26 de mar de 2013

Quem tem medo - ou não gosta - dos ativistas?

Preguiça de redigir um texto explicativo em faz dar um "ctrl C - ctrl V" na Wikipedia [por mais que eu a ache fraquinha, na maioria das vezes...]:


"Ativismo, no sentido filosófico, pode ser descrito como qualquer doutrina ou argumentação que privilegie a prática efetiva de transformação da realidade em detrimento da atividade exclusivamente especulativa. 

O ativismo político - A imprensa por vezes usa o termo ativismo como sinônimo de manifestação ou protesto. Nas ciências políticas também pode ser sinônimo de militância, particularmente por uma causa.
Usualmente, ativismo pode ser entendido como militância ou ação continuada com vistas a uma mudança social ou política, privilegiando a ação direta, através de meios pacíficos ou violentos, que incluem tanto a defesa, propagação e manifestação pública de ideias até a afronta aberta à Lei, chegando inclusive à prática de terrorismo.
Os termos ativismo e ativista foram usados pela primeira vez, com conotações políticas, pela imprensa belga, em 1916, referindo-se ao Movimento Flamingant.
Dentro do enquadramento legal e eleitoral das democracias representativas, toma habitualmente a forma de atividade político-social - remessa de cartas, organização ou participação em reuniões, emissão de textos, entrevistas à imprensa e a dirigentes políticos em prol da postura de preferência; promover ou simplesmente seguir certos comportamentos que estão delineados ou que se estima que contribuam para a causa — tal como o boicote de certos produtos de consumo (ou a recomendação de outros), nas compras individuais ou de grupo; ou ainda a realização de manifestações públicas organizadas, tais como marchas, recrutamento de simpatizantes, coletas de assinaturas em apoio a manifestos favoráveis à causa ou contra algo que prejudique a causa.
O ativismo pode também assumir a forma de protesto passivo, de greve, de desobediência civil ou de franca militância ativa, como é o caso da invasão de terrenos ou propriedades, motins e, em caso extremo, o terrorismo e a guerra civil."

Quem tem medo - ou não gosta - dos ativistas?

RESPOSTA SIMPLES E DIRETA: 

OU QUEM ESTÁ ESTÁ NUMA SITUAÇÃO CONFORTÁVEL O SUFICIENTE PARA NÃO QUERER ABRIR MÃO DE SUAS REGALIAS. EGOÍSMO ESCANCARADO.

OU QUEM É DO TIPO QUE GOSTA DE FAZER DE CONTA QUE FAZ ALGO E SE INCOMODA AO PERCEBER QUE PARA MUDAR ESSE ALGO DEVE NECESSARIAMENTE PASSAR PELO ATIVISMO. NELE NÃO CABE ENCENAÇÃO.

Pessoas sensatas, mesmo que não se envolvendo diretamente em lutas, percebem a importância delas para a mudança... Assistem e torcem para que as coisas mudem para melhor, sempre!

[postagem feita numa madrugada de dor e insônia. não gostou? ignora e pronto]


25 de mar de 2013

Lei do silêncio para todos, espero que "mídia" também...

Segunda-feira é um dia que quase nem tenho assunto, hoje não sei por onde começar! A Mostra de Cinema vai ter que esperar um pouco porque algo aconteceu no sábado e eu tenho que dar o meu pitaco hehehehe

Todo mundo está careca de saber que em Joaçaba está proibido carro com som ligado em altos decibéis. Já ouvi de um Promotor de Justiça que alguns equipamentos possuem fio de ouro e valem muito mais que o carro... Até ironizou: "deve ser ali que vai o dinheiro que os pais mandam para os a compra de livros".

Já vi postagens em redes sociais de pais cujo o filho perdeu o som reclamarem da severidade da lei. Já vi entidade que foi benefiada com a doação do bem apreendido tentando vender por não ter utilidade direta em sua atividade. Com o resultado da venda aí sim o dinheiro pode ser melhor aplicado. 

Sábado estava num bar de Joaçaba e vi um quiprocó com um carro da polícia, fui até a porta e observei que um advogado que até pouco tempo estava no mesmo bar batia boca com os policiais. Nisso meu marido entra e me conta que foi pedido pra que ele abaixasse o som e essa "ordem" foi rebatida com um desaforo. Resultado: Advogado indo de camburão e seu veículo conduzido por um amigo [creio que até à Delegacia que funciona anexa ao Detran].

