28 de jun de 2013

Dicas de economia para o Poder Público: A água engarrafada

Faz tempo que critico o uso de água engarrafada em reuniões das Câmaras de Vereadores e demais órgãos públicos...

É ambientalmente contestável e o custo é uma afronta a nós contribuintes. Estou de olho nisso! 

Fica aqui uma ótima dica para economizar o dinheiro que falta para os remédios nos postinhos, por exemplo!

Sem contar que o próprio poder público não está avalizando a água que fornece à população... É tão ruim assim que vocês, gestores, têm pânico de beber?



Até a próxima dica, pessoal!

26 de jun de 2013

Nota de Esclarecimento sobre o PL que trata das castrações de cães e gatos na cidade de Herval d'Oeste:

Está circulando, nas redes sociais, que o projeto que propõe castrar cães e gatos no município de Herval d'Oeste tem previsão orçamentária na casa dos R$ 500.000,00 - quinhentos mil reais. Isto é uma afronta direta à realidade fática tendo em vista que há uma previsão de um gasto de R$ 30.000,00 a R$ 40.000,00 ao ano com tendência de reduzir ao longo do tempo haja vista a diminuição do número de animais a serem castrados dada a redução sistemática de sua população. 



Entendo o interesse e preocupação com outros problemas pelos quais o município de Herval d'Oeste vem passando e me junto às pessoas (que agora estão repercutindo este discurso distorcido que circula sobre os gastos), no tocante a isto. Mas convido cada uma à leitura do Projeto de Lei e demais notícias que circulam no meio da imprensa tendo em vista que, provavelmente, não estiveram presentes na referida sessão temática para ouvirem e serem ouvidas sobre o assunto em pauta.

Aproveito o ensejo para convidar estas mesmas pessoas a unir forças no controle dos gastos públicos, pois esta mesma Casa Legislativa que teme investir R$ 40.000,00 ao ano em uma política pública, já gastou o mais de R$ 39.000,00 em diárias em somente quatro meses...

Em tempo - circula por alguns meios de imprensa que eu - Bete Vieira - apoiava a criação de "campos de concentração". O que também não é verdade. Eu apoiava a criação de abrigos, mas infelizmente muitos acabam virando como que campos de concentração, dado ao sofrimento e privação de liberdade a que os animais acabam sendo submetidos. 

25 de jun de 2013

Castrar bicho de rua é desperdício!? E pegar um monte de diária é o quê??

O Vereador Jean Patrick me ligou e disse que os valores que foram lançados não conferem. Eu havia feito a consulta mês a mês - refiz as consultas e só lancei as diárias [que acumulam] - demais despesas diretas que estão com as diárias ignorei. 

Mesmo assim tem vereador falando em gastar CINCO MIL POR ANO PARA TODA UMA POLÍTICA PÚBLICA QUE ATENDE O MUNICÍPIO E ELE VAI EXTRAPOLAR ISSO EM DIÁRIA NO MESMO PERÍODO??

As investigações continuam porque vieram outras de cursos e outras coisas mais. 

Também veio coisa do Poder Executivo, mas isso fica para um segundo momento...

EU VOU ACHAR CINQUENTA CONTOS PRAS CASTRAÇÕES, VOCÊS VÃO VER.
___________________________________________________

Ontem teve sessão temática pra tratar do controle populacional de cães e gatos na cidade de Herval d'Oeste. Tem uma matéria bem bacana no Herval em Foco. Como notícia está ótimo...

Mas a minha indignação foi ver os vereadores virem com uma conversa mole sobre ser um gasto desnecessário, que há outras prioridades como Saúde e Educação... Outro chegou a dizer que se deveria aprovar a lei, mas se não tivesse verba daí não seriam feitas as castrações...

O valor ANUAL do projeto está entre R$ 30.000,00 e R$ 40.000,00. Nada muito vultuoso se formos ver que vai impactar até nos outros gastos do município. Mas um deles está gritando nas redes sociais que é R$ 500.000,00 - acho que a gente não estava na mesma sessão temática. Eu não ouvi isso em hora nenhuma...

Este mesmo partiu pro bate-boca e disse que havia uma família comendo lixo. Revidei com a resposta que isso era problema para o CREAS e as políticas públicas do SUAS. Outro disse que faltei com o respeito e deu uma de indignado, por se tratar de autoridade...

Bacana toda esta preocupação com os cidadãos que passam necessidades e que não tem atendimento adequado nos "postinhos". Eu também me preocupo muito com isto!

Levando em consideração toda esta preocupação com a lisura no uso do dinheiro público, resolvi consultar se os nobres edis estavam usando com parcimônia o direito de uso de diárias... 

Pois bem: Aí estão os números:

Adelar Provensi  PSDB -  R$ 4.800,00
Everton Parisenti PMDB - R$ 1.200,00
Juarez Antônio de Souza PMDB - ZERO
Tomaz Alberto Conrado PMDB - R$ 2.100,00
Davi José Frozza PSD - R$ 1.200,00
Gilmar José Dri PSD - R$ 7.200,00
Leonardo Mascarello PSD - R$ 4.800,00
Vanderlei Antunes da Silva PRB - R$ 1.200,00
Euclides Filipini PSDB - R$ 1.200,00
Jean Patrick Giusti PSDB - R$ 1.200,00
Osni Silveira de Ávila PSD - ZERO

TOTAL GERAL CMHO- R$ 39,150,00!

