31 de jul de 2013

Transportadora São Miguel - desrespeito com o cliente

Há tempos minha empresa vem tendo problema com a Transportadora São Miguel. Não , não é o preço. O problema com o preço extorsivo era com a Reunidas. Aqui era o atendimento mesmo, que descambou em bloqueios indevidos da nossa empresa no sistema deles. Detalhe: não havia débitos e as mercadorias já estavam de posse deles...

Veja a cronologia da incomodação e pense duas vezes em contratar os serviços da São Miguel:

09/07/13 - Entrega de mercadoria em embalagem quebrada. Fio esmaltado - carretel quebrado. Foi comunicado e chamada a atenção. Nem sequer um pedido de desculpas.

12/07/13 - Solicitada coleta para Joinville - 240kg. O gerente de Joaçaba veio coletar. Quando jogava as caixas dentro da Kombi o Sr. Gilberto pediu que fosse tomado cuidado e a reposta grosseira foi "eu sei o que estou fazendo".  O ajudante que o acompanhava para ajudar no carregamento, com o uniforme da São Miguel, quando questionado disse ter apenas 14 (quatorze) anos.

17/07/13 - Retiraram produto na SR Metais em Joinville e bloquearam nossa empresa com o referido produto no depósito da São Miguel.  Nos informaram que "foi o gerente de Joaçaba que mandou, pois não gostou de ser chamado à atenção sobre os cuidados de carga e descarga". O Sr. Gilberto telefonou para a São Miguel, em Chapecó (49 3361-6600) e o Sr. Taco liberou a carga para ser entregue. 

18/07/13 - Uma moça telefonou de Joinville dizendo que estava "tudo certo" e que este episódio de bloqueio indevido não mais se repetiria.

24/07/13 - SR Metais - de Joinville - solicitou coleta de 250kg de alumínio.

25/07/13 - Ligação para a São Miguel, em Joaçaba (49 3522-1223) - mercadoria bloqueada no depósito da transportadora de novo! Não apontaram o motivo do bloqueio. O Sr. Gilberto telefonou para a São Miguel, em Chapecó (49 3361-6600) e , de novo, o Sr. Taco liberou a carga para ser entregue. (por conta do bloqueio, atrasada, diga-se de passagem).

29/07/13 - Ligação da matriz (Chapecó) - Sr. Taco, do telefone celular nr 49 8816-1055, informa que não mais carregar mercadoria para a minha empresa por conta do desentendimento com o gerente de Joaçaba.

30/07/13 - SR Metais tentou despachar mercadoria COM FRETE PAGO e se negaram a prestar serviço.

FICA A DICA PRA VOCÊ, AMIGO EMPRESÁRIO - A SEGURANÇA JURÍDICA NA RELAÇÃO DE CONSUMO VAI ATÉ O PRIMEIRO "ATAQUE DE PELANCA" DO GERENTE DE JOAÇABA...

