13 de abr de 2013

Marcelino Chiarello: laudo não será divulgado


"Chapecó – A Polícia Federal de Chapecó, através do delegado Oscar Biffi, encaminhou uma nota à imprensa no final da tarde de quinta-feira. Segundo o documento, a divulgação do laudo da morte de Marcelino Chiarello, que seria hoje, foi cancelada.
De acordo com o delegado, “na tarde de hoje [quinta], recebemos requerimento de Dione Guarnieri Chiarello, viúva de Marcelino Chiarello, solicitando a não divulgação das conclusões do inquérito. Dessa forma, em respeito à família, por ora o resultado não será informado à imprensa e a sociedade Chapecoense.”
Além disso, o delegado ainda esclarece que o inquérito, com as conclusões que apontam as causas da morte de Chiarello, será encaminhado ao Judiciário nos próximo dias.
Motivações
Segundo um dos advogados da família, Alcides Heerdt, o pedido foi realizado porque eles esperam que o médico legista contratado pela família emita a sua avaliação sobre a exumação e a perícia no local do fato.
Os advogados solicitaram ao Judiciário uma certidão que comprove que Daniel Munhoz é assistente técnico da família. De acordo com o processo disponível no Tribunal de Justiça, o médico foi nomeado assistente técnico em julho do ano passado.
Porém, segundo Heerdt, após acompanhar a exumação do corpo, Munhoz não teve acesso aos laudos. Com a certidão em mãos, o médico poderia ter acesso e emitir seu parecer.
A autorização seria conferida na tarde de ontem pelo juiz de Direito Rafael Sandi. Porém, ao acessar o processo a partir das 18h, o Diário do Iguaçu não conseguiu mais obter informações específicas, pois os autos estão em “Segredo de Justiça”.

Mobilização
Na tarde de quinta, mais de 100 integrantes do Fórum em Defesa a Vida, que realiza atos desde a morte de Chiarello, esteve no Fórum de Chapecó. As reivindicações são para que o médico legista Daniel Munhoz seja reconhecido como assistente técnico da família, tenha acesso ao processo e para que seu parecer seja incorporado no processo; e para que os advogados da família tenham acesso a todas as fotos do local onde Marcelino foi encontrado morto.
Os promotores de Justiça Jackson Goldoni e Cleber Hanisch receberam os integrantes do Fórum, que entregaram um documento com as reivindicações aos dois. “O Ministério Público vai se manifestar a cerca do inquérito após receber e analisar o laudo. Zelamos a todo momento pela integridade dos trabalhos. Recebemos denúncias e verificamos todas. Isso será apresentado assim que o relatório final seja concluído”, explicou Goldoni.
Segundo os promotores, existem três caminhos após a apresentação do laudo: indiciamento de alguém, caso seja comprovado crime, requerimento de novas diligências, ou arquivamento do processo.
A integrante do Fórum em Defesa a Vida, Deise Paludo, afirmou que, dependendo do resultado do laudo, o Fórum vai dar continuidade aos atos. “Se precisar ir à Comissão de Direitos Humanos, nós vamos”, enfatizou. 

Fonte: http://www.redecomsc.com.br/2012/noticias/policia/Caso_chiarello_laudo_nao_sera_divulgado__5384

Fotos: Rafaela Menin/RedeComSC

Nenhum comentário:

Postar um comentário