Só a Prefeitura de Herval d'Oeste - que dizem estar quebrada e não poder desembolsar o valor dar castrações já gastou R$ 34.399,20 em diárias até agora! 

Se economizar em diárias já dá pra castrar!!
CMHO + PMHO =  R$ 73.549,20

Para os que acham que R$ 50.000,00 por ano, para uma política pública de grande impacto no município, é um gasto desnecessário bem que vocês podiam economizar nas diárias e reverter este dinheiro para algo que "grita" de tão urgente que é...

E quem está faltando o respeito com quem, heim???


PS - abro o espaço para manifestações, pois sei que podem haver diárias bem justificadas aí, mas o site não mostra a justificativa - não achei, pelo menos. As manifestações serão todas publicadas, porque eu gosto de garantir o direito de resposta e de defesa :)

21 de jun de 2013

Sessão temática em Herval d'Oeste - 24/06 - Castração de cães e gatos:

DIA 24 DE JUNHO - 19:00HS

TODOS NA CÂMARA DE VEREADORES DE HERVAL D'OESTE PARA PEDIR POR UMA POLÍTICA DE CASTRAÇÃO PÚBLICA PARA ANIMAIS DE RUA E DE FAMÍLIAS CARENTES!!


19 de jun de 2013

Onde há homofobia estou fora!

Passei a manhã recebendo indireta nas redes sociais por conta da retirada do meu apoio à manifestação de ontem em Joaçaba:

Nem vou entrar no debate político porque já deixei no meu mural do Facebook:

"Está difícil entender o que o meu apoio à pessoa da Presidenta Dilma Roussef, não significa aplaudir todas as ações do Partido dos Trabalhadores? Lamento se as suas mentes não conseguem fazer o exercício de senso crítico, a minha consegue. E eu não estou com saco para debates de rede social porque estou muito ocupada lendo artigos que, podem até estarem sendo compartilhados nelas, mas não nasceram de mentes que se alimentam delas...
Mais leitura! Menos Facebook, por favor!"

Também não vou discorrer sobre ser uma manifestação "coxinha". Minhas últimas postagens já o fizeram...

A questão é outra [também]: 

Eu odeio preconceito e o preconceituoso não se apresenta "oi, sou homofóbico de carteirinha", são nos pequenos detalhes que o sentimento aflora...

Nunca contem comigo para ombrear com gente assim. 

Como dizem: só desenhando:




Ontem ouvia-se falar em 1.000, 1.200 manifestantes. Hoje de manhã já li 2.500, 3.000. Até às 18hs devemos chegar aos 5.000. rsrsrs


Manobra da massa ou massa de manobra II - ou como identificar um "coxinha":


  • Como identificar um coxinha - Eles sempre usam frases vagas e falam dos temas com a profundidade de um pires. Segue abaixo uma lista de 13 coisas ditas/feitas por coxinhas e que viram até cartazes em manifestações:

    1) "Acorda Brasil!" (Acorda pra quê?)

    2) "Contra a corrupção" (Se eles soubessem o que é Nióbio...)

    3) "Cansei!" (De quê? De ganhar toddynho na cama?)

    4) Governo corrupto (mas não sabem que existem 3 esferas de governo. Aumentou o ônibus da PREFEITURA? A culpa é da Dilma!)

    5) Usar citações do hino nacional achando que são "caras-pintadas" (como se os caras pintadas tivessem feito alguma coisa pelo país)

    6) Fica escrevendo mensagem em inglês querendo que gringo veja e tentando desestimular a vinda deles para a copa (como se fosse adiantar criar pânico)

    7) "Não acredito em partidos, acredito em pessoas" (A pessoa faz parte de um partido, que faz parte de uma coligação e todos vão cobrá-lo após eleito)

    8) Se acha politizado saindo com nariz de palhaço na rua e diz "eu sei que a Globo manipula a notícia", mas continua acreditando na Globo. E na Folha, no Estadão, na Veja, na Época, na IstoÉ, na Bandeirantes, na Record, no SBT... Como se não fossem todos farinha do mesmo saco.

    9) Falam que falta "saúde e educação", mas não conseguem desenvolver o tema.

    10) Diz que todos os políticos são corruptos, mas só fala mal daqueles que a mídia manda (Lula, Dilma, Sarney, Renan Calheiros, Feliciano, etc), ignorando alguns monstros que temos por aí (cel. Telhada e Conte Lopes, por exemplo) e outros que até pouco tempo ainda não povoavam o inferno (Conheces um tal de ROMEU TUMA? Pois é...).

    11) Diz que o Brasil é um lugar muito violento e pra resolver isso, quer mais policiamento nas ruas.