Mais no fim da noite escuto o relato de uma testemunha que presenciou a ação dos mesmos policiais com um jovem de uns 20 anos. Um policial muito exaltado gesticulava e bradava contra o jovem enquanto ia arrebentando o carro todo e retirando o som. A pessoa lamentou não ter uma câmera na hora, seu celular é dos antiguinhos. Citou nomes e me passou todos os dados, que ficarão em sigilo assim como no caso acima.

Seja lá como for, a lei do silêncio pegou. Bem ou mal, foi cumprida em ambas as situações. Agora eu vou ficar de olho na imprensa isenta e bem paga daqui pra ver se vão noticiar todos os "B.Os," ou somente o do jovem de 20 anos. Ou nenhum pra não precisar falar do outro hehehe

Segunda-feira o "plantão policial" bomba! Sou toda olhos e orelhas!

20 de mar de 2013

Figura grotesca, Lobão? Quem?

Nos anos 80 tive muitos ídolos. Morar em São Paulo ajudou muito. Havia show todo fim de semana, todo o domingo, pra ser mais precisa. Titãs, Engenheiros do Hawai [acho que se escreve assim], Paralamas do Sucesso, RPM, Ratos de Porão, Camisa de Vênus.... Até Raul Seixas eu vi! 

Mas ontem eu lembrei de um show em especial: Vida Bandida, do Lobão. Sabia as músicas de cor. Adorava ler e reler reportagens que falavam da sua prisão [por drogas se me lembro bem]. Tinha o LP com a foto em PB... Ir ao show era "de lei". 

Fui, no gargarejo [OK, todo mundo tem sua fase de tiete de alguma coisa], cantei, pulei, suei, levei uma foto para o autógrafo. Saudosos tempos... Nada de dispositivos eletrônicos. Fotos só impressas, ou melhor, reveladas. Consegui até entrar no camarim e ganhar um beijo [na boca] do maluco ali. [hoje seria aliciamento de menor ou coisa assim, mas isso se deu antes do ECA hehe].

De lá pra cá não acompanhei mais nada do trabalho dele. Aliás, depois do Vida Bandida achei até que tinha morrido, até vê-lo no Twitter e no programa A Liga. Mas a vida dá voltas e a única coisa que ainda gostava nele era algumas faixas do LP de 1986 ou 1987, não lembro. Domingo cheguei a tocá-las na estrada, viagem longa, MP3 repleto de sucessos antigos.

Seguia ele no Twitter. Sempre soube da sua posição de direita. Direito dele. Mas este dia 19 ele se superou! Numa tuitada mostrou que, além de reacionário, é de uma estupidez sem tamanho... "DILMA É UMA FIGURA GROTESCA". Na hora respondi que estava sendo banido da minha time line. Foi a conta para ele me responder com um "foda-se" e iniciar uma discussão com outras pessoas. 

O Twitter é assim mesmo. Todo mundo "fala", se atravessa nas "conversas" e logo já tem assunto para uma hashtag. Insulto pra lá, insulto pra cá, ficou provado que muitos da direita não sabem debater no âmbito das ideias. Não concordar com a forma de governo da presidenta Dilma não a torna uma figura grotesca, assim como não gostar dos trabalhos do Lobão não nos dá o direito de chamá-lo de lixo. 

No frigir dos ovos percebe-se um ódio inexplicável contra o atual governo, um ódio que não aponta soluções para os problemas sempre apontados. É a mesma cantilena "o fim está próximo!". Anunciadores do fim do Brasil... Reação dos 7% que não se conformam com pobres em aeroportos, universidades públicas... hehehe

Seja lá como for, esta figura está no ostracismo enquanto nossa presidenta é referência mundial, portanto reitero aqui o que disse para o roqueiro decadente ontem: ENQUANTO A CARAVANA PASSA OS CÃES LADRAM!

No mais nada que um "unfollow" não resolva, afinal faz tempo que ele desapareceu da mídia, fazê-lo sumir da minha frente bastou um click... hehehe

[a menos que uma overdose o torne a hashtag de um dia qualquer...]

17 de mar de 2013

SITES ONDE NÃO COMPRAR!

Lista "suja" de endereços eletrônicos para você consultar antes de fazer sua compra na grande rede!


12 de mar de 2013

1ª MOSTRA DE CINEMA INDEPENDENTE - 22 e 23 DE MARÇO, EM JOAÇABA.


Local: Auditório Jurídico da UNOESC Joaçaba

22/03/2013
19:00h Curta metragem "O Velho, o Mar e o Lago", de Camilo Cavalcante
19:30h Longa "A Febre do Rato" , de Claudio Assis
21:30h Debate com Marcello Maia**, produtor executivo dos filmes.