25 de jul de 2013

Frio do cão - Animais recebem cobertas da ONG Amigos dos Animais

(Matéria publicada no Jornal Diário do Vale de hoje) 
Contra o frio, cães precisam de abrigo e cuidados
Cobertores estão sendo doados nesta semana pela ONG Amigos dos Animais. Maior preocupação é com cães que ficam amarrados, sem opção de encontrar abrigo.
Da Redação Paula Patussi
As baixas temperaturas preocupa a Organização Não Governamental (ONG) Amigos dos Animais de Herval d’ Oeste. Nestes dias, há o risco dos animais sofrerem de hipotermia - qualquer decréscimo acentuado de temperatura corporal. Além dos animais de rua, muitos são aqueles que ficam presos por correntes e sem o abrigo de casinhas. Por este motivo, a ONG realiza uma força tarefa e entrega nas residências cobertores e algumas casinhas para cães durante esta semana.
Segundo a presidente da ONG, Elisabete Vieira, a situação dos cães é precária, principalmente nos bairros mais carentes de Joaçaba e Herval d’ Oeste. “Recebemos algumas doações de casinhas, mas o que necessitamos são de cobertores. A ONG fez a compra de seis cobertas, e cortamos em partes fazendo pequenas cobertinhas, já atendemos mais de 30 cães, mas temos muitos mais animais para atender.” Além de fornecer cobertores a ONG também dá comida para os cãezinhos.
“Os cães de rua sempre arranjam um jeito de se abrigar e de se unirem a outros cães. O problema maior são os cães que ficam presos por correntes nas casas. Antes de irmos brigar com as pessoas por conta deste motivo, decidimos levar as cobertas”, destaca Elisabete. A ação deve continuar nos próximos dias.
A presidente da ONG enfatiza que a entidade necessita de doações, de cobertas e ração. “O trabalho da ONG é feito pelos voluntários, que tiram dinheiro do bolso e tempo para dedicar aos animais”, salienta. “Quem quiser colaborar pode deixar as doações nas clínicas veterinárias ou ainda a contribuição em dinheiro, e ainda em ração, remédios e outros  materiais necessários também nesses estabelecimentos”. As clínicas que auxiliam a ONG são: Zoopet, Ilha dos Bichos, Dr Dogs e Auquemia (para a coleta de doações).
Elisabete diz que todos os dias, vê cenas fortes. Ao passar pelos bairros São Jorge e Nossa Senhora Aparecida em Herval d’ Oeste já se deparou com cãezinhos nos fundos dos terrenos, amarrados em pleno inverno, enroscados, sem comida e também machucados. “Tem noites que perco o sono. Acredito que estas pessoas são cruéis. Não acredito que seja por falta de condições que elas fazem isso. Fico indignada. Percebo ainda que há pessoas que gastam fortunas com apenas um cachorro, sendo que poderiam direcionar parte do dinheiro para outros cães, que também precisam de atenção.”
Entenda
A hipotermia é diagnosticada com mais frequência em filhotes, animais idosos ou doentes. Mas a hipotermia acidental geralmente decorre da exposição ambiental, no caso exposto as baixas temperaturas do inverno.
Hipotermia é a queda de temperatura abaixo do normal em animais que mantem a temperatura constante (exemplo de cães e gatos cuja temperatura corpórea fica em torno de 38,3 e 39,3° C).
Segundo o médico veterinário Cristian Casado, animais podem morrer de frio. “Depende da pelagem e do porte. Quanto menor e de pelo mais curto, maior o risco”, disse. Se o animal estiver desnutrido, corre mais risco. “O gasto energético para aquecer o corpo no inverno é maior”, explica.

24 de jul de 2013

Na Câmara Federal - Nova enquete discute participação de animais em apresentações de circos