    12) Quer coisas "apartidárias", mas não sabe que se não fossem partidos como PSTU, PSOL e PCO essas manifestações não teriam saído do Facebook. (E já adianto: Eu não gosto de nenhum dos partidos citados)

    13) Dizem que "o gigante acordou" só pq eles, por UMA vez, foram repreendidos.

    Não coxinha, o "gigante" não acordou. A massa nunca dormiu, por que sempre sofreu na pele o que tu experimentaste apenas uma vez na vida. Negros, gays, pobres, mulheres e quaisquer outro que fuja do teu tipinho "branco classe média" estão há séculos se fodendo e sofrem o preconceito na pele todo santo dia. Coxinha não é gigante. O fato de tu teres aparentemente aberto teus olhos não significa que isso vá mudar alguma coisa.

    A mídia vendeu e tu abraçaste, como tudo nessa tua vida vã e fútil.

    Não sou teu companheiro de manifestação. Estávamos lado a lado em corpo, mas eu me orgulho MUITO em dizer que não estávamos lado a lado em causa.

    Nós não queremos o mesmo Brasil. Nós não temos os mesmos sonhos.

    Se nós só não somos mais considerados "vândalos, vagabundos e delinquentes" pela tua presença, eu prefiro que tu vá embora e eu seja chamado disso tudo novamente.

Manobra da massa ou massa de manobra?


  • Vocês, que levam a bandeira e cantam o hino, que vão em peso nos atos e sentem a maior alegria em representar o Brasil nas ruas, saibam que estão sendo os breques da revolução.

    O Estado utiliza-se do nacionalismo para criar um sentimento de coletividade na população em prol dos interesses DO ESTADO, e não do povo.

    Vocês, que acreditam estar lutando, fazendo a diferença, não perdem tempo em fiscalizar a forma que os outros manifestantes usam para reivindicar seus direitos. Estão agindo exatamente da forma que o Estado quer.

    A maior de suas preocupações não é mais a pauta do transporte público superfaturado e de má qualidade. É reprimir ações que de alguma forma, pressionam de fato os que estão no governo. Não são mais manifestantes, e sim, parte da repressão, só que agora mais que infiltrada.

    Eu não confio em vocês. Já foram manipulados o suficiente para entregar um companheiro de luta, desde quando a imprensa comprou a briga com as manifestações. Se a imprensa tem algum interesse em lhes trazer para um movimento que tecnicamente é contra o governo, o mínimo que se pode é desconfiar.

    Pra que desgastar a PM, que já está mal vista pela população e pela mídia externa, se a própria população pode reprimir e impedir que a revolução aconteça de fato? E faram sorrindo, cantando hino e abraçados à bandeira! Patriotas orgulhosos de si mesmos por estarem prestando um bom serviço à pátria!

    Espero que quando acordarem de fato, percebam que aqueles que foram reprimidos por vocês mesmo, estavam lutando por todos. O pobre excluído, você e eu.

    E no fim, quem sabe o Estado dê a vocês um biscoito por terem sido bons meninos.

    Camila Berka. 18 anos, São Paulo.

18 de jun de 2013

Desabafo de uma manifestante consciente:

Sabe o que eu senti sobre ontem?

É lindo que o povo, apesar de ser classe média em maioria, tenha saído da sua zona de conforto pra mostrar sua insatisfação, mas o que me preocupa é a descaracterização de um movimento contra o aumento da tarifa. Virou uma marcha contra a corrupção, um dia do basta, com um apelo extremamente nacionalista impensado (e nem vou me aprofundar sobre a presença de fascistas carecas que estavam lá por um sentimento patriótico, e não pela causa).

Parecia 7 de setembro! Nunca vi tanta gente empunhando uma bandeira sem ao menos saber o peso que isso carrega! Eu me senti minoria lá, senti como estivesse em qualquer lugar, menos no ato contra o aumento, que preza por uma vida sem catracas e sem fronteiras!

Não estou falando sobre ser pacífico, até porque, apesar de achar que protesto que é protesto, tem que colocar medo dos covardes engravatados que nos rebanham todos os dias, nem que seja pela força de gritos, eu reconheço que foi uma forma linda de mostrar que as pessoas são capazes de se organizar pacificamente e ocupar cada rua da cidade que lhes pertence.

O que vi, eram pessoas passeando calmamente, cantando hinos e exaltando uma ideia tão abstrata quanto a de pátria. Esse apelo nacionalista, que une as pessoas e move multidões pelo concreto da cidade, é realmente perigoso. Basta dar uma olhada na história pra percebermos o quanto essa ferramenta é manipuladora.

A galera que estava no ato, ao menos a maioria, foi porque a mídia, após ter sido atacada pela PM, volta-se a favor das manifestações e denuncia toda a ação truculenta dessa polícia que já deveria ter sido reestruturada há muito tempo. Todo mundo achando uma grande festa. E foi, admito, uma cena bem bonita, ver as pessoas unidas por um propósito comum, mas de longe foi isso que as trouxe a rua, porque antes mesmo das ações da PM essas pautas já eram mencionadas pelo movimento e já estavam lutando por isso.

