cada vestido é quase R$ 200, e tudo fica anotado no caderninho pra gente ir pagando a dívida. E tem também a multa, qualquer coisa que a gente faz leva multa, que também fica anotada no caderno. Depois de cada cliente, a gente dava o dinheiro para o dono da boate pra pagar as nossas dívidas, eu nunca ganhei nenhum dinheiro para mim”, explica a garota.
Sobre as condições às quais foram submetidas na boate, ela conta que morava com outras três meninas em um pequeno quarto muito quente, e que não tinha permissão de sair do local. “Eles ligavam o ar condicionado só por uma hora. A gente tinha que trabalhar 24 horas por dia; quando tinha cliente, tinha que atender”, afirma.
“De comida, tinha almoço e janta. Se você estava trabalhando na hora do almoço, tinha que esperar a janta. Se desse muita fome, a gente tinha que comprar um lanche. O gerente da boate dizia que a gente só poderia sair depois de pagar todas as dívidas, e que nem adiantava reclamar porque ninguém ia nos ajudar, ele era amigo da Justiça e nunca ninguém ia fazer nada contra ele. Mas ele disse que se a gente falasse, eles iam atrás dos nossos filhos e parentes lá no Sul”.
Belo Monte – Sobre os clientes, ela conta que eram exclusivamente trabalhadores de Belo Monte. “Eram operários, eram gerentes, tinha de tudo. Todo mundo que trabalha na obra vinha na boate”, explicou.
O delegado Rodrigo Spessato diz não saber se o prostíbulo está dentro ou fora dos limites do canteiro de obras. A conselheira Lucenilda Lima relata, no entanto, que para chegar à boate foi preciso atravessar o canteiro de Pimental, um dos principais da usina. “Foi uma burocracia na entrada para a gente conseguir passar. E lá mesmo toda hora passavam os carros e tratores de Belo Monte, eu considero que a boate está na área da usina”.
Como Pimental fica no município de Vitória do Xingu, o caso está sendo apurado pela delegacia dessa cidade. O delegado local chegou a Altamira na manhã desta quinta-feira para tomar os depoimentos das vítimas. De acordo com o delegado de Altamira, que efetuou a prisão de dois funcionários da boate na noite passada, além de exploração sexual de menor, cárcere privado e trabalho escravo, o caso poderá ser caracterizado como tráfico de pessoas. Os donos estavam sendo procurados.

12 de fev de 2013

Novos catarinenses são incluídos na Lista dos Escravagistas brasileiros!!

O governo federal divulgou, no dia 28 de dezembro de 2012, a atualização semestral da “lista suja” do trabalho escravo e até gente da nossa terra foi incluído!!

- Adão de Góes - 592.275.599-49 -  Rod. SC 428, zona rural, Imbuia/SC.

- Adriano Carlos Piasseski 811.083.549-04 - Granja Voltão - Linha Voltão, s/n, Xanxerê/SC

- Adriano Dale Laste - 944.302.099-87 -  Fazenda Cachoeira - Linha Paiol Velho, s/n, Caçador/SC.

- Agro Mercantil Baseggio Ltda 83.507.137/0001-64 - Rod. BR 153, Km 97, Concórdia/SC

- Agropastoril Gaboardi Ltda - 79.249.082/0001-62 - Rod. BR 116, s/n, km 179, São Cristóvão do Sul/SC.

- Aloir Scariot  - 518.425.729-20 - Fazenda Sumidouro - BR 116, km 151, localidade de Sumidouro, Santa Cecília/SC.

- Antônio Roberto Garrett - ME  - 13.627.789/0001-57 - Área de extração erva mate - Localidade de Paula Pereira, nº 3647, Canoinhas/SC.

- Danilo Marcolino Faccio - 031.830.259-49 -  Fazenda Pesqueiro de Cima - zona rural, Xanxerê/SC.

- Ervateira Linha Alegre Ltda - ME 05.591.323/0001-10 -  Rod. BR 282, zona rural, Pesqueiros, Bocaina do Sul/SC.

- Ervateira Tradição da Palmeira Ltda.  - 94.648.284/0001-70 - Fazenda São Jorge e Nossa Senhora das Graças - zona rural de Petrolândia/SC.

- Ervateria Giotti Ltda – EPP (Giott e Basi Ltda EPP)  - 03.744.353/0001-94 - São Miguel da Serra, Estrada para Nova Galícia, zona rural de Porto União/SC.

- Indústria e Comércio de Erva Mate Tiecher Ltda - 07.972.739/0001-04 - Propriedade de Geraldo Balena - Linha Santa Terezinha, Concórdia/SC.