Polêmica contrapõe argumentos como a tradição dos espetáculos e os maus-tratos aos animais.
Gustavo Lima
Evandro Milhomen
Evandro Milhomen: o uso de animais em atividades circenses não pode ser criminalizado.
A Câmara promove, a partir desta segunda-feira (22), uma enquete sobre a participação de animais nos espetáculos circenses. O tema é polêmico porque coloca de um lado os defensores do uso dos animais nas exibições do picadeiro, em nome da tradição, e, do outro, os críticos à prática que, segundo argumentam, implica maus-tratos aos animais.
Atualmente, nove estados brasileiros (Alagoas, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e Espírito Santo) proíbem a participação de animais nos espetáculos.
Porém, está pronto para votação em Plenário um projeto (PL 7291/06) que estende a restrição a todo o País. Esse texto, de autoria do Senado Federal, já foi aprovado em três comissões temáticas da Câmara - de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; deEducação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania -, tendo ficado como versão final da proposta um substitutivo da Comissão de Meio Ambiente ao texto do Senado. Tramitam na Câmara 17 projetos que tratam do assunto.
Tradição culturalNo último dia 9, alguns deputados e artistas defenderam, em audiência pública da Comissão de Cultura, a participação de animais nos espetáculos circenses. Para o deputado Evandro Milhomen (PCdoB-AP), autor do requerimento para a realização do debate na comissão, o uso de bichos nas atividades circenses não pode ser criminalizado, pois se trata de uma tradição cultural dessa arte.
"Nós crescemos vendo animais no circo tratados com carinho e responsabilidade. Não podemos, de uma hora para outra, tirar essa atração, que é adorada pelas crianças e faz parte da história do espetáculo. É um assunto que pode ser tratado sem violência, fundamentalismo ou ignorância", afirmou Milhomen.”
Sofrimento dos animais
Leonardo Prado
Ricardo Izar
Ricardo Izar: animais sofrem para serem treinados em circos.
Na linha de frente para que a proibição seja aprovada está o deputado Ricardo Izar (PSD-SP), coordenador da Frente Parlamentar de Defesa dos Animais. "É bonitinho quando a gente vê o urso de saia andando no monociclo, mas, para ele ser treinado dessa forma, sofre demais. Os animais acabam sendo submetidos a tratamentos inadequados e ficam confinados em jaulas pequenas”, ressaltou.
Izar destaca que a proibição dos animais no circo vai valorizar o artista humano. “Basta promover uma mudança de cultura para que a população se acostume ao circo sem bichos”, garante.
Menos espectadores e custos
Para os donos de circos, a proibição de animais no picadeiro pode significar, num primeiro momento, menos interesse dos espectadores. Por outro lado, de acordo com o gerente do Circo Mundial, Douglas Fernandes, os circos que desistiram de ter animais por força das leis estaduais reduziram drasticamente seus custos, já que só um leão chega a comer 7 quilos de carne por refeição.
E você? É a favor ou contra a participação de animais nas apresentações em circos? Participe da enquete e deixe também o seu comentário abaixo.


Íntegra da proposta:

Da Redação/NA

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'

21 de jul de 2013

Balada da Caridade

Esta música marcou a minha infância...
Talvez por isso a palavra "EMPATIA" seja a minha favorita...
[há quem me chame de "comunista!"...]

Para mim a chuva no telhado
É cantiga de ninar
Mas o pobre meu Irmão
Para ele a chuva fria
Vai entrando em seu barraco
E faz lama pelo chão

Como posso
Ter sono sossegado
Se no dia que passou
Os meus braços eu cruzei?

Como posso ser feliz
Se ao pobre meu Irmão
Eu fechei meu coração
Meu amor eu recusei? (bis)

Para mim o vento que assovia
É noturna melodia
Mas o pobre meu irmão
Ouve o vento angustiado
Pois o vento, esse malvado
Lhe desmancha o barracão



16 de jul de 2013

Projeto de destinação adequada de resíduos urbanos foi apresentado na Câmara de Herval d'Oeste/SC:


Com a Casa cheia, um dos principais temas da sessão desta segunda-feira (15), do Legislativo hervalense foi a apresentação pelo presidente do Instituto de Educação Dual de Joinville engenheiro Marcos Stolf sobre o projeto da destinação 100% correta de resíduos urbanos. Stolf ocupou o momento destinado a presidência da Casa. O engenheiro atendeu ao convite do vereador Davi Frozza (PSD), respondendo também a questionamentos dos vereadores.

Conforme Stolf, empresários da indústria mecânica criaram uma ONG em Joinville para dar destinação ambientalmente adequada para o lixo de eletroeletrônicos, onde o Instituto Dual começou a fazer pesquisas e experimentos para dar destinação correta também ao lixo urbano. "Trabalhamos com a média de 700 gramas de lixo produzido por habitante, e acreditamos que por meio da separação é possível dar a destinação correta. O processo de separação tem um custo de R$ 120,00 já para a revenda ele equivale a R$ 200,00."