O que as uniu, essa ideia da bandeira, é o que nos faz ver que essas pessoas não pensavam em como é duro o dia-a-dia de quem atravessa a cidade pra manter a família. Eles foram por um sentimento de amor à pátria, amor à ideia de nação, e não de coletividade. É fácil perceber o tanto de gente que dava mais valor pra essa ideia do que pro pobre que se ferra todo dia. Além disso, surgiu um sentimento de ódio das pessoas que cantavam o hino e as músicas de exaltação da pátria, às pessoas que se recusaram e até pediam para não cantar. Não era uma proibição, mas naquele momento em que as pessoas falavam pra que não cantassem, era um apelo à reflexão. O resultado disso foi gente indignada porque não estavam "adorando a própria morte" a nossa terra adorada.

Essa mesma galera que ontem empunhou bandeiras do Brasil e gritou, também, pela diminuição da tarifa, é a mesma galera que reclama que tem gente fedendo dentro de ônibus de manhã. É a galera que mostra ojeriza a pobre nesses ambientes.

Senti como se aquela massa tivesse comprado a ideia que a imprensa vendeu quando quis, e depois, o ato contra o aumento da tarifa tivesse sido sequestrado e se tornado uma grande manifestação de "até a gente tá indignado". Ontem a polícia foi muito mais branda do que outros dias. Quando a classe média aparece em peso, não se pode "descer o sarrafo" no povo. Complica. Agora, o pobre na favela que apanhar sem ninguém ver, ninguém se revolta contra isso. A galera que estava inicialmente nos atos tinha isso bem claro em mente. Por isso toda essa rejeição. 

Não há como negar que a massa só se indignou porque casos isolados foram super focados e, mesmo com sua importância, moveram mais pessoas por essa indignação do que pela exploração que as classes mais desfavorecidas sofrem.

Eles se enxergaram na repórter, que só estava trabalhando quando levou um tiro no olho. Que estava pacificamente, que não tinha culpa. Não se enxergaram no pobre indignado com um transporte público decadente. É mais fácil abraçar a causa por onde se tem empatia.

Eu não quero desqualificar a presença de quem foi. Só queria que todo esse povo que se reuniu pela internet, que diz que o gigante acordou, percebesse que há um monte de gente acordada faz tempo, e que o que aconteceu foi simplesmente essa grande parcela da população que resolveu enfim tirar a bunda do sofá e fazer alguma coisa.

Repensem o motivo de estar lá. Há uma pauta inicial, e que certamente envolve outras questões, mas ela é um objetivo claro. Repensem suas atitudes reaças durante o cotidiano, porque de nada vale bradar por uma união contra quem rouba dos cofres públicos, se você é reacionário e leva uma vida explorando e oprimindo outras pessoas ao seu redor, em todos os âmbitos.

Se vamos todos às ruas, que seja olhando pro lado e percebendo cada pessoa como irmão, com um sentimento de coletividade e reconhecendo a exploração que cada um sofre, e não por um sentimento que nos foi internalizado, verde e amarelo, que é usado todos os dias contra nós mesmo numa maneira do Estado manipular a massa.

Vamos todos unidos, mas apenas por nós, porque reconhecemos em nós mesmo esse sentimento de compaixão, e não porque exaltamos esse título, essa bandeira que não nos representa. Estamos lá pelo povo, e não pela pátria.

"O povo unido, jamais será vencido!"

Camila Berka, 18 anos, São Paulo/SP.

17 de jun de 2013

Boas bandeiras pra se lutar :)

Texto da companheira Schirlei Azevedo. Boas bandeiras pra se lutar :)

Trabalhadores e Trabalhadoras deste Brasil: Unidos somos ainda mais fortes!!
E Viva a Democracia!! E Viva o Direito a Livre Manifestação!E Viva o Brasil!!

Por um Transporte Público, Gratuito e de Qualidade; 

Por um Estado realmente Laico;
Contra o Estatuto do Nascituro e Redução da maioridade Penal;
Pelo fechamento das empresas que utilizam do trabalho escravo;
Pelo direito à Memória, Verdade e Justiça contra os crimes da Ditadura Militar; 
Pelo Limite da Propriedade da Terra e o fim dos latifúndios;
Pela redução da jornada de trabalho;
Pelo fim do trabalho no comércio aos domingos e feriados, com fechamento dos shoppings e supermercados;
Pelo Fim da Violência doméstica e familiar contra meninas e mulheres!
Pela Reforma Agrária e Urbana; 
Pela igualdade ampla e irrestrita entre homens e mulheres; 
Pela livre orientação sexual; 
Pela descriminalização do aborto;
Pelos Direitos Humanos contra a barbárie da repressão na cidade, no campo, e contra os indígenas e quilombolas;
Pelo fim da prostituição e do tráfico sexual;
Pelo Fim do Assédio Moral nas Relações de Trabalho;
Por um novo marco regulatório para a Comunicação;
Por 100% dos royalties do petróleo para a educação;
Pela taxação das grandes fortunas;

Ufa... me empolguei!

Marchas dos "sem pauta", ou sobre "estou com tédio, vou causar!"

