16 de jul de 2013

Projeto de destinação adequada de resíduos urbanos foi apresentado na Câmara de Herval d'Oeste/SC:


Com a Casa cheia, um dos principais temas da sessão desta segunda-feira (15), do Legislativo hervalense foi a apresentação pelo presidente do Instituto de Educação Dual de Joinville engenheiro Marcos Stolf sobre o projeto da destinação 100% correta de resíduos urbanos. Stolf ocupou o momento destinado a presidência da Casa. O engenheiro atendeu ao convite do vereador Davi Frozza (PSD), respondendo também a questionamentos dos vereadores.

Conforme Stolf, empresários da indústria mecânica criaram uma ONG em Joinville para dar destinação ambientalmente adequada para o lixo de eletroeletrônicos, onde o Instituto Dual começou a fazer pesquisas e experimentos para dar destinação correta também ao lixo urbano. "Trabalhamos com a média de 700 gramas de lixo produzido por habitante, e acreditamos que por meio da separação é possível dar a destinação correta. O processo de separação tem um custo de R$ 120,00 já para a revenda ele equivale a R$ 200,00."

O engenheiro também apresentou dados da região Sul onde 54% do lixo são orgânico, 30% recicláveis e 16% de rejeitos que não servem para nada. "No mínimo 90% deste rejeito é composto por plásticos, em Joinville há mais de dois anos, trituramos este rejeito e o transformamos em palanques de cerca, meio fio e calçamento, é uma tecnologia inédita no Brasil”. Stolf ainda apresentou outras ideias que atendem as necessidades do Meio-Oeste coma Biodigestão para lixo orgânico com tratamento aeróbico e anaeróbico, onde em seis dias este material é transformado em adubo. E a criação de uma usina para tratamento do material orgânico, por meio de Consórcio entre os municípios da região barateando os custos.

O vereador Frozza agradeceu a presença do engenheiro, citando a importância da destinação adequada do lixo, destacando que até agosto de 2014 por força de Lei Federal vai ser obrigatória a coleta seletiva nos municípios e os aterros sanitários terão que ser feitos de forma diferente do que acontece hoje. O vereador citou que a questão ambiental é muito discutida, mas na prática fica em segundo plano, frisando entretanto que há um desejo forte de se mudar isso e afirmou que o prefeito Nelson Guindani tem interesse em que este projeto seja apresentado aos prefeitos da Ammoc.

O presidente do Legislativo Gilmar Dri agradeceu a explanação do projeto feita por Stolf, destacando a preocupação com os problemas causados pelo lixo, principalmente no perímetro urbano, ainda lembrou que em 2009 como secretário de Agricultura, desenvolveu a coleta de lixo reciclável em comunidades do interior de Herval d'Oeste.

Fonte: Joce Pereira

Saiba mais sobre o projeto:



PROJETO PARA PROCESSAMENTO DOS RSU – RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS

Consiste em dar destinação total aos Resíduos Sólidos Urbanos – RSU, de forma que todo e qualquer material tenha utilidade viável, e que, absolutamente nada retorne ao meio ambiente de forma passiva, e sem provocar qualquer poluição ao meio ambiente, seja de forma líquida, sólida ou gasosa.

O programa consiste em ser ambientalmente adequado, economicamente sustentável, com envolvimento social (Cooperativa de Catadores),  com aplicação de métodos  e  processos coerentes com as capacidades locais.

O que antes se apresentava como um grande problema ambiental e social, deixa de existir, e passa a ser um expressivo agregador de riquezas materiais e sociais.
  
A construção se dará em terreno inclinado de forma que toda movimentação do material ocorra por gravidade, assim racionalizando equipamentos de transporte (bombas, transportadores mecânicos) e minimizando custos de investimentos, manutenção e energia.

O material será recebido no ponto mais alto da planta, direto em contentor tipo calha, com piso e muretas de concreto, com cisterna coletora de líquidos (chorume), de forma que não tenha qualquer contato com o solo.

Por deslizamento e passando por sistema dosador, o material entra no equipamento que terá as funções de destroçar pacotes, sacos, embrulhos, seguindo para lavação por jato d’água, e ao mesmo promovendo peneiramento das partes miúdas e da quase totalidade dos materiais orgânicos.

Os orgânicos passados pela peneira passarão por outro equipamento que faz uma  pré-trituração e nova separação por peneiramento de menor granulometria, de onde, o material passado seguirá para  trituração final, e então, remetido para os tanques biodigestores.

Os demais sólidos, seja da primeira ou segunda peneiração, seguirão para outro equipamento que fará a secagem por corrente de ar quente, seguindo direto e continuamente para as esteiras de separação.

As esteiras de separação terão comprimentos definidos, de maneira que cada operador retirará um determinado material, de forma que ao chegar no final desta todos os materiais foram retirados, restando apenas os orgânicos, os quais seguirão direto para o triturador.

Uma vez triturados seguirão para os tanques biodigestores, juntando-se com a parte inicial dos orgânicos, chorume e a parte mais suja da água empregada na lavação.

As esteiras serão instaladas em nível elevado, para que sob estas fiquem os depósitos dos materiais selecionados, de onde seguirão para destinação final.

Quanto aos orgânicos, uma vez preenchido o devido tanque de tratamento químico, iniciar-se-á o processo de biodigestão enzimático aeróbica, por  tempo de 72h, seguindo para o segundo tanque, recebendo igual tratamento   anaeróbico, por igual período de 72h, assim concluindo o processo, resultando em material inerte, então utilizado como adubo líquido.

 Rejeitos
No ato da separação nas esteiras seguem direto para  o triturador, que após triturados seguirão para os silos, e destes para  as máquinas extrusoras, que através do processo de intrusão resulta em produto final, e assim finalizando o processo.

Todos  equipamentos e instalações serão projetados e construídos especificamente para o caso, porém de construção simples, com tecnologias convencionais de simples obtenção, de pouca e fácil manutenção, duráveis , e investimento modesto.

A operação dos equipamentos e dos processos, serão convencionais e de fácil assimilação, não exigindo raras e/ou complexas qualificações, sendo acessíveis em toda parte.

O projeto como um todo prima pelos recursos locais, considerando as características peculiares da região de implantação, porém ancorado em decisões tomadas pelas pesquisas, buscas e conhecimentos globais, haja vista que cada povo e região tem suas peculiaridades, demonstrando que nesse campo há muitas variáveis,  portanto, não será possível generalizar os equipamentos e processos, simplesmente importando-os de outros países.

Nenhum comentário:

Postar um comentário