O engenheiro também apresentou dados da região Sul onde 54% do lixo são orgânico, 30% recicláveis e 16% de rejeitos que não servem para nada. "No mínimo 90% deste rejeito é composto por plásticos, em Joinville há mais de dois anos, trituramos este rejeito e o transformamos em palanques de cerca, meio fio e calçamento, é uma tecnologia inédita no Brasil”. Stolf ainda apresentou outras ideias que atendem as necessidades do Meio-Oeste coma Biodigestão para lixo orgânico com tratamento aeróbico e anaeróbico, onde em seis dias este material é transformado em adubo. E a criação de uma usina para tratamento do material orgânico, por meio de Consórcio entre os municípios da região barateando os custos.

O vereador Frozza agradeceu a presença do engenheiro, citando a importância da destinação adequada do lixo, destacando que até agosto de 2014 por força de Lei Federal vai ser obrigatória a coleta seletiva nos municípios e os aterros sanitários terão que ser feitos de forma diferente do que acontece hoje. O vereador citou que a questão ambiental é muito discutida, mas na prática fica em segundo plano, frisando entretanto que há um desejo forte de se mudar isso e afirmou que o prefeito Nelson Guindani tem interesse em que este projeto seja apresentado aos prefeitos da Ammoc.

O presidente do Legislativo Gilmar Dri agradeceu a explanação do projeto feita por Stolf, destacando a preocupação com os problemas causados pelo lixo, principalmente no perímetro urbano, ainda lembrou que em 2009 como secretário de Agricultura, desenvolveu a coleta de lixo reciclável em comunidades do interior de Herval d'Oeste.

Fonte: Joce Pereira

Saiba mais sobre o projeto:



PROJETO PARA PROCESSAMENTO DOS RSU – RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS

Consiste em dar destinação total aos Resíduos Sólidos Urbanos – RSU, de forma que todo e qualquer material tenha utilidade viável, e que, absolutamente nada retorne ao meio ambiente de forma passiva, e sem provocar qualquer poluição ao meio ambiente, seja de forma líquida, sólida ou gasosa.

O programa consiste em ser ambientalmente adequado, economicamente sustentável, com envolvimento social (Cooperativa de Catadores),  com aplicação de métodos  e  processos coerentes com as capacidades locais.

O que antes se apresentava como um grande problema ambiental e social, deixa de existir, e passa a ser um expressivo agregador de riquezas materiais e sociais.
  
A construção se dará em terreno inclinado de forma que toda movimentação do material ocorra por gravidade, assim racionalizando equipamentos de transporte (bombas, transportadores mecânicos) e minimizando custos de investimentos, manutenção e energia.

O material será recebido no ponto mais alto da planta, direto em contentor tipo calha, com piso e muretas de concreto, com cisterna coletora de líquidos (chorume), de forma que não tenha qualquer contato com o solo.

Por deslizamento e passando por sistema dosador, o material entra no equipamento que terá as funções de destroçar pacotes, sacos, embrulhos, seguindo para lavação por jato d’água, e ao mesmo promovendo peneiramento das partes miúdas e da quase totalidade dos materiais orgânicos.

Os orgânicos passados pela peneira passarão por outro equipamento que faz uma  pré-trituração e nova separação por peneiramento de menor granulometria, de onde, o material passado seguirá para  trituração final, e então, remetido para os tanques biodigestores.

Os demais sólidos, seja da primeira ou segunda peneiração, seguirão para outro equipamento que fará a secagem por corrente de ar quente, seguindo direto e continuamente para as esteiras de separação.

As esteiras de separação terão comprimentos definidos, de maneira que cada operador retirará um determinado material, de forma que ao chegar no final desta todos os materiais foram retirados, restando apenas os orgânicos, os quais seguirão direto para o triturador.

Uma vez triturados seguirão para os tanques biodigestores, juntando-se com a parte inicial dos orgânicos, chorume e a parte mais suja da água empregada na lavação.

As esteiras serão instaladas em nível elevado, para que sob estas fiquem os depósitos dos materiais selecionados, de onde seguirão para destinação final.