As manifestações do MPL são bacanas e justas e vêm de tempos. MAS ESTAS QUE VÊM SENDO ORGANIZADAS PARECE COISA DE FILHO DE PAPAI NO ESTILO REBELDE SEM CAUSA.

OS CARAS FAZEM PASSEATA, MAS NUNCA BOTARAM A BUNDA NUMA CADEIRA DA CÂMARA DE VEREADORES PRA ASSISTIR A UMA SESSÃO SEQUER! 

Tentei ajudar a pautar a manifestação daqui, falando de temas locais. O piá do BASTA só sabe usar clichês. Não tem objetividade... Desisto.

E mais: Onde tem o povo do Dia do Basta e da Casa Fora do Eixo eu fico com os dois pés atrás. Pelo visto tomaram conta e estão se achando... Nem vou falar daqueles mascarados que usam do anonimato para disseminar suas ideias [apesar que eu também teria vergonha de falar tudo aquilo de cara limpa hehehe].

O MPL estava nas ruas em 2011, lá já havia dado apoio remoto. Continuo apoiando. Não me peçam um RT sequer para essas manifestações de ocasião.

Virou o samba do afrodescendente com transtornos psíquicos essa onda de “marchas”. Tente debater com os organizadores para ver o nível de politização e engajamento social ou político [antes do atual momento, de agora, das manifestações iniciadas pelo MPL]...


HINO DAS NOVAS MANIFESTAÇÕES QUE VÊM SURGINDO - AQUELAS DOS "SEM PAUTA"... zzzz


14 de jun de 2013

IDDH - Oficina Liderando Direitos Humanos em Joaçaba/SC

Nos últimos dias 07 e 08 de junho a Oficina Liderando Direitos Humanos foi realizada na cidade de Joaçaba em parceria com a Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC). A capacitação contou com a participação de 10 líderes e ativistas em Direitos Humanos: Alexandre L. Danielli, Diego Bairros, Eber Bündchen, Elisabete Margot Vieira, Felipe Ferreira, Giovana Favretto Caron, Luciane Kunz, Nathália Morés, Rozane Martins Schmautz e Rúbia Karen Provensi.

Na sexta-feira à noite (07/06) o IDDH promoveu na Universidade uma Mesa Redonda sobre Educação em Direitos Humanos e Experiências Práticas que contou com a participação da comunidade acadêmica. Fizeram parte da Mesa o Dr. José Luís de Souza Maliska – Presidente da Comissão de Defesa de Direitos Humanos da Subseção de Joaçaba da Ordem dos Advogados do Brasil; a professora Carolina de Figueiredo Furtado que leciona Direitos Humanos e Democracia no curso de Direito da UNOESC; o acadêmico Murilo de Carvalho que desenvolveu uma pesquisa sobre a Corrupção e a violação de direitos humanos, bem como dois dos participantes da capacitação, Felipe Ferreira e Elisabete Margot Vieira. 

Nos dias 21 e 22 de junho, o IDDH promoverá a capacitação da cidade de Chapecó.





13 de jun de 2013

PETISTAS CONTRA A DEMOCRACIA??

PETISTAS QUE ESTÃO TENTANDO DESCONSTRUIR AS MANIFESTAÇÕES EM SÃO PAULO:

POR QUE VOCÊS NÃO FAZEM O MESMO COM AS QUE OCORREM EM OUTRAS CIDADES ONDE O PREFEITO NÃO É DO PARTIDO DOS TRABALHADORES?

SOU PETISTA DE ESTRELA NO PEITO E POR ISSO DEFENDO O DIREITO DE LIVRE MANIFESTAÇÃO MESMO CONTRA PREFEITO DO MEU PARTIDO.

TÁ PEGANDO MAL ESTA BLINDAGEM!

QUE O PSOL E PSTU ESTÃO NO MEIO QUERENDO PHODER TUDO A GENTE SABE, MAS BASTA DE ATACAR GENTE SÉRIA QUE ESTÁ LÁ LUTANDO POR UM DIREITO DE TODOS!

ESTOU COM VERGONHA ALHEIA DE ALGUMAS COISAS QUE EU LEIO:

"ELES NEM USAM TRANSPORTE COLETIVO, PRA QUÊ FAZER MANIFESTAÇÃO?"

OK, NESTA ESTEIRA DEVEMOS PARAR DE DEFENDER AS POLÍCIAS PÚBLICAS DO GOVERNO FEDERAL, AFINAL A MAIORIA DE NÓS NÃO FAZ USO DELAS...

TÁ VENDO? ARGUMENTOS PARA DESQUALIFICAR AS MANIFESTAÇÕES DO MPL VÃO SERVIR DE BASE PARA DESCONSTRUÍREM O NOSSO QUE É DE SOLIDARIEDADE COM QUEM MAIS PRECISA...

#DEMOCRACIA

Desculpa o caps lock, mas tem coisas que só ele consegue expressar... Minha indignação, por exemplo!