- L. Schmaedecke Com.  e Indústria Ltda. - 84.933.969/0001-05 - Fazenda Rincão - Rod. BR 116, km 251, zona rural, Correia Pinto/SC.

- Laci Dagmar Zoller Ribeiro - 080.146.559-15 - Fazenda Santo Agostinho - zona rural de Passos Maio/SC

- Marcus Aristóteles Zilli - 041.320.049-37 - Rod. SC 430, km 14, Localidade de Panelão, zona rural, Urubici/SC.

- Obiratan Carlos Bortolon 445.452.319-34 Fazenda Sarandi (sede) - zona rural de Herval do Oeste/SC.

- Parra & Cia Ltda 79.890.737/0001-87 Linha Cordilheira, Ipumirim/SC.

- Paulo Davit Baldo - 199.997.390-91 -  Sítio Caraguata - Alto do Frigorífico, Canoinhas/SC

- Transportes Ari Barbieri Ltda. - 72.316.540/0001-90 - Rua Sete de Setembro, s/n, Lindóia do Sul/SC


Lista completa no Portal do MTE

11 de fev de 2013

Arapucas de Joaçaba, depois que dá merda...

Caminhando com quem entende me foram apontadas algumas coisas que passam despercebidas aos olhos dos leigos...







Mirante sem encosto e sem nenhuma viga. Totalmente deteriorado e não interditado...




10 de fev de 2013

ENCONTRO DE MULHERES PETISTAS DE SANTA CATARINA


15 e 16 de fevereiro de 2013 -Porto Belo – Santa Catarina - Brasil

AS MULHERES NA POLÍTICA E POLÍTICAS PARA MULHERES


15/02 – sexta feira

08:00h - Credenciamento

09:00h - Abertura Oficial
    
09:30h - O Feminismo do Século XXI e as Mulheres na Política.  - Convidada: Vanessa Gil – Sociologa Feminista da Marcha Mundial de Mulheres/RS

10:45h - Café

11:00h - Conjuntura Política e a Questão da Mulher no Brasil e em SC - Convidadas: Ideli Salvati – Ministra das Relações Institucionais do Governo Dilma. - Deputadas Estaduais e Federais.
                                   
12:30h - Almoço

13:30h - Eleições 2012 - Mulheres nos Espaços de Poder - Convidada: Representante Ministério de Políticas para Mulheres

15:45h - Café


16:00h – O PT e as Mulheres - Convidada: Iole Iliada Lopes – Diretório Nacional e Fundação Perseu Abramo


19:30h - Noite Cultural


16/02 – sábado

08:30h – Políticas Públicas e Equipamentos de Promoção e Proteção da Mulher na Perspectiva das Bandeiras Feministas e dos Movimentos de Mulheres. -     Convidadas: Marilene Limberger – Departamento de Mulheres de Dionísio Cerqueira/SC -                                    Bernadete Konzen – Mestre em Sociologia e Secretária de Desenvolvimento               Urbano e Habitação de Esteio/RS.

10:15h - Café

10:30h - Experiências e Vivências no Legislativo e no Executivo - Convidadas:   Claudete Junges – Vereadora de Anchieta SC - Mariluci Dechamps – Vice Prefeita Gaspar SC

12:00h – Almoço

13h30 – O Papel das Mulheres no PT, nos Movimentos Sociais e nos Poderes Legislativo e Executivo. - Convidada: Coletivo de Mulheres PTSC

14:30h - Construção Coletiva:
              Ações Estratégicas 2013/2016
              Principais Bandeiras 2013/2016
              Calendário do Setorial
              
16:15h – Café

17:00h -  Encerramento

8 de fev de 2013

Crise no Carnaval de Joaçaba - Vale Samba como protagonista!

Ontem esta "conversa" deu pano pra manga:


Eu não fiz referência a nenhum advogado em especial, nem conheço a ação. Esta é minha opinião genérica e não arredo pé dela, mas hoje o procurador na referida ação trabalhista se manifestou:

"A resposta qto a quem é mais desonesto, estará disponível na mídia amanhã. Canais de comunicação e jornais interessados podem entrar em contato com nosso escritório."

Me foi franqueado um documento e, se tratando de uma ação que não corre em segredo de justiça, eu me dou ao direito de postá-lo aqui:

FICA A PERGUNTA: SE FOI UM ACORDO A RÉ NÃO FOI CONDENADA COISA NENHUMA. E SE FOI ACORDO É PORQUE A RÉ ADMITE QUE DEVE. CONFERE?