Quanto aos orgânicos, uma vez preenchido o devido tanque de tratamento químico, iniciar-se-á o processo de biodigestão enzimático aeróbica, por  tempo de 72h, seguindo para o segundo tanque, recebendo igual tratamento   anaeróbico, por igual período de 72h, assim concluindo o processo, resultando em material inerte, então utilizado como adubo líquido.

 Rejeitos
No ato da separação nas esteiras seguem direto para  o triturador, que após triturados seguirão para os silos, e destes para  as máquinas extrusoras, que através do processo de intrusão resulta em produto final, e assim finalizando o processo.

Todos  equipamentos e instalações serão projetados e construídos especificamente para o caso, porém de construção simples, com tecnologias convencionais de simples obtenção, de pouca e fácil manutenção, duráveis , e investimento modesto.

A operação dos equipamentos e dos processos, serão convencionais e de fácil assimilação, não exigindo raras e/ou complexas qualificações, sendo acessíveis em toda parte.

O projeto como um todo prima pelos recursos locais, considerando as características peculiares da região de implantação, porém ancorado em decisões tomadas pelas pesquisas, buscas e conhecimentos globais, haja vista que cada povo e região tem suas peculiaridades, demonstrando que nesse campo há muitas variáveis,  portanto, não será possível generalizar os equipamentos e processos, simplesmente importando-os de outros países.

Cachorrinha adotada de tarde é encontrada abandonada numa rodovia à noite! Como assim?



Esta cachorrinha foi recolhida pela Simone Dantas e levada à Auquemia Veterinária para receber os atendimentos e ter um local para ficar até a adoção.  Foi castrada, estava lá para adoção, tudo às custas da protetora que a recolheu.

Ontem - 15/07/2013 -  alguém adotou ela. O surpreendente é que à noite ela foi encontrada nas margens da BR 282!! 

Ainda bem que a Sabrina Lopes prestou atenção nas condições do bichinho e o trouxe pra casa - estava cheirosinha e com a barriga raspada da castração...

Agora ela voltou pra casa da Simone e precisa de um lar de verdade e não de alguém que, se não abandonou, nem se incomodou com o sumiço do bichinho... 

Absurdo! Como uma pessoa retira um bichinho de um local que está sendo bem cuidado para depois deixá-lo à própria sorte???

Alguém vai dizer: "e se a cachorrinha fugiu?". Pois é! Quando isso acontece com gente que tem responsabilidade logo todo mundo é avisado e o pedido de ajuda para encontrar o animal repercute pelas redes sociais do povo que ama animais... Não foi o caso.

Pelo sim, pelo não, estou esperando novas informações. Mas minha intenção é registrar um Boletim de Ocorrência sobre o fato. 

Até agora a pessoa não apareceu para se explicar.

Foto da adoção >AQUI<

Relato da Sabrina >AQUI<

Resumo da "ópera": "Ana Graciela Acabei de entrar em contato com a Auquemia Veterinária, e me foi passado o seguinte, a pessoa que adotou mora num sítio próximo ao local onde a Sabrina Lopes encontrou a cachorrinha, e hoje de manhã eles entraram em contato com a clínica. O que acontece que essa cachorra é super ativa e eles não querem deixar ela acorrentada e acabou que ela fugiu... tanto é que na própria auquemia ela conseguiu abrir e escapar da gaiola que ela ficava. Agora ela vai estar para adoção novamente pq eles não querem deixar ela acorrentada, então pessoal, ficou esclarecido a situação. Por isso ontem coloquei em um comentário que não podíamos tirar conclusões precipitadas."

15 de jul de 2013

Resíduos sólidos em debate hoje, em Herval d'Oeste:

Hoje, na Câmara de Vereadores de Herval d'Oeste, às 19:00hs, haverá a apresentação de um projeto bem bacana sobre o aproveitamento do nosso lixo. 

Na esteira das novas decisões sobre resíduos sólidos surge uma opção bem menos onerosa do que a coleta seletiva e ambientalmente bem mais interessante. 

Todo nosso lixo pode se transformar em itens da construção civil que podem ser usados pelos nossas prefeituras!