9 de jun de 2013

Uso indevido de arma menos letal pela PMSC em Joaçaba/SC:

O seguinte comentário circula no Facebook:

Madrugada de domingo 09/06/2013. Uma discussão com a policia por conta de som automotivo a qual consta pelas testemunhas quem foi preso havia chego depois do início da confusão, acabou em agressões. Vejam como a policia que esta para nos servir trata a moça que esta sendo levada presa. Spray de pimenta diretamente no rosto das pessoas não envolvidas, coronhadas, agressões. Isto tem que acabar. Autoridades tem que saber dialogar.

O vídeo pode ser visto clicando aqui.

Engraçado que esta mesma PM há uns tempos atrás abordou um advogado pelo mesmo motivo e o comportamento foi bem outro. Eu fui testemunha. Leia sobre o fato: Lei do silêncio para todos, espero que "mídia" também...

Lá em 2011 eu lembro bem de ter acompanhado uma entrevista que minha filha Amanda Monteiro deu, juntamente com o Marcelo Zelic do Movimento Tortura Nunca Mais, onde o debate sobre o uso de armas menos letais em espaços de manifestações era o tema central. A entrevista está no Vimeo e pode ser assistida AQUI.

Não vou me prolongar aqui falando da necessidade de uma regulamentação do uso destas armas menos letais [a Polícia chama de "não letal", mas sabemos que mata, sim!]. Os vídeos cujos links disponibilizei são muito interessantes e falam por mim...

Um SUS que dá certo. Questão de gestão.

Que eu sou uma defensora do  SUS todo mundo sabe. Andei até escrevendo um "diário" dos atendimentos que precisei há algum tempo atrás. Que eu peguei uma certa bronca do atendimento do Hospital Universitário Santa Terezinha - HUST - também já perceberam.

Pois bem: há uns 20 dias levei meu companheiro em plena crise hipertensiva e a reclamação de uma batida estranha no coração [batedeira]. Mesmo tendo tomado alguns comprimidos para tentar amenizar a pressão, chegou na Emergência com a pressão arterial bastante alterada. Foi logo medicado.

O que me fez sair intrigada de lá foi a manifestação da médica plantonista de que o resultado alterado do Eletrocardiograma era normal para a idade dele. Como assim? Se está alterado, lógico que não é tão normal assim!

Exigi que meu companheiro buscasse atendimento especializado. O Clínico Geral que o atendeu no ESF [postinho] não gostou muito de sua exigência e colocou no encaminhamento para o Cardiologista do Consórcio Intermunicipal de Saúde a ressalva: "A pedido do paciente...". Direito dele pensar que meu companheiro não tem nada [?]. Obrigação é de encaminhar a pedido do paciente, ainda mais sendo de uma família de cardíacos...

O Cardiologista - que teve a consulta paga no valor de R$ 105,00, por ser do Consórcio - fez outro Eletrocardiograma e constatou a mesma alteração apresentada no atendimento do HUST. Algo não estava certo. Bom seria fazer um teste de esforço, mas este não existe pelo SUS, pelo menos não a curto prazo, que saibamos.

Marcado para o consultório particular, pago R$ 300,00 pelo teste, um pouco mais barato do que via "particular". Nem bem saiu da bicleta, meu companheiro ouve o Cardiologista conversando com alguém do Hospital Angelina Caron, pedindo a marcação para breve de um Cateterismo, com possível Angioplastia. Caso de obstrução coronariana aguda.

Isto se deu no dia 27 de maio. Dia 03 de junho estávamos eu e ele na recepção do Hospital Angelina Caron que fica em Campina Grande do Sul, adiante de Curitiba, sentido São Paulo. Cateterismo pelo SUS.

Não vou mentir que o atendimento é rápido. Não é. Mas não vi um funcionário de cara amarrada. A manhã toda foi só para dar entrada na papelada. Almoço ganhamos os dois no refeitório onde médicos dividem espaço com funcionários e pacientes que estão na unidade, mas não internados efetivamente.

Período da tarde para a bateria de exames. Em praticamente todos a minha presença foi franqueada. Só me foi restrito o acesso ao último que era uma espécie de Ultrassonagrafia do coração - o Ecocardiograma.

Depois de tudo isso era esperar pelo dia seguinte, o do procedimento propriamente dito. Paciente que não tem onde pernoitar - casa de parente, amigo ou condição ou interesse de pagar hotel - fica num anexo do hospital. Acompanhante também [mas acho que daí era para casos especiais ou pagava uma taxa - não sei]. Optamos por um hotel, onde o conforto seria maior.

A ordem era para estarmos às 7:00hs para esperar pelo procedimento. Paciente em jejum. Levando em consideração que a média diária é de 30 a 40 procedimentos cardíacos por dia - sem falar das outras especialidades, inclusive transplantes e maternidade com UTI Neonatal - fomos informados que havia uma fila onde idosos e casos mais graves teriam prioridade.

Não éramos caso de vida ou morte. Ganhamos café da manhã, afinal os pacientes que iriam esperar não precisavam passar fome. Na hora do almoço a mesma coisa: os que tinham previsão de demorar mais tiveram o almoço garantido. Eu sempre ali, a esta altura já havíamos formado um grupo de amigos vindo de todos os lugares, inclusive MG e MS.