23/03/2013
09:00h Documentário "Moacir Arte Bruta", de Walter Carvalho
10:15h Média para TV " Novela Vermelha" , de Michel Melamed, 35minutos
10:55h Longa " A Erva do Rato" , de Julio Bressane
13:20h Curta metragem "Tropel"
13:35h Curta metragem " Reminiscências "
13:45h Debate com Marcello Maia
14:50h Documentário "Cazuza - Sonhos de uma Noite no Leblon"
15:30h Making of do filme "Faroeste Caboclo"

O PRODUTOR EXECUTIVO MARCELLO MAIA ESTARÁ PRESENTE NA "1ª MOSTRA DE CINEMA INDEPENDENTE", DIAS 22 E 23 DE MARÇO, EM JOAÇABA.

CURRÍCULO MARCELLO LUDWIG MAIA - Comemorando 25 anos de trajetória no cinema brasileiro em 2013, o produtor carioca Marcello Ludwig Maia, coordena sua própria produtora, República Pureza, desde 1995 e entre os filmes dos quais teve participação fundamental destacam-se MadameSatã, de Karim Ainouz, Amarelo Manga e Febre do Rato, de Claudio Assis, Um Passaporte Húngaro, de Sandra Kogut, três projetos de Walter Carvalho - os longas documentais Moacir Arte Bruta (Prêmio ABD – 10º. Festival Internacional de Documentários - É Tudo Verdade, entre outros), Lunário Perpétuo (protagonizado por Antônio Nóbrega e lançado em DVD pela Trama) e Um Filme de Cinema (Selecionado pelo Fundo Setorial em 2012 e em finalização) -, dois longas de Julio Bressane - A Erva do Rato (Seleção Oficial 65o Festival de Veneza; Mostra Orizonti) e Educação Sentimental (em finalização). Entre os projetos em andamento, A História da Eternidade (entrando em fase de finalização), de Camilo Cavalcante, Faroeste Caboclo (lançamento nacional em 30 de maio), de René Sampaio, e Órfãos do Eldorado (primeiro filme baseado num romance de Milton Hatoum e em filmagem a partir de junho), de Guilherme Coelho, entre outros.

FEBRE DO RATO:


ERVA DO RATO:

8 de mar de 2013

CAMINHADA DA MULHER EM JOAÇABA - ESTE ANO EU NÃO VOU!


Durante dois anos participei do evento, respeito quem organiza e entendo a boa vontade, mas o que acontece além do evento? Estou falando de ações efetivas, que gerem resultado nas vidas das mulheres...

Todos os dias somos bombardeadas com notícias de atos de violência, pior, muitas vezes contra mulheres que participam deste tipo de evento! Não falo somente de violência física, falo da moral, da institucional. Toda forma de violência deve ser rejeitada e combatida.

Este evento está longe de ser um gatilho para futuros debates, dali todas vão embora atender seus maridos e filhos e cumprir com as obrigações impostas pelo patriarcado. 

Pra mim não serve o ato pelo ato. Na hora que for para bradar "LUGAR DE MULHER É NA LUTA!" contem comigo... 

Por ora fico cá com os meus botões tentando mudar o mundinho a minha volta. 

Há Braços!
Bete Vieira
Ativista de Plantão!



3 de mar de 2013

Kasinski Mirage 150 - minha nova aventura!

Dia 28 foi meu aniversário e como há tempos eu vinha ensaiando comprar uma motocicleta "de verdade" para parar de viajar só na garupa optei por me dar de presente uma Mirage 150 da Kasinski. Era namoro antigo, Salão Duas Rodas de 2009 e de 2011. Na verdade o olho cresceu pra cima de uma 250cc, mas eu tenho noção das minhas pernas curtinhas e da falta de experiência com motos de marcha. Há sete anos piloto um C100 Biz [bem boazinha pra cidade, por sinal].

Neste domingo aproveitei para pegar a estrada e sentir o que é pilotar numa estrada... Adorei! Eu que sou baixinha fico insegura de andar numa moto que eu tenho medo de não conseguir segurar. Meu marido sempre diz que pra pilotar uma moto a pessoa tem que conseguir levantá-la, caso caia ou incline. Beleza! Essa aí é perfeita pra mim!

Chegada da minha moto - Rudimar da BarraVento de Chapecó trouxe pra mim!

Cachimbina - produto produzido na minha empresa e que MELHORA NA HORA a ignição e a queima de combustível. Não podia deixar de colocar na minha motoca nova! A Biz já usava! 

Olha eu aí em Água Doce ao lado da minha Biz, parceira de longos quilômetros!

A próxima viagem do casal será cada um na sua...