O que antes era problema passa a a fazer parte da solução!

Simbora ouvir o que o Engenheiro Marcos Stof tem pra nos apresentar? Afinal 2014 está aí e nossas cidades precisam apresentar a solução para este problema!

12 de jul de 2013

11 de julho – eu participei!

Ontem foi dia de luta. Luta séria, luta antiga. MST, Sindicatos e Movimentos Sociais se organizaram num evento único para reiterar suas lutas históricas. Aproveitaram que “o gigante acordou” e conclamaram a presença do povo para unir forças para um país mais justo, igualitário e solidário. Eu aceitei o convite.

As bandeiras foram compiladas numa lista única onde todos os brasileiros são contemplados. Mesmo não percebendo, não há um quesito que não influencie na vida de cada um de nós [apesar de alguns que aindainsistem em não admitir que a falta de terra para o pequeno agricultor pode afetar em muito o seu almoço do dia a dia...].

Hoje pela manhã busquei informações na imprensa para saber de notícias. Nem sei por que fiz isso, afinal era evidente que qualquer coisa vindo de quem nunca dormiu - MST, Sindicatos e Movimentos Sociais – não teria espaço, e se tivesse seria de modo distorcido. Antes tudo era solenemente ignorado, desta vez, dada a abrangência, não havia como fazê-lo... E lá vieram manchetes minimizando o número de envolvidos e maximizando os “prejuízos” à população em geral.

No dia de hoje está havendo reuniões para o balanço das manifestações, assim que um me cair à mão, publico aqui. Agora só posso dizer o que vi, o que presenciei.

Saí de Herval d'Oeste e me encontrei com o pessoal de Campos Novos – juntos nos encontramos com o resto do povo na praça de pedágio de Correia Pinto. Não fechamos a rodovia, muito pelo contrário, abrimos! Enquanto estivemos lá todo mundo passou direto, sem pagar pedágio. Não digo “de graça” porque se pagamos IPVA, rodar nas estradas nunca é de graça. Buzinas e acenos eram as demonstrações de apoio à nossa atividade.

Tudo transcorreu na maior paz. Almoço foi marmita pra todo mundo. Trabalhador senta junto, come o que tem, junto. Depois era tomar o rumo à Lages onde fizemos uma passeata e paramos em frente ao Banco do Brasil. Foi escolhido este este ponto por conta da liberação injusta de financiamentos para grandes e pequenos produtores. Os grandes sempre mais [...e a história se repetindo...].

Lá na frente a companheirada de luta fez uso da voz. O povo organizado ouvia e aplaudia. A nota triste, pra não dizer lamentável, foi o fechamentos das agências do Banco do Brasil no entorno da aglomeração. Policiais militares guardavam as portas negando acesso até mesmo para correntistas fazerem uso do caixa eletrônico. Eu fui uma delas.

Fica aqui o meu repúdio ao preconceito contra o povo trabalhador que sempre lutou pelos direitos básicos historicamente sonegados. Ontem lhes foi sonegado o acesso a um prédio público, Prédio este que deveria estar aí para todo o povo. Eu queria saber se para todas as manifestações este comportamento é repetido. Tanto menos ruim se for. Caso contrário a gravidade toma uma dimensão absurda. [Tá vendo aquele edifício ali, seu moço?...]

Eu estava lá. Minha bandeira do Partido dos Trabalhadores se fez presente. Ouvi as críticas ao Governo Federal me alinhando a muitas delas. São demandas justíssimas! Até hoje eu espero Reforma Agrária neste país gigante que deita em berço esplêndido, no solo do latifúndio improdutivo. Outras lutas também vêm sendo, se não negligenciadas, não obtendo êxito, ou pelo menos progredindo. Mas eu estava lá como petista que sou de sangue nas veias e estrela no peito.