Final da tarde nos despedimos, a última leva de pacientes foi para o setor de pré-operatório. Só nos veríamos no outro dia. Aproveitei o tempo livre e atendi o pedido de doação de sangue. Uma unidade móvel do HEMEPAR estava fazendo coletas no pátio do Hospital.

Dormi no hotel e na manhã de quarta-feira fui buscar o meu "doentinho". Fiquei com ele durante as últimas consultas. Todos os que tinham acompanhantes estavam sendo assistidos pelos seus. Enfermeiras se revezavam atendendo os demais.

Saímos de lá com o laudo do Cateterismo em mãos e a explicação do de deveria ser feito a partir daquele momento. No caso do meu companheiro nem stents e nem válvulas foram precisos. Ainda bem, pois a maioria não teve o mesmo destino. Houve quem ficou internado. É assim que funciona ali: a princípio o paciente entra para um simples Cateterismo, se no momento do procedimento se verifica a necessidade de algo mais, é feito na hora. Por isso a média diária oscilar entre 30 e 40 procedimentos.

Voltamos muito satisfeitos. Eu mais convicta ainda que os problemas do SUS não é do sistema e sim de gestão. Aquele hospital nem era tão grande assim, os espaços eram até reduzidos. Havia uma coisa que se percebia desde o primeiro momento: sincronia entres os funcionários e uma forma de gestão que está dando certo. O Angelina Caron é referência. Agora entendo o porquê. 

E antes que venham dizer que Pronto Socorro é outra situação: lá também tem. Inclusive com heliponto para os atendimentos gravíssimos... Agora indo no popular e como um antigo amigo sempre me dizia: PRA MAU FODEDOR ATÉ OS CULHÕES ATRAPALHAM!! Simbora rever os atendimentos não só do HUST, mas da maioria esmagadora dos hospitais de Santa Catarina!!!!

7 de jun de 2013

Diálogo da população com um especulador de Joinville (mas a reflexão serve para todas as cidades):

Especulador, SEUS PROBLEMAS ACABARAM!

POPULAÇÃO: O Sr. adquiriu diversos terrenos na cidade de Joinville?
ESPECULADOR: Sim.

POPULAÇÃO: O Sr. manteve estes terrenos sem edificação alguma, aguardando apenas sua valorização?
ESPECULADOR: Sim.

POPULAÇÃO: O Sr. sabe que a Constituição Federal assegura o direito à propriedade, mas também determina que a propriedade exercerá sua função social?
ESPECULADOR: Sim, mas eu comprei e paguei, por isso é meu direito manter o terreno vazio.

POPULAÇÃO: O Sr. sabe que estes terrenos vazios fazem com que a cidade "se espalhe" e os moradores necessitem morar cada vez mais longe do centro, fazendo com que o poder público municipal tenha que levar saúde, educação, transporte, pavimentação, transporte público, saneamento básico para estes locais distantes?
ESPECULADOR: Sim.

POPULAÇÃO: O Sr. sabe que estes custos são pagos por toda a população através de impostos e taxas?
ESPECULADOR: Claro, de impostos eu entendo, afinal vivo reclamando da alta carga tributária.

POPULAÇÃO: O Sr. sabe que os trabalhadores que vão morar cada vez mais distante do centro perdem muito tempo de suas vidas no trajeto casa-trabalho por morarem tão longe e que, por ironia, ainda avistam vários terrenos vazios como os seus pela janela do ônibus quando percorrer este trajeto?
ESPECULADOR: Sei.

POPULAÇÃO: O Sr. sabe que este tempo gasto a mais no trajeto casa-trabalho o trabalhador poderia estar passando com suas famílias?
ESPECULADOR: Pois é, que pena. Mas veja pelo lado positivo, com as FAIXAS VIÁRIAS e as Áreas Rurais de Transição Industriais (ART-I´s)_as empresas poderão se instalar pela cidade toda e daí o trabalhador poderá trabalhar mais perto de casa.

POPULAÇÃO: O Sr. sabe que quanto mais estrutura o governo instala nos bairros mais distantes mais necessidade há de estrutura nos bairros próximos ao centro onde se localizam os seus terrenos e que estas obras nos bairros distantes valorizam também seus terrenos?
ESPECULADOR: Sei, claro, e isso não é ótimo? 

POPULAÇÃO: O Sr. acha justo todos arcarem com os custos de uma cidade cada vez mais espalhada enquanto o Sr. fica com estes terrenos vazios simplesmente aguardando a valorização deles?
ESPECULADOR: Claro que é justo! Eu comprei e paguei, portanto, é meu.

POPULAÇÃO: O Sr. sabe que está em estudos o IPTU progressivo no tempo, que forçará os proprietários de imóveis não utilizados ou subutilizados a darem uma destinação ao imóvel, ou seja, ou constroem ou o IPTU aumentará por 5 anos seguidos, dobrando de alíquota a cada ano?
ESPECULADOR: Eu sei, é uma sacanagem isso, onde já se viu obrigar alguém a construir. É um absurdo essa falta de respeito com o direito à propriedade.