Diário do ESF - Do Clínico Geral para o Especialista:

Semana cheia!

Como não pude ir no dia 15 (sexta-feira) para mostrar os exames (o que são três dias a mais pra quem esperou desde o dia 25, né?) cheguei cedo nesta segunda-feira, dia 18: 6:40hs. Chegamos, meu marido que é diabético e hipertenso também precisava fazer uma consulta por conta da mudança de município.

O médico, informaram, devia chegar entre 8:30h e 9:00hs. Ficamos esperando até 9:30hs. Questionado, o funcionário disse que ele deu plantão no HUST e só foi liberado aquela hora.

Como estou igual gestante, as idas ao banheiro têm sido mais constantes. Tive que usar o do postinho. Limpo e em ordem. Só dei por falta de sabonete e papel toalha. Numa unidade de saúde onde a higienização é premente...

Fomos chamados para o atendimento. Levei um susto ao ver que uma estagiária iria ver meus axames. Como assim? Onde foi parar aquela história que só o meu médico podeira olhar os exames. Expliquei para a moça e disse que não era nada contra ela, mas tudo contra o discurso ser um e a prática ser outra. Ela foi falar com o médico. Mas eu disse que não via problema dela olhar os exames, só achava um abuso ter me deixado tanto tempo na expectativa. 

Fui super bem atendida pela estagiária [aliás, muitas vezes eles são melhores que os médicos, pois prestam toda atenção no que estão fazendo]. Logo depois ela levou os meus exames para o médico e voltou com ele me informando que eu tinha uma insuficiência nas veias de trás dos joelhos, mas que íamos continuar com a medicação que já fora receitada e com as caminhadas que venho fazendo.

Ele me falou que meu útero está quase quatro vezes maior que o normal e que meu horário com o médico ginecologista já estava marcado para a próxima quinta-feria, às 13:30hs.

Falei do anti-inflamatório que tinha restrição para asmáticos. Falei que não posso nem passar perto do diclofenaco por já ter tido uma parada respiratória. O médico pediu para anotar isso e passar marca texto nesta informação na minha ficha. Mudou a receita para Nimisulida, a qual já usei sem problemas.

Abro parênteses para citar a consulta do Branco: A estagiária olhou as anotações dele e com a ajuda do médico refez as receitas para ele pegar novos remédios, agora em Herval d'Oeste. Fez uma requisição para vários exames laboratoriais, para que dessem continuidade ao tratamento da diabetes e da hipertensão. Quanto à dor na perna, receitaram Nimisulida também.

Meu horário do especialista foi mudado para a parte da manhã, me ligaram avisando. Bacana isso. Foi para as 8:30hs. E lá estava eu no dia e hora marcados.

Peso, pressão e consulta com um médico bem novinho, recém vindo de Passo Fundo. Pareceu bastante atencioso, olhou os exames, mas passou batido no Doppler, depois que avisei ele olhou. Nos laboratoriais nem correu os olhos.

Vendo o meu Ultrasson Pélvico me explicou que o mioma está fora do útero e que poderia ser tratado com hormônios antes de se pensar em cirurgia. Como eu tenho pavor de cair numa sala de cirurgia da HUST fui logo pedindo as alternativas: pílula, adesivo, injeção e DIU. 

Ouvi sobre a pílula e sobre o DIU Mirena, este me pareceu mais simpático. Mas não tem pelo SUS. Se eu optasse teria que ser particular. R$ 1.500,00 a aplicação. Sugeriu que eu pesquisasse e pensasse em qual dos tratamentos eu escolheria. Lógico que com uma "autonomia" de cinco anos, eu, que posso pagar, ia optar pelo DIU.

Saí com a coleta do Preventivo de Câncer nas mãos. Preferi fazer o exame particular para apressar o resultado, tendo em vista que tenho pressa no início do tratamento. R$ 30,00 no CEPAC. Saí com uma receita para evitar as cólicas, Ponstan de 12/12hs dois dias antes da menstruação e durante toda ela. [como estou atrasada na postagem já posso dizer que deu muito certo].

Como já estou com 41 anos foi me dada uma requisição para a Mamografia. Como esta não é de urgência eu vou seguir os trâmites do SUS para ver como é a vida de quem não tem a menor condição de pagar pelos exames... Vamos ver.

O Nimisulida peguei na farmácia do SUS. O Ponstan comprei na farmácia de rua, assim como o Diosmin receitado para as varizes.

Fiz as pesquisas sobre o Mirena na internet e pedi para amigas do Facebook. pelos relatos me decidi: final do mês farei a aplicação em clínica particular.