Antes que você, leitor, venha me cobrar – ou até tentar zombar – sobre o PT estar lá, eu respondo: As lutas que nos levaram para as ruas são lutas históricas do Partido, mas do Partido e não de quem ocupa o Cargo de Chefe do Executivo, que não decide nada sozinho... Não vivemos numa Monarquia Absolutista. A voz o Rei não é lei. O PT está no governo, o PT não é o governo... E bem por isso o Plebiscito e a Reforma Política se encontram na lista de anseios do povo. As “forças ocultas" que impedem, emperram, negam direitos precisam perder espaço, governantes precisam pautar suas ações na vontade do povo e não na vontade dos que detêm o Capital.

Eu estava lá. Eu sonho com um Brasil melhor. Em 500 anos de história nunca tivemos um Brasil tão bom... Mas falta muito ainda! Ontem eu vi. A dívida histórica é muito grande anda, há muito a ser pago... Os credores? O índio, o negro, o sem terra, o trabalhador de piso de fábrica, o povo...

10 de jul de 2013

O grande problema do nosso trânsito: o ser humano.

Esta semana começou com a notícia de um atropelamento em plena faixa de pedestre. Um motociclista ultrapassou pela direita, não respeitando a parada de um veículo para a passagem de uma pedestre. Eu escrevi "faixa de pedestre"...

Pois bem. Volta e meia vejo as pessoas reclamando dos gestores públicos, da Polícia Militar, das Comissões de Trânsito. O que não falta é gente apontando as falhas no sistema de trânsito de nossas cidades. Muito bem. Estão certos!

Mas não completamente certos.

Onde fica o "ser humano" nesta confusão toda? Muito fácil xingar os outros, apontar as falhas de terceiros. Mas cadê de criar vergonha na cara?

Hoje um quase derrubei uma "motoqueira" [motocilista pra mim é outra coisa]. Saindo de carro de um estacionamento onde a visão da rua era péssima fui socorrida por um veículo que parou o fluxo e me deu sinal para entrar na faixa de rolagem. A bizuqueira nem "tchum", passou a toda e por pouco não se estropiou toda! Ainda bem que eu sou do tipo de motorista extremamente cautelosa e entrei muito devagar.

Ando de moto e de carro. Sei bem os abusos que motoristas e motociclistas cometem. Estes últimos ultrapassam pela direita como se fosse a coisa mais comum do mundo [daí o puxão de orelha vai pra PM que se começasse a multar e parar todo engraçadinho que fosse visto fazendo isso já seria meio caminho andado - ainda mais que sabemos que muitos andam sem CNH ou com documentos vencidos...].

Ao gestor público cabe se espertar e colocar de uma vez as sinalizações devidas. E TEMPORIZADORES NAS FAIXAS DE PEDESTRES MAIS MOVIMENTADAS!! É um saco ter que parar todo o trânsito, o tempo todo, para uma única pessoa atravessar!

Outro problema: o pedestre folgadão que mete o pé na rua e vai atravessando sem olhar para os lados pelo simples fatos de estar usando a faixa de segurança [isso quando usa a faixa, né?]. Custa olhar para os lados para ver se motos e carros têm tempo para frear? Uma brecada de soco pode gerar um "abarroamento" [batida, mesmo] por trás! Daí tá feita a confusão... Chama PM, faz BO. E o trânsito para de novo!

Parar em faixa dupla é outra "esperteza" muito difundida por aqui. Cada um que para uns minutinhos ferra a vida de toda uma comunidade que faz uso do sistema viário. Mas para estes o que importam são os seus umbigos.

Podia passar o dia falando das besteiras que vejo no trânsito das nossas cidades, e dos absurdos que vejo por aí, mas já me tornei enfadonha... 

Só pra constar: COM GENTE MAL EDUCADA NÃO TEM TRÂNSITO QUE DÊ CERTOOOOO!!

Quer exigir que os outros façam o que têm obrigação de fazer? 
Olhe também para as suas obrigações! 
#ProntoFalei

PS - DAR SETA TAMBÉM AJUDA MUITO!! E NÃO LIGAR FAROL DE NEBLINA NA CIDADE ENTÃO...