POPULAÇÃO: SEUS PROBLEMAS ACABARAM!!!! A nova Lei de Ordenamento Territorial (Nova LOT) fará com que possam ser construídos prédios de até 24 andares no bairro Bucarein e 18 andares no bairro Anita Garibaldi, isso sem contar as garagens e o andar onde fica o elevador. Ainda haverá a possibilidade da outorga onerosa (compra do direito de construir mais andares)) que poderá levar os prédios do Bucarein até 36 andares e os do Anita Garibaldi até 27 andares.
ESPECULADOR: Pois é, que legal, isso ajudará muito os investidores!

POPULAÇÃO: O Sr. não acha que prédios tão altos prejudicarão a questão da luz solar e da ventilação e isso pode trazer problemas de saúde aos moradores da região, inclusive gerando custos para o própria prefeitura (SUS)?
ESPECULADOR: Você só vê o lado negativo das coisas, vejam quantos empregos serão gerados. Acho que você não quer é que os pobres morem perto do centro, você quer é expulsá-los para longe.

POPULAÇÃO: Mas não foi exatamente isso (expulsar os pobres das regiões próximas ao centro) que o Sr. fez quando comprou terrenos e os manteve vazios.
ESPECULADOR: Isso é diferente....

POPULAÇÃO: A NOVA LOT prevê ainda 167 faixas viárias, ruas onde numa faixa de 100 metros de cada lado da via TUDO PODE SER CONSTRUÍDO, até indústria de derivados de petróleo poderá existir neste local, além de poderem ser construídos prédios nestas faixas viárias.
ESPECULADOR: Peraí, não é bem assim! Podem ser construídas muitas coisas, mas dependem de Estudo de Impacto de Vizinhança e de parecer do órgão ambiental.

POPULAÇÃO: O Sr. sabe que há quase 30 mil lotes vazios ou subutilizados em Joinville?
ESPECULADOR: Sério? Esse número é um exagero, isso deve ser mentira, de onde tirou essa informação?

POPULAÇÃO: Do site do IPPUJ.
ESPECULADOR: ......

POPULAÇÃO: O Sr. sabe que se for construído em cada lote um prédio de 4 andares com 4 apartamentos por andar e morarem em média 3 pessoas em cada apartamento a população de Joinville pode passar de 2 milhões sem precisar alterar zoneamento algum?
ESPECULADOR: Mas não é todo imóvel que dá para construir prédios de 4 andares.

POPULAÇÃO: Por outro lado, há também vários desses terrenos em que se pode fazer prédios com muito mais que 4 andares.
ESPECULADOR: Deixa para lá.

POPULAÇÃO: A NOVA LOT prevê lotes com área mínima de 240m², com frente mínima de 10m e com as quadras com até 200m. O Sr. não acha que estas quadras parecerão uma linguiça?
ESPECULADOR: Isso é ótimo, onde antes poderíamos fazer 2 lotes de 360m², agora poderemos fazer 3 lotes de 240m². É a multiplicação dos lotes, VIVA A NOVA LOT. E as quadras com 200m permitirão 20 lotes em cada lado da quadra totalizando 40 lotes, além de precisarmos destinar menos áreas para as ruas e calçadas. Isso dá um bom ganho e não acho que quadras de 48x200m pareçam uma linguiça, isso é exagero de vocês.

POPULAÇÃO: Mas muitos trabalhadores precisarão andar bem mais para chegar até sua casa, já que teremos quadras com até 200m.
ESPECULADOR: Veja que bom, assim já eles farão um exercício extra e isso faz bem à saúde.

ESPECULADOR: Você só vê o lado negativo das coisas, não percebe que precisamos mudar o zoneamento para atrairmos empresas, afinal Araquari está crescendo e Joinville está perdendo empregos.

POPULAÇÃO: Mas em Araquari não estão construindo empresas até na área rural, onde empresas são vizinhas de plantações e da animais "de criação" (vacas, galinhas, marrecos, etc), e o meio ambiente, como fica?
ESPECULADOR: É o progresso, oras. Você prefere ficar sem empregos?

POPULAÇÃO: O Sr. teve acesso a algum dado sobre quantos empregos Joinville "perdeu" e verificou se essa "perda" se reflete no número de desempregados, ou está falando isso com base nos dados da "imprensa"? 
ESPECULADOR: Está nos jornais toda hora, você não lê? Se lesse saberia que a NOVA LOT é urgente e necessária para desenvolvimento da cidade, senão JOINVILLE VAI PARAR!

POPULAÇÃO: O Sr. não acha estranho que a NOVA LOT venha para valorizar os imóveis vazios justamente quando se discute o IPTU progressivo no tempo, que irá penalizar os especuladores que compraram imóveis e os mantiveram vazios aguardando sua valorização, levando ao "espalhamento" (dispersão) da cidade e aos gastos disto decorrentes?
ESPECULADOR: Pois é, que FELIZ COINCIDÊNCIA.

IMPORTANTE: Essa é uma obra de ficção, mas se você não quer que se torne realidade, procure a Associação de Moradores de seu bairro e exija da Prefeitura e do IPPUJ que a NOVA LOT seja discutida com toda a população de Joinville.

Fonte: novalotjoinville.blogspot.com