Em tempo: não tenho nada a ver com carnaval, muito menos conheço as partes envolvidas. Só estou expressando minha opinião tendo em vista que está aparecendo cada absurdo no "jornalixo" local que pelamordedeos... A postagem é só a título de botar um ponto final nesta polêmica lembrando que se o dinheiro está na conta da Escola de Samba ele não é mais público, ok?

2 de fev de 2013

O que um brasileiro fora do Brasil pensa do que acontece no Brasil:

Encontrei esse relato num grupo de debates do FB. O autor é ferrenho protetor de animais e tem uma visão de sociedade que poucos têm. Atualmente mora na Áustria:

Amigos do Facebook,

Espero que TODOS vocês entendam que o que escrevo não é uma crítica pessoal. Tratando de posicionamento político, é muito difícil ser totalmente imparcial, não se deixar influenciar pelo que se acredita. Tenho lido aqui muitas críticas a respeito dos governos do PT, os dois do Lula e agora da Dilma. Oposição séria, educada e bem intencionada é ótima. Sou um cidadão brasileiro, quero um país justo, respeitoso e respeitado, e não é por ser filiado ao PT que deixo de enxergar o que é está certo ou não. Escolhi o partido, mas antes de tudo sou brasileiro. Existem aqui muitas críticas aos programas sociais do governo, os mais combatidos são o Bolsa Família, cotas para negros nas universidades, dentre outros.

Programas sociais quase todos os países tem. Em alguns parecem até desnecessários, como os considerados de primeiro mundo. Tenho como exemplo o tempo que vivi na Inglaterra, entre Londres e Newbury (Berkshire) foram mais de dez anos. Pensava sempre que seu conseguia trabalhar, antes ainda de ter fluência no idioma, muitos ingleses conseguiriam também. Partindo desse ponto, existe uma pequena parcela da população inglesa acomodada, buscando “vida fácil”. Falo da Inglaterra, uma das maiores economias do mundo, país de grande respeito aos direitos humanos e dos animais, organizado e bom de viver. País onde existe pobreza, mas muito, muito longe dos padrões brasileiros. Lá existe auxílio moradia (quando a casa não é do governo), auxílio para filhos menores, auxílio alimentação, etc. Li outro dia, não sei se verdade, que na Suíça o governo paga prostitutas para pessoas idosas sem vida conjugal, programas sociais...

Numa viagem turística ao Ceará em 2006, no trajeto de 300 km de van de Fortaleza a Jijoca de Jericoacoara pela BR-222, com destino final Jericoacoara, eu era o único turista na van. Tive a oportunidade de conversar com a guia e o motorista. Comentei com eles que era a minha primeira vez no Ceará e que esperava um a paisagem seca e não verde. Eles disseram que estávamos no inverno, época de chuvas, então estava tudo verde na faixa litorânea. O motorista é natural de uma cidade do sertão e contou que durante o verão tudo é seco e não se planta nem colhe nada (propriedades pequenas) e que a fome é terrível. Muitas pessoas, principalmente crianças, ficam a beira das estradas, pedindo comida. Em momento algum disse a eles que era filiado ao PT. Aproveitei para perguntar sobre os programas sociais e os resultados. Foram unânimes em dizer que pela primeira vez alguém se importou com o problema e que ao menos tinham o que comer durante a época do ano em que não se produz por causa da seca.

Então eu pergunto: qual é o problema do Bolsa Família? Pessoas que utilizam e não deveriam? Então o problema é de quem usa e não do programa. “Ah, mas assim vão criar vagabundos” como os do exemplo inglês que eu mesmo cito. Então o problema são os aproveitadores, pois EXISTEM muitos necessitados que até uma melhor solução tem que COMER todos os dias, ou alguém pode passar sem comida? Dizem que essa é uma solução paliativa, mas antes nem a paliativa existia. Meu dinheiro do imposto está muito bem empregado nos programas sociais do governo.

Lembro minha infância, na década de 70 em que morávamos numa casa simples com um aparelho de TV Colorado RQ preto e branco. Nossa casa era um metro mais baixa que o nível da rua e quando passava Disneylandia aos sábados ou desenhos, abríamos a janela porque na calçada ficavam até 30 crianças amontoadas para assistir. Meu pai preparava jarras de Q-Suco para as crianças, a maioria com roupas esfarrapadas. Quase todos os dias da minha infância batia alguém na nossa porta pedindo comida, roupas, dinheiro para remédios. Isso diminui muito e por isso não concordo com as críticas aos programas sociais, fome não espera! Não precisaríamos “dessa esmola” como muitos gostam de dizer se nossa sociedade fosse democrática e solidária. Já que não é, que ao menos o governo seja!

Ricardo Bilibio, no Brasil trabalho como representante comercial e aqui trabalho numa fábrica como operário, estou morando em Ludesch